Olá pessoal. Essa semana tive muitas preocupações e o blog ficou de lado, mas não dá para ficar silente diante o bom exemplo de justiça aplicada ao casal Nardoni, formado por Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, ambos condenados a, respectivamente, 31 anos e um mês e 26 anos e oito meses de prisão em regime fechado, pelo assassinato de Isabella Nardoni, cinco anos de idade e filha do patriarca da família com a antiga e -  hoje menos inconformada - companheira, Ana Carolina de Oliveira.
Ao reunir numa só postagem o caso dos Nardoni com o paredão formado ontem pelo programa BBB10, entre Dicesar e Dourado, é claro que a intenção não é comparar a gravidade dos dois acontecimentos. Quanto a isso, são incomparáveis. Mas ambos têm em comum o fato de serem dois julgamentos recentes e notórios no País. O primeiro coube à sociedade, representada por sete pessoas que formaram o júri popular, condenar o casal, conforme já falado acima. O segundo é também um julgamento. A diferença é que neste não há autor nem réu, não há advogado de defesa - ou não deveria - nem promotor de justiça pontuando, com lisura e veemência, as provas a favor ou contra cada participante. Mas há um juiz: o povo. Este analisará e setenciará o processo da luta de dois cidadãos que buscam o prêmio de R$ 1.500.000. Para isso, as duas "partes"  seguiram caminhos diferentes. Dicesar, apesar das indecisões, sempre foi fiel ao bom senso,  à educação,  à  presteza e, principalmente, à  civilidade.  Dourado preferiu, segundo ele, utilizar a sinceridade, mas a forma adotada foi contrária a do Dicesar. Sem qualquer preocupação com educação ou civilidade, não economizou nas grosserias e nas manifestações ograsdeseducadastraiçoeiras e até irresponsáveis. Esta última, pôde ser comprovada pela "sincera" opinião a respeito das formas de contágio do HIV. Também não faltou o igrediente 'violência' para completar a receita do "Homem Dourado". Durante uma bela tarde de sol na beira da piscina, resolveu desabafar à sua "aliada" e colega de confinamento,  Lia,  a saudade das suas "aventuras inusitadas" com os amigos, dentre as quais a de encherem a cara e saírem por aí quebrando um bar.
Enfim, como dito, a sentença deste último julgamento caberá exclusivamente à consciência de cada pessoa que vota e assiste ao BBB10. Se manipulação não houver por parte dos produtores do programa, creio que o resultado tem grande possibilidade de ser justo  como o foi no  "caso Nordoni".
Não   diria  que  o  que  está  sendo julgado  é  o   preconceito versus a homossexualidade, mas a  civilidade versus  a incivilidade.
Faça mais do que contribuir com os milhões de reais para a emissora responsável pelo Big Brother Brasil, vote com consciência. A idade da pedra já passou há muito tempo. O que buscamos é nos distanciar cada vez mais dela.
Para o voto de hoje, acesse o link aqui.

5 comentários:

  1. Com certeza não dá pra comparar a gravidade dos dois casos, mas, como vc disse, os dois teve grande notariedade no país todo.
    Ontem, eu tava assistindo ao vivo pela tv a leitura da sentença do casal Nardoni. E quando o juiz revelou que eles foram condenados, eu lavei a minha alma. Espero que hoje a noite eu tenha a mesma sensação de alma lavada quando o Dicesar vencer o outro no Paredão

    ResponderExcluir
  2. Oi Will. Que bom ter vc de volta. Também acompanhei o caso Nordoni e torci pela condenção máxima. Apesar de o BBB10 ter outra concepção, não deixa de ser um julgamento nacional. Resta agora a decisão do público. Votei muito hoje (rs).
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. É...O tiro saiu pela culatra. Caso encerrado.

    ResponderExcluir
  4. Quem sabe hoje a Fê ganhe o Dourado. Nas enquetes nos sites, os dois estão praticamente empatados. Na verdade, eu gostaria que o Cadu ganhasse o BBB, mas, segundo as enquetes, ele não tem mais chance. A decisão está entre Fê e Dourado.
    Também votei muito nele no paredão dele com o Dicesar rsrs

    ResponderExcluir
  5. Oi Will. Dessa vez nem me dei ao trabalho. Não faz a menor diferença prá mim.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.