(Imagem:"Pixel Endo)"
Talvez não traga novidades sobre relações homoafetivas entre mulheres, principalmente para elas, as 'sapas', lésbicas, etc. A intenção é a de expor uma visão baseada em experiências com amigas, personalidades e personagens da literatura. Enfim, é um panorama particular. Talvez seja romântico demais para uns, mas reflete o que sinto.

Para começar, busquei uma fotografia que combinasse com a linha de raciocínio que tracei e fizesse a inspiração fluir. Dentre outras (maravilhosas), encontrei no 'Flickr' duas que ilustram bem esta postagem. A escolhida acima tem o título "The kiss" e chamou a atenção pelas cores singelas, pelo romantismo e por transluzir uma sensualidade quase lasciva. Até sinto um aroma delicioso, estilo "Chanel", vindo dessas mulheres.

Falar sobre mulheres, de modo geral, é falar do sublime. Acredito ser esta a sensação de todos, mesmo para os que não conseguem expressá-la. Quando pensamos nelas, o cérebro parece alterar completamente o "pano de fundo" passando para um cenário mais encantador.

No universo gay, a variedade de estilos e comportamentos das mulheres é grande, assim como a dos homens. As mais jovens geralmente preferem demonstrar personalidade e coragem pela forma como se vestem e se expressam. Outras, adotam postura mais intelectualizada e focada para a profissão (geralmente bem sucedida), sem maiores preocupações com visual ou com vaidade. Há as diametralmente opostas: muito femininas ou muito masculinas.

Por outro lado, existe uma singularidade no comportamento e na forma de encarar o relacionamento homoafetivo que as diferem dos homens. 

Quando observamos duas mulheres se flertando, independentemente de serem  mais ou menos femininas, percebemos instantaneamente algo mais que puro desejo. Existe uma admiração mútua que emana do olhar. A aproximação é física, mas é também psíquica. Deve ser por causa da cumplicidade delas por pertencerem ao chamado sexo frágil, mas saberem que, frágil ou não, não fogem à luta.

Mulheres gays namoram menos e casam mais do que homens gays. E mais rápido.

Aconteceu com algumas amigas de começarem a namorar e, pouco tempo depois, eu perguntava como estava o namoro e ouvia que estavam morando juntas. Nesse momento, o ciclo se completa. Elas se sentem mais realizadas e protegidas num mundo verdadeiramente cor-de-rosa, longe das interferências de seres estranhos, como os homens -- no alto de sua prepotente masculinidade.

A convivência entre duas pessoas, independentemente de orientação sexual, é complexo e não seria diferente com mulheres que se amam e partilham suas vidas. Mesmo assim, imagino um aconchego no ambiente dividido por elas. Sinto um esforço maior de transformá-lo num lar protegido. As vejo mais concentradas na vida, valorizando coisas simples, momentos rotineiros e íntimos, como assistir juntas ao filme desejado em frente à tevê.

Pode parece ser contraditório, mas, se fosse mulher, eu gostaria de ser lésbica e casar com uma única mulher. Pra sempre.

Parabéns a todas as mulheres.


4 comentários:

  1. LIndo , Junior, lindo , nunca li um texto tão perfeito , menos ainda esperei ler escrito por um homem , vc é mesmo raro , parabens, abçs

    ResponderExcluir
  2. concordo com a Silvia! muito lindo *-* e é incrível pq foi escrito por um homem, mas tem detalhes tão perfeitos que vc nem acredita que não foi uma garota que escreveu!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado meninas. Esse 'post' é um dos meus preferidos. Adorei tê-lo escrito.
    Biah, seja bem vinda ao NG.
    Bjus.

    ResponderExcluir
  4. interessante o universo feminino.quanto ao autor do texto, parece ser hetero, né? acho que o tema é bastante abrangente, principalmente por que duas mulheres emocionalmente comprometidas entre si , seria singeleza em dose dupla. o homosexualismo feminino desperta uma curiosidade enorme.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.