Devemos viver com o foco no hoje pra garantir um amanhã melhor. Tudo bem. Mas todo mundo as vezes se pega imaginando como estaria daqui a 20, 30 ou 40 anos.  A saúde deve ser o principal desejo, porém há outras situações sobre as quais temos curiosidade: casado(a) ou solteiro(a), muitos, poucos ou sem amigos, pobre ou rico(a), alegre ou rabujento(a). Com ou sem plástica?
Ninguém gosta de envelhecer. Fato. E a plástica, "lifting", botox, preenchimentos ou seja lá o nome que você quiser usar já fazem parte dos planos de mais da metade da população. Andei fuçando tantas fotos bizarras na internet. Aquelas de cirurgias mal sucedidas de famosos, sabe? Cheguei a pensar em trazer algumas, mas não me senti bem com a idéia. Afinal, já deve ser uma merda passar por isso e pior ainda se for famoso.
O problema é a picaretagem de alguns profissionais e os casos bem sucedidos estão se tornando raros. Exemplo: Demi Moore. Hmmm, quem mais? A Madonna? Não tenho certeza, mas tão dizendo por aí que ela se dará de presente de aniversário - em agosto - 200 mil dólares de plásticas pelo corpo e rosto. Serviço completo. Imagina o alvoroço dos paparazzi. E por falar nela, fui checar aquele programa on line de envelhecimento, no qual você põe uma foto e ele faz a transformação simulando a pessoa daqui a 20 ou 30 anos. Peguei algumas de famosos na internet, inclusive de quando eram crianças, e veja o que aconteceu. Esse aí, do lado esquerdo, é o Serginho (do BBB10), envelhecido 20 anos na foto tirada quando criança. Ficou legal porque parece com ele mesmo - sem a maquiagem.
Outra testada por foto de quando era criança foi a Björk (ótima).
A cantora Madonna, sem as plásticas, teria ficado mais ou menos como na foto que encabeça essa postagem, juntamente com a de Rick Martin (melhor de todos).
Para testar a sua foto, o endereço é: http://www.in20years.com/.

Um comentário:

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.