"A proposta é restabelecer o direito das pessoas de serem normais. [...] Também serão punidos aqueles que impedirem ou restringirem a expressão da afetividade em locais públicos ou privados abertos ao público."
Está pensando que leu parte de algum projeto de lei contra a homofobia? Errou. Pasme, trata-se de um projeto de lei, sim, mas para criminalizar a heterofobia, com penas que podem chegar até 3 anos de prisão.
A proposta ainda por cima tem um forte apelo de segregação. Enquanto o PL 122/2006, que tramita no Congresso, pretende tornar crime o ato de discriminar os homossexuais - com o intuito óbvio de diminuir as diferenças e reunir as pessoas -  ele quer lançar mão de um projeto para piorar a situação atual. Ou seja, não apenas manter o preconceito e os crimes praticados contra os homossexuais nos patamares atuais - haja vista o recentíssimo e bárbaro assassinato do menor Alexandre Thomé Ivo Rojão (na foto ao lado) -, como também criar incentivos para mais pessoas do mal fazerem isso. 
Uma temeridade justificar o projeto com a alegação de que os homossexuais barram a entrada de heterossexuais nos locais LGBT. Palhaçada. Desde quando um heterossexual escreve na testa "sou hétero" para pegar fila em boate gay?
Uma baixeza utilizar um tema tão pesaroso como o limitado  ir e vir dos homossexuais para contrapor o vasto campo de liberdade de ir e vir dos heterossexuais. Todos sabemos, inclusive ele, que os guetos foram formados para os homossexuais não levarem coiós dos heterossexuais preconceituosos ao serem eventualmente abordados por um gay desavisado ou simplesmente para poderem trocar carinhos com os seus pares sem riscos nem holofotes em cima. 
Quem afinal seriam as pessoas que estariam discriminando os heterossexuais, as quais o autor do projeto se refere? Ele próprios? Faz-me rir.
Será improvável, eu diria até impossível, a aprovação. Assim como os nossos representantes do Congresso não têm colhão para erguer bandeiras a favor das causas LGBT mais importantes, também não o têm para humilhá-las e usar o Poder Legislativo para patuscadas ou zombarias, que é onde se classifica este projeto do Sr. Fulano Cunha. Ou seria Sr. Eduardo Fulano? Algo assim. Fato é que ele é do Rio de Janeiro.
Ele sabe das poucas chances, porém sabe também que conseguiria dar pinta na mídia e quiçá simpatizantes. Se o Marcelo Dourado conseguiu ganhar R$ 1.500.000 e vários fãs por isso, por que não tentar, não é mesmo?
Fico indignado é de não haver uma comissão exclusiva no Congresso para punir severamente os responsáveis pelos projetos de lei contrários aos interesses da sociedade, elaborados para chacotear quem ou o que quer que seja, ou com o objetivo de polemizar desnecessariamente para aparecer, como é o caso do Sr. Fulano.
Imagine o quanto de tempo disponível teve o sujeito para elaborar este projeto de leitão. E o prejuízo aos cofres públicos - nosso dinheiro tomado pelos impostos - para manter o leitão? Ele ganha muito bem para isso, ou seja, pra nada. Quer brincar de aparecer, deputado? Vai ao programa Pânico.
Fonte: Portal R7.

7 comentários:

  1. Quando esses palhaços, e boa parte da humanidade, vai deixar de usar a forma como as pessoas fazem sexo e vivem sua vida afetiva para justificar prerversidade

    ResponderExcluir
  2. Não é, Alex? O que me indignou foi esse palhaço esfregar na nossa cara que não tem mais o que fazer.

    ResponderExcluir
  3. E o que me deixa ainda mais indignado não é a existência de um idiota desumano desse entre os humanos, mas sim muitos humanos ainda votarem nele!

    ResponderExcluir
  4. Verdade, tá querendo polimizar desnecessariamente. Eu já tinha lido essa notícia em outro lugar, e ele disse que não tem expectativa que o projeto seja aprovado, mas é mais apenas pra criar um ''contraponto'' ao projeto contra a homofobia. E, criar contraponto a um projeto que se faz tão necessário quanto esse não faz cabimento.

    Outro dia, num programa de rádio daqui do RS (do estilo da Jovem Pan), quando a homofobia estava sendo discutida, teve alguém que acusou de heterofobia um gay que deu em cima de um hétero. Tipo, como se fosse uma desonra para um hétero ter sido paquerado por um gay, por ter sua heterossexualidade desrespeitada. Sendo que esse hétero (um dos locutores do programa) agrediu o gay que o paquerou.
    Ou seja, alguns héteros acham que tem direito de agredir os gays que, porventura, deram em cima dele, e usam a desculpa que tiveram sua heterossaxualidade desrespeitada (a pseudo heterofobia). Sendo que eles dão em cima de tudo o que é mulher, e tem o maior orgulho disso.

    ResponderExcluir
  5. Cara eu naum entendo de leis , nem de nada.E tenho plena certeza de que sou um jovem de 21 anos completamente aluado e cabeça oca.

    Mas falo do fundo do meu coração.Eu gostaria muito de fazer algo em relação a esse caso do Alexandre ivo.Li o texto do carlos alexandre do blog Direitos fundamentais LGBT e fique irritado ao ter percebido o descaso com que o caso está sendo tratado.

    Cara, eu sinto que preciso fazer algo, só naum sei o que.Nem que seja pra mandar um email pra um deputado, senador,ou para a própria rede globo pedindo que a noticia seja apresentada em horário nobre...sei lá... só sei que quero muito fazer algo.

    Vc tem alguma idéia do que eu posso fazer?
    Nem que eu tenha que criar uma campanha no orkut velho.Só sei que toh puto aki!

    ResponderExcluir
  6. Oi Willians.
    Pessoas assim, citadas por você, estão inseguras quanto a sua sexualidade e provavelmente morrem de medo que descubram ou desconfiem da sua possível iinclinação homossexual.
    Os que não têm dúvidas, sejam os heterossexuais ou os homossexuais, não agem dessa forma. E esses que ficam no meio, é que são o perigo.
    Obrigado. Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Lito, acho muito digno de sua parte. Pequenos atos, no sentido de não nos dar trabalho, podem fazer a diferença. Eu creio que além de participar de passeatas, as que lutam pela igualdade aos gays (inclusive terá uma hj, em São Gonçalo, para gritar por justiça ao Alexandre), nós podemos utilizar os sites das instituições competentes que cuidam de casos assim, nos colocando como cidadãos honestos, homossexuais e, acima de tudo, horrorizados com tais crimes, o preconceito que ainda impera e suplicar por uma investigação, denúncia e julgamento dignos e bem realizados para colocar e manter criminosos assim na cadeia.
    Algumas das instituições, as quais mencionei acima, são:

    * Portal do Min. Público do RJ:
    http://www.mp.rj.gov.br/portal/page/portal/Internet

    * Delegacia Virtual do RJ:
    https://dedic.pcivil.rj.gov.br/principal.aspx

    * Tem até o Site da Presidência da República, se lhe interessar:
    http://www.presidencia.gov.br

    Todos têm links para correspondências virtuais e informações importantes.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.