Venho acompanhando com muito gosto a novela das seis, da Rede Globo: Escrito nas Estrelas. Ela aborda as divergências entre a espiritualidade e a ciência. Não há personagens homossexuais, nem se trata de uma comédia como a nova novela das sete, "ti ti ti", sobre a qual comentei aqui, na última terça-feira, a respeito da inovadora forma com a qual a escritora e novelista Maria Adelaide Amaral apresentou ao público o casal homossexual: Julinho e Osmar, interpretados por André Arteche e Gustavo Leão, respectivamente (para ler, clique aqui).
Até parece que me tornei comentarista das novelas dessa emissora ou que estou fazendo propaganda [risos]. Não estou e nem me preocuparei com isso. A Globo, óbvio, não precisa de mim ou do meu blog para isso e o propósito desta vez não é discutir o folhetim em si, muito embora não poderei deixar de elogiá-lo e o elenco que é um primor. Destaque para o trio que interpreta os anjos ou  guias espirituais do personagem Daniel (Jayme Matarazzo Filho) que desencarnou logo no início da novela: Carlos Vereza, Cássia Kiss Magro e o jovem Alexandre Rodrigues (como o anjo Seth - foto), excelente ao lado de atores consagrados da teledramaturgia brasileira, por quem tenho grande admiração.
Então, a novela tem feito com que o espiritismo seja um tema recorrente no meu cotidiano nas últimas semanas. De verdade, sempre tive uma atração pelo assunto. Cheguei a ler poucos livros psicografados por Chico Xavier e frequentar alguns centros em busca de cursos e orientação, porém, não dei prosseguimento e há anos não desenvolvo a minha religiosidade baseada nas doutrinas espíritas. 
Coincidência ou não, no início da semana estava eu visitando os blogs que estão na minha lista de atualização, quando deparei com uma postagem sobre sonhos, escrita por Rafael -- do blog "Baú do Jamal" --, a qual me fez reviver e descrever uma passagem da minha infância que marcou, claro.
Finalizarei a postagem transcrevendo o comentário que deixei lá registrado, na íntegra, o qual revela o porquê dessa atração pelo tema aqui abordado. Leia abaixo.

"(...)Rafael, eu tenho sim um sonho de criança. Ou melhor, um sonho adulto que tem repercussão de algo que vivi na fase da primeira infância. Eu costumava ver pessoas ou partes delas, à noite, logo antes de dormir. Na ocasião, eu rezava muito e pedia para Papai do céu me livrar daquilo porque me assustava demais. Numa das vezes, tomei coragem, saí do meu quarto gritando pela casa e chorando. Acordei todo mundo, claro, mas a intenção era esta porque fez aquilo desaparecer. Sem explicar direito o que aconteceu, deixei todos confusos. Bom, para não me prolongar, a última vez que isso ocorreu foi numa noite em que eu já estava quase dormindo - a luz apagada e sem qualquer reflexo de luz - quando senti a aproximação de uma pessoa que, com as suas duas mãos, afagou os meus cabelos e, antes mesmo de o meu coração começar a pular, veio a voz, igualzinha a da minha mãe, e disse: xiiiii, calma, sou eu. Vim aqui para dizer que a partir de hoje você deve fazer essa oração que vou te ensinar todas as noites antes de dormir. Eu, muito sonolento, respondi: Ah, mãe, agora? Tô morrendo de sono...Suavemente ela insistiu: sim, agora. A seguir, me fez repetir a oração três vezes e perguntou: decorou? Sim, respondi. E fui entrando em sono profundo repetindo aquela oração não sei quantas vezes até apagar de vez. Dias depois, perguntei indiretamente à minha mãe sobre o episódio e ela disse não ter entrado no meu quarto naquela noite. Na hora, entendi tudo.Nunca mais tive as visões e até hoje repito a oração (infantil) três vezes antes de dormir. O sonho que eu tenho hoje é saber e reencontrar aquela pessoa que me fez tão bem naquela noite. Foi uma prova de proteção que espero ainda ter hoje em dia, mesmo que de forma invisível [nunca falei sobre isso publicamente e, já que você instigou, talvez contarei isso com mais detalhes no meu blog, um dia]."
20 de julho de 2010 16:31
Foto: "Bouguerlau: Psyche et LAmour - ReVision", Galeria de Centaurspics (Flickr).

2 comentários:

  1. Eu sou espírita, e portanto suspeito pra comentar favoravelmente. Acredito, trabalho, embora nunca tenha visto, ouvido. Mas tenho fé, convicta, e não me pergunte de onde vem, porque não sei.
    E contra, não posso, porque acredito firmemente na sua história e em todas vividas com desassombro e amor.
    Para além de nossas religiões, todas, há um universo que não compreendemos. Somos muito pequenos para isso.
    Mas há uma verdade, pra mim definitiva: fazer o bem, e tudo o mais seguirá seu destino, para nós ainda insondável.
    A nós, aqui, cabe escolher o caminho do bem o o outro, e deixar tudo o mais com quem entende disso, Ele, que sabe o que cabe a cada um de nós. Que sejamos todos dignos de seguir o caminho do bem. Isso é o que importa!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Junnior, que história essa tua. Eu também tenho uma experiência 'sobrenatural' dessas, que também nunca falei publicamente (e que, não vai ser agora, aqui no blog, que vou dizer rs).
    Eu acredito sim em espiritismo, vida após a morte, e tudo o mais.
    Antigamente, eu tinha curiosidade, e tentava instigar, sobre coisas desse tipo. Mas, mais pra um lado obscuro. E, com aquela experiência que citei ter, deixei de ter tanta curiosidade. Hoje em dia, eu, como a maioria das pessoas, tenho mais um interesse saudável sobre o assunto.
    Essa novela em particular, não tenho assistido. Mas, costumo assistir novelas com esse tema.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.