Givenchy, Vogue e Vanity Fair. O que uma das grifes e duas das revistas internacionais mais famosas do mundo da moda podem ter a ver com uma transexual? É surpreendente, mas tudo a ver, literalmente.

O inesperado é a notícia tão positiva sobre o rumo profissional da transexual Lea T.

Filha do ex-jogador de futebol Toninho Cerezo, a modelo, que até há pouco tempo era conhecida como Leandro, é a nova estrela brasileira do mundo da moda. Começou a carreira trabalhando como assistente do estilista italiano e diretor criativo da Givenchy, Ricardo Tisci, o responsável pela sua participação na campanha outono-inverno 2010/2011 da grife francesa (na foto acima, a segunda da direita para a esquerda).

A partir daí, a modelo agradou tanto que é matéria de uma página inteira da próxima edição da Vogue Paris --aparece como está na foto abaixo: nua em pelo-- e já foi entrevistada pela Vanity Fair italiana, para quem confessou a intenção de se submeter ao procedimento cirúrgico de troca de sexo, até o final deste ano.

Se, por um lado, a modelo vem sendo aceita, por outro, parece que a situação está um pouco mais complicada. Segundo os jornais, Toninho Cerezo se recusa a aceitar a orientação sexual de quem, para ele, continua sendo o seu filho, Leandro.

Sabemos todos que, no âmbito profissional, as transexuais sofrem mais do preconceito do que os gays. Estes têm a opção de assumir a orientação sexual mais tarde, após selecionados numa entrevista de emprego e se estabelecerem no ambiente de trabalho e na profissão. No caso delas, há o impacto e muitas portas são fechadas na cara. Sem a oportunidade de mostrarem o lado humano e a competência - e para sobreviverem na vida -, a maioria fica sujeita às profissões menos glamorosas ou aceitas socialmente.

Que Lea T. tenha sucesso na profissão; que a sua cirurgia seja bem sucedida; e que ela abra as tais portas para outras transexuais alcançarem, enfim, o tradicional mercado de trabalho.

Fotos: extraidas respectivamente dos sites: "The Fashionistc", "SRZD" e "Lilian Pacce".




Um comentário:

  1. Ela tem uma beleza diferente, exótica, meio rústica, mas é bonita. Essas revistas são realmente conceituadas, sinal de que essa Lea tá chamando bastante atenção. Outra brasileira conhecida pelo mundo \o/
    Triste que o pai dela não a aceite como ela é.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.