É sabido pelos quatro cantos que o ator Mel Gibson é machista, pouco tolerante e homofóbico assumido.

Há que se ter um pé atrás com pessoas que assumem posições radicais contrárias às diversidades do mundo e se colocam acima delas por se considerarem inatingíveis, "normais" ou até perfeitas.

Já dizia Caetano Veloso que de perto ninguém é normal. No caso de Gibson, a pianista e ex-namorada Oksana Grigorieva (na foto, ao lado do ator), que o diga.

Provavelmente farta de tantas agressões, Oksana gravou uma de suas conversas ao telefone com o ator, na qual o acusou - sempre de forma calma - de covarde por tê-la agredido fisicamente com a filha do ex-casal no colo. Dentre outras acusações, o chamou de egoísta e desequilibrado, mas o que impressiona mesmo é o modo pelo qual o ator "conversa" com a ex.

Totalmente fora de si, ele não parou de bufar ao telefone. Demonstra total falta de equilíbrio mental. Segundo a edição de hoje do Jornal Hoje, o ator ainda teria afirmado que a ex merecia morrer e ser enterrada no jardim.

A briga virou caso de polícia que ficou de investigar o teor das gravações e até os depoimentos de supostas testemunhas que poderiam confirmar as agressões sofridas pela pianista, como a do seu dentista que teria sido procurado para reparar um dente que fora quebrado por uma das agressões causadas pelo ex-namorado.

É o que a intolerância faz com as pessoas.

O teor da gravação foi disponibilizado no site americano "PerezHilton". Para ouvir as bufas do ator, clique aqui
Aviso aos fãs sensíveis do ator que o áudio contém palavras de baixo calão e  muito ódio.

Um comentário:

  1. Triste mundo esse. Bater em mulher e criança não é vergonhoso. É atitude de macho.
    Ser gay... a gente sabe o que gente como ele pensa.

    Mas olha, pode me chamar de orgulhoso, vaidoso. Pra ser um hétero escroto como ele, continuaria nascendo gay como sou mais cem vezes!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.