Trechos da "Justificativa" do próprio deputado para a aprovação do seu projeto de lei:
"O projeto de lei que ora submeto à apreciação da Câmara dos deputados visa a tornar explícita a proibição da adoção de crianças e adolescentes por "casais" compostos por homossexuais." (...)
"A adoção por casais homossexuais exporá a criança a sérios constrangimentos. Uma criança, cujos pais adotivos mantenham relacionamento homoafetivo, terá grandes dificuldades em explicar aos seus amigos e colegas de escola porque tem dois pais, sem nenhuma mãe, ou duas mães, sem nenhum pai. É dever do estado colocar a salvo a criança e o adolescente de situações que possam lhes causar embaraços, vexames e constrangimentos. A educação e a formação de crianças e adolescentes deve ser processada em ambiente adequado e favorável ao seu bom desenvolvimento intelectual, psicológico, moral e espiritual.."
Melhor nem continuar, senão eu vou vomitar...
Gente, em qual planeta vive esse homem? Pior é que ele é daqui mesmo, do Brasil. Quando eu digo que o poder faz algumas pessoas perderem a noção do bom senso, não é exagero.
Será que nos caminhos por onde esse sujeito passa não têm crianças de rua abandonadas à própria sorte e por este mesmo Estado, o qual, mais do que a obrigação de salvá-las de "situações embaraçosas", tem o dever maior de acolhê-las e destiná-las a um lar decente, com direito à assistência médica e à educação? Por acaso és um alienado, deputado federal? Ou é uma daquelas pessoas que passam por essas crianças e adolescentes de rua, sem enxergá-los, como se eles fossem invisíveis? O senhor já ouviu algum relato de adolescentes criados por homossexuais que tenham cometido crimes bárbaros como o praticado pelo adolescente que participou do assassinato de Elisa Samudio? Eu, nunca!
Ah, me poupe dessas asneiras. Só divulguei isso porque não é possível um sujeito zoar de crianças orfãs e/ou abandonadas País afora, vir à publico e pedir votos para se reeleger. Pior é que ele cumpre seu segundo mandato na câmara.
Chacota, sim senhor, pois são crianças ou adolescentes que podem receber, além de bens materiais, a atenção, o carinho e o amor de casais ou indivíduos homossexuais tão estáveis financeiramente quanto esse deputado - mas, com certeza, mais equilibrados emocionalmente. Sentimentos que essas crianças nunca receberam ou, a julgar pelo modo de pensar desse político, talvez nunca receberão.
Um projeto de lei dessa categoria é um retrocesso de idéias que nunca deveriam sair da mente de um representante do povo.
Fiquemos atentos para não reelegermos pessoas assim, que usam o nome de Deus, de Jesus e/ou de qualquer religião, para afundar o País junto com os seus projetos de lei nocivos à saúde pública.



Um comentário:

  1. Mais trite do que saber que existe um deputado assim, é saber que ele é deputado porque tem um monte de gente que pensa como ele, que vota nele.
    E outro monte de deputados que votam favoravelmente ao projeto.
    Não seria muito mais fácil deixar de constranger as pessoas por causa da sexualidade? Ou será que a sexualidade é algo assim tão importante que tem que ser considerada em praça pública?

    É um direito dele apresentar tal projeto.
    É uma obrigação das pessoas sérias darem, ao projeto, o tratamento que uma sociedade minimamente civilizada merece.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.