Primeiro foi o deputado federal Zequinha Marinho (foto à direita) com o seu esdrúxulo projeto de lei que visou "tornar explícita a proibição da adoção de crianças e adolescentes por casais formados por homossexuais" (sobre isto, clique aqui para ler), agora, surgiu outro trocista para fechar a atração do circo chamado Congresso Nacional.
Refiro-me ao deputado federal Eduardo Cunha que acaba de apresentar o seu projeto de lei ao Congresso, no qual pretende punir com até três anos de prisão quem "discriminar outrem por causa de sua heterossexualidade ou contra este praticar atos de coação ou violência em razão da sua orientação heterossexual" (sic).
Parece um quadro de programa de humor, né não? Se bem que, quando o assunto é política brasileira, dá tudo na mesma. Você já reparou a quantidade de chacotas sendo feitas por anônimos e famosos no #twitter, a respeito dos candidatos para a próxima eleição, dentre os quais, o próprio Cunha que pretende se reeleger?
E eles ainda queriam proibir os seus colegas humoristas de imitarem as suas palhaçadas. E quase conseguiram! Se não fosse a liminar concedida pelo STF, no último dia 26 - a qual liberou sátiras aos políticos em campanha -, todos eles, os pretensos e os atuais políticos, estariam detendo exclusividade para caçoarem de nós, da sociedade (a medida foi apresentada pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV).
Pior é que só aqui, no Brasil, assistimos a esta espécie de espetáculo. Alguns jornais e sites internacionais já divulgaram o show para que os espectadores de fora do País se divirtam as nossas custas, como o "ELMUNDO.es".
Fotos: Google.

Um comentário:

  1. Esse é um campo complicado. Apesar de gay, eu sou contra o PLC 122, acho que ele realmente vai além do necessário e acaba interferindo na liberdade de expressão. Sou bem mais favorável a uma lei como a americana, que defende a liberdade de expressão acima de tudo ou de qualquer causa, incluindo a liberdade de falar bobagens. Aqui em SP existe uma lei contra a homofobia, mas é realmente contra a homofobia, acho que poderia ser proposto algo semelhante no plano nacional.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.