Lady Gaga outrora de férias no Hawai com um namorado.
A postagem de hoje será loosho, toda trabalhada na gíria usada pelas bees no #twitter. E não adianta fazer a Kátia, pois aposto que, se você (ainda) não usa, tem algum amiguenho que adoga escrever/falar assim e ahasa por lá, na rede social...
Eu bem que tentei fazer a egípcia com essa mania, mas não deu. Murry e estou burning pra comentar a respeito.
Quantas vezes por dia você lê alguém que acaba de acessar o #twitter e manda logo de cara um bom dchya? Isso só pra início de conversa. Daí pra frente segue com o "dialeto" inteiro. E se você protestar, mandar um "ai" que seja, correrá o risco de receber de volta um aham, Cláudia, senta lá ou então: se joga também, pintosa.
MeoDels, tô nude! Daqui a um tempo iremos encontrar no Aurélio que xóvem é o mesmo que jovem. Aloka!
Não é nenhuma mara trocar idéia com alguém assim, dessa forma, mas, gostando ou não, podchy se preparar. Daqui a pouquinho aquele amiguenho que você achava até meio careta escreverá assim pra você. #fikdik.  
Bom, djá chega, néam?
Uh, choray! Bjumeliga.

Clique aqui e veja também a postagem sobre o dicionário gay.

Tradução (na ordem das citações):
Uh, Lady Gaga: é uma expressão meio indefinida. No fundo, é só pra fazer graça mesmo.
Loosho: luxo.
Toda trabalhada: complemento de "toda trabalhada no brilho". Um elogio a sua aparência.
Bee (ou bi): bicha.
Fazer a Kátia: se recusar a enxergar algo que está patente. Referência à cantora cega, Kátia, que fez sucesso nos anos 80.
Amiguenho: amigo, amiguinho.
Adoga: adora.
Ahasa: arrasa.
Fazer a Egípcia: ficar indiferente; superior.
Murry: morri; não aguento mais.
Burning: agitado;ansioso.
Bom dchya: bom dia.
Aham, Claudia, senta lá: menosprezo. Referência à apresentadora Xuxa que já mandou essa para que uma criança voltasse para o seu lugar na platéia.
Se joga, pintosa: vai à luta.
MeoDels: Meu Deus!
Tô nude: choquei.
Aloka: interjeição de espanto consigo mesmo ou com uma manifestação tresloucada de alguém.
Mara: maravilha.
Podchy: pode.
Fikdik: fica a dica.
Djá: Já.
Néam: não é?
Choray: chorei.


Fonte: "revistaepoca.globo.com"
Foto: Grosby Group. Extraída do site "O Fuxico".

2 comentários:

  1. Pois é, eu já não entendia aquelas outras gírias que o pessoal costuma usar, até escrevi no blog (http://doisperdidosnanoite.blogspot.com/search/label/Vocabul%C3%A1rio%20Gay), agora vou ter de aprender mais um dialeto? kkk

    ResponderExcluir
  2. fazer a Kátia é de uma maldade engraçadíssima!
    Humor negro total!
    Que sacanagem!
    Beijo
    Cristina BR

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.