Dr. Roberto Miguel Rey Junior ou Dr. Robert Rey ou Dr. Hollywood, 48 anos é o cirurgião plástico das celebridades que dispensa maiores apresentações.

Todos sabemos da sua história, mas não custa relembrar pra impactar, né?
Saiu do bairro paulistano da Lapa aos 12 anos e foi morar nos E.U.A por intermédio de missionários cristãos americanos. Estes cristãos simplesmente bateram à sua porta, fizeram amizade com a família e a convenceu de que criar os quatro filhos do casal na terra do Tio Sam seria a melhor saída para aquela miséria em que viviam todos.

A partir de então, proporcionaram boas escolas aos garotos e, no caso do Roberto, a faculdade de medicina. Já estabelecido na vida, chegou até a fazer um mestrado em Harvard. E o resto você já sabe.

Que o cara é phoda ninguém pode contestar. Não é todo mundo que sabe aproveitar todas as oportunidades que a vida oferece e chegar aonde ele chegou - numa mansão em Beverly Hills, tá meu bem? Mas, contudo, todavia, porém e por isso mesmo, por que ele se expressa de uma forma tão cafona extravagente? Há algo de bizarro naquelas caras, bocas, cabelo, trejeitos, sotaque e roupas de gosto pra lá de duvidoso, né não?


Uma coisa é a pessoa usar um terno estiloso, com risca de giz, colocar uma gravata rosa cheguei, o lenço da mesma cor, ir pra um evento e dar pinta de que tem personalidade. Vez e outra, lá longe, tudo bem. Mas, quando aparece no evento seguinte usando uma roupa ainda mais excêntrica, com o cabelo com mechas loiras, aí muda tudo.

Casado há anos com uma canadense muito bonita, pai de dois filhos, ele reafirma sua heterossexualide e alega que, do Brasil, só levou consigo o lado bom; que esse negócio de machismo não é com ele. Pra mim, não há problema algum em dizer que acho um homem bonito, se for o caso, provoca o médico que sonha ser, no futuro, o governador da Califórnia.

Mas, antes de entrar na política, ele está investindo bastante no Brasil. Além de renovar contrato na Rede TV!, o médico pretende inaugurar um SPA na capital paulista até o primeiro semestre de 2011.

Ok, mas o dr. Rey tá quase uma Elke Maravilha de calças e já tem gente o chamando de Dr. Queima Rosca. Eita, povo invejoso!

7 comentários:

  1. Essa é a diferença entre um país civilizado e o nosso. Estava conversando com o maridão sobre isso no fim de semana. Você vê o brasileiro chegar nos EUA sem nada e se dar bem na vida, pois lá "ganhar dinheiro" não é pecado, muito pelo contrário, a cultura da prosperidade - herança da ética protestante - é o que vale. Para muita gente deve ser um horror, eu acho ótimo.
    Sobre o Dr., é aquela velha história de assimilar feminilidade à homossexualidade. O cara pode sim ter elementos tidos como femininos e ser hétero, assim com o para ser gay não é necessário ser feminino.

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem ... mas q ele tem tudo de quem queima a rosquinha ... ah! isto tem!! rs

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  3. Bom, a imagem de fato deixa a desejar, no bom sentido, ate porque um vencedor na vida importa se é do ramo colorido? alias, seria otimo que ele fosse, bjs!

    ResponderExcluir
  4. Já vi muito bombadão fortão com jeito de machão e que na cama é uma boneca...

    Deixem o Dr Rey em paz!

    ResponderExcluir
  5. Dr.Rey é um cirgião plástico e a maioria de sua clientes são mulheres e se ele fosse um "machão"(aquele estereótipo que conhecemos),como seria uma consulta,imaginem? Ele tem que ter delicadeza,leveza e sensibilidade... vejo sempre que posso seu programa gosto muito de como ele trata suas clientes.

    ResponderExcluir
  6. kkkkkkkkkkkkkkkkk


    gente seenxerga isso eh uma bichonaaaa naum tenho duvidas

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.