Tomek Szczukiecki, 18º no ranking top50 (models.com)
Numa recente matéria do New York Times ("From Boys To Men" - "De Meninos para Homens"), publicada no dia 15, o jornalista Guy Trebay escreveu que os modelos masculinos estão cada vez mais se distanciando da imagem predominantemente máscula de alguns anos atrás.
Tyler Riggs, 23º no ranking dos top50.
Eu já percebia em alguns modelos a figura esquálida e até andrógina, mas concluí que o motivo só poderia ser igual ao das modelos do sexo feminino. Ou seja, se os estilistas querem que os corpos delas sirvam de meros cabides para o caimento perfeito das roupas durante os desfiles nas passarelas, nada mais 'natural' então que o mesmo ocorra com os modelos masculinos. Seria tragicômico, por exemplo, ver um modelo com o corpo do lutador Vitor Belfort desfilando numa passarela com uma calça skinning.

Engano meu. Segundo a matéria do jornal americano, o protótipo foi impulsionado pela Dior que, há quase uma década, lançou editoriais publicitários e desfiles com modelos magros e muito jovens, bem diferentes das imagens masculinas tradicionais. O homem Dior era tão influente que gerou uma série de imitadores, temporada após temporada, atingindo o perfil que vemos hoje em dia.
Mas, ao que parece, os "twinks" estão com os dias contados. Os grandes editores das maiores revistas de moda e os empresários do ramo já começaram a rejeitar modelos muito jovens e magros nos seus editoriais. Não é meramente uma questão de tipo de corpo, esclarece Jim Nelson, editor da GQ Magazine: Quando as pessoas  folheiam a GQ, não queremos que sintam como se estivessem vendo um editorial juvenil; para adolescentes de 16 anos de idade. Um dos supermodelos da década de 1990, Mark Vanderloo (nas duas fotos acima), é considerado ainda hoje o padrão ouro dos modelos do sexo masculino. Ele atua em trabalhos editoriais.

Segundo outros depoimentos da matéria, a tendência está ganhando força talvez pelo fato de os estilistas, que estavam no poder há dez anos, não serem mais tão poderosos. A prioridade hoje deve ser focada na economia; no leitor que deseja se ver nas páginas das revistas, conclui Dan Peres, editor-chefe da revista "Details".
Mesmo Prada e Louis Vuitton, que até há pouco tempo utilizavam modelos jovens e magros, aderiram à nova/antiga tendência na recente temporada de desfiles. As revistas "Vogue Hommes International Paris" e "V Man" trouxeram nas últimas edições topmodels masculinos de décadas atrás. 
A primeira, mostrou na capa o mega famoso modelo dos anos 1970, Matt Collins, o belo sessentão da foto mais acima. A VMan, exibe na capa o ator Josh Brolin, 42 anos, e resgatou o topmodel dos anos 1980, Jeff Aquilon (fotos à esq e à dir). Ambas discutem o tabu da idade na indústria da moda. Uma prova de que o assunto é sério mesmo.

5 comentários:

  1. Eu acho que homem com corpão deve desfilar na moda primavera/verão e homem magro na moda outono/inverno, assim todos ficam felizes e satisfeitos...

    ResponderExcluir
  2. Felizmente caíram na real né? Nem q seja pela força do dinheiro eles passaram a ver q beleza masculina é muito mais do q estas coisas insossas q eles gostam de valorizar nos dias de hoje ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  3. concordo que pode haver um bom uso dos dois tipos ate porque nao adianta tb expor so modelos bombados, pq nao existe so esse tipo de homem no mundo.Ai como os magros vao se vestir com os modelos apresentados pra quem tem corpão?

    ResponderExcluir
  4. Pessoal,a questão nem é o tamanho do corpo do modelo, mas que ele fundamentalmente transmita masculinidade.
    Durante a edição das fotos da postagem acima, o Blogger "comeu" um parágrafo e só percebi agora.
    Nele, os editores das grandes revistas declararam a intenção de se resgatar modelos que passem a imagem do homem trabalhador e de personalidade; o arquétipo do pai, e não os "twinks" de agora. Um deles até comentou: "Queremos modelos de rostos quadrados; que até tenham envelhecido um pouco, e não esses garotos que comparecem aos eventos acompanhados de suas mães."

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.