Acompanho o seu blog há algum tempo e nunca me manifestei. Meu nome é Bruno, tenho 23 anos e gostaria que você lesse a minha história. Se gostar, pode contar no seu blog. Você pode escrever do seu seu jeito, mas gostaria que fosse fiel aos detalhes, tenho muita vontade de saber o que outras pessoas pensam e se vivem algo assim.
Muita coisa aconteceu na minha vida e eu nunca contei a ninguém. Namoro uma garota da minha idade, a gente não transou, mas quero me casar com ela. Sei que eu sou gay e não duvido disso, mas escondo de todo mundo porque não consigo imaginar ser apontado na rua. Tenho amigos e colegas de faculdade, todos heterossexuais e finjo que sou também. Não sou afeminado e ninguém percebe. As vezes minto, invento estórias e situações com mulheres e vou vivendo essa vida dupla. Meus pais e minha irmã mais velha são religiosos e não aceitam. Aqui em casa não tem clima.
Tudo começou aos 10 anos com um primo de 12. Nossa diferença física era grande. Eu parecia ter 7 ou 8 anos e ele com 12 parecia ter 16 anos.
Enquanto eu era tímido e sensível, ele era expansivo e tinha muitos amigos. Eu gostava de brincar mais com as minhas primas (irmãs dele) do que com meus primos. Na escola, era com as meninas que eu gostava de passar o recreio. Os garotos conversavam comigo para dizer que eu parecia mulher, que tinha jeito afeminado, etc. Aquilo era triste, eu achava que faziam aquilo para me humilhar, mas não percebia que eu podia ser daquele jeito mesmo.
Eu gostava de me divertir na companhia das meninas, me identificava mais. Quando outro menino se aproximava com "papo de homem" eu ficava nervoso, sem reação, tentava disfarçar.
Um garoto de uns 11 ou 12 anos se aproximou uma vez e disse que já tinha pentelhos. Ele arriou a bermuda, mostrou os pelos bem crescidos e perguntou se eu também possuía. Com 10 anos, não tinha nem sinal deles, mas já havia visto e tocado nos do meu primo. Mas eu respondi que sim. Ele duvidou e pediu para mostrar. Muito nervoso, eu saí correndo.
Depois eu conto como foi a aproximação do meu primo, ele foi esperto. Se chegou devagar nas minhas primas para "brincar" com a gente, mas o que ele queria mesmo já estava planejado.

...Continua em: "Como Começou a Minha Sexualidade (História de um Leitor) - Final"
Imagens: "CaliforniaBoys Series", Galeria de  Iwood, Flickr (a foto foi editada).


7 comentários:

  1. Acontece com bem mais pessoas do que a gente pensa. Comigo mesmo, ãté os 20 e poucos eu só tinha namorado garotas, mas era de verdade, não era para me esconder. Sentia atração física por caras, mas nunca tinha gostado de um, então tinha dúvidas naturais. Quando aconteceu de sentir as duas coisas, aí as dúvidas se foram...

    Sobre as outras questões do post, confesso que sou meio cabreiro com esses relatos sexuais com menores.

    ResponderExcluir
  2. Pois então Bruno, esta sua história é parecida com a de muitos outros jovens como vc. O q posso lhe dizer é q cada um tem o seu tempo mas fugir da verdade e encobri-la com mentiras para vc mesmo ou mesmo para os outros é o pior caminho q se pode escolher ... isto só trará sofrimentos maiores para vc e para os outros q vc possa arrastar para ela. O assumirmos como somos é o único caminho digno q a vida nos oferece e te digo mais ... não é tão difícil nem tão complicado qto parece ser ... mas enfim ... a vida é sua e as escolhas são suas ... espero q um dia vc se encontre e faça as escolhas acertadas para o seu próprio bem e dos outros tb ...
    Só como referência para vc, tenho 60 anos, portanto sou de um tempo em q as coisas eram bem mais difíceis q hoje ... tomei meu caminho, fiz minhas escolhas e me dei muito bem com amigos, com família e principalmente comigo mesmo. Hoje estou casado com outro cara há 36 anos ... reflita e perceba q nada é impossível desde q tenhamos força e coragem para buscarmos nossa felicidade.

    Ao amigo Junior o meu agradecimento pelo carinho por lá ... tb em nome da Marida ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  3. As dúvidas do colega são de muitos. A solução por ele delineada -- casar, fugir de si mesmo --, porém, na minha opinião, não será a mais apropriada pra vida de ninguém.

    Mas, é a vida dele. Só ele pode decidir. Não podemos ajudar muito.

    A única coisa, se ajudar, seria dizer que hoje, ele sendo jovem e dependente financeiramente, pode parecer impossível assumir-se. Mas, com o tempo, ele verá que não é assim. O melhor seria ir dando um tempo e não adiantar nada que pudesse fazer outras pessoas infelizes.

    Mas, enfim...

    ResponderExcluir
  4. eu nunca tive a oportunidade de esconder, mas eu entendo perfeitamente o q eu vc faz. se eu pudesse, se pudesse esconder q sou gay, provavelmente viveria exatamente como vc, infelizmente ao contrário de vc tenho trejeitos demais para esconder.

    ResponderExcluir
  5. Adorei a imagem, posta ela inteira

    ResponderExcluir
  6. Queria saber a historia do bruno com o primo dele !!!

    ResponderExcluir
  7. Winchester: acrescentei o link abaixo da postagem. Clique nele e chegará ao final da história do Bruno.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.