Num bate-papo de mesa, uma mãe conversa com um certo deputado federal:

Mãe: Deputado, estou preocupada com o meu filho mais velho. Ele tem um jeitinho meio afeminado...Será que ele é gay?
Deputado: Isso daí tem jeito. Quando os pais percebem que o filho começa a ficar assim, meio gayzinho, leva um couro nele. Ele muda rapidinho.
Mãe: Mas eu não costumo bater nos meu filhos, deputado. Os educadores mais prestigiados dizem que não resolve nada. Pode gerar revoltas...
Deputado: ....Que revolta o quê? Olha, eu vejo muita gente por aí dizendo assim: Ainda bem que eu levei umas palmadas. Meu pai me ensinou a ser homem. Filho gay é falta de couro!
Mãe: Fiquei com uma dúvida, deputado. Se filho gay é falta de couro, pro senhor, filho homofóbico é falta de quê?

O diálogo é uma adaptação, mas o papo houve e as blasfêmias palavras do deputado também. Só não foi numa mesa qualquer, mas no programa "Participação Popular", da TV Câmara

O deputado, claro, só pode ser Jair Bolsonaro do PP-RJ (foto), conhecido por declarações polêmicas no plenário e, pasme, membro da Comissão de Direitos Humanos da Câmara

O tema do programa era o projeto de lei que pretende proibir qualquer tipo de agressão corporal na educação dos filhos e contou com a presença do também deputado e presidente da Frente Parlamentar da Criança e do Adolescente, Paulo Henrique Lustosa (PMDB-CE). Além deles, participaram mães e o público em geral.

Pena ninguém ter feito a última pergunta do diálogo adaptado acima. A opinião do Bolsonaro sobre educação ficaria completa.
Assista aqui ao vídeo.

5 comentários:

  1. no caso, a pergunta teria q ter sido feita por outra mãe né?

    ResponderExcluir
  2. mas quem coloca estes caras lá né? Bolsonaro, Crivela, Tiririca, etc etc etc

    amigo ... como dizem por aí estamos PHODIDOS ...

    ;-)

    ResponderExcluir
  3. Af... Ele deve e correr atraz de uns bophes quando niguem está olhando!

    ResponderExcluir
  4. eu acho que se levar o título da postagem pro lado sexual o filho vai ficar bem mais feliz...

    ResponderExcluir
  5. E, mais tarde, ninguém tirou satisfações com ele? Ficou por assim mesmo?

    Porque será que não me surpreendo...

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.