É isso mesmo. A Unidos da Tijuca, uma da mais tradicionais escolas de samba do Rio de Janeiro, adotou a novidade que vem causando curiosidades e polêmicas. Na verdade, o seu uso é destinado para todos os gays, de sexo masculino e feminino (LGBT).

Confesso que já havia pensado na hipótese algumas vezes, mas, claro, de forma prática, sem levar em conta as repercussões sociais que estão surgindo. 

Se pessoas heterossexuais ficam constrangidos se olhados demoradamente por alguém do sexo oposto enquanto ajeitam a cueca, seguram o 'bilau', levantam a saia, etc, e as mulheres arreiam os sutiãs, as calcinhas para ajeitar os seios e a 'chica', enfim, da mesma forma ficarão sabendo que há gay ou lésbica com a mesma intenção no banheiro. Pior ainda deve ser o receio de serem abordados por alguém que não lhes atrai sexualmente.

Por outro lado, você já pensou também nos outros constrangimentos que podem ocorrer se banheiros públicos fossem de uso comum para ambos os sexos? As pegações de gays seriam fichinhas perto das que os héteros aprontariam nos "banheirões" da vida. Em matéria de safadeza os homens héteros não ficam atrás de ninguém. É melhor nem dar idéia.

Raciocine: se o principal motivo for o constrangimento - segundo alegou a escola -, a iniciativa poderá criar outras situações embaraçosas: o gay do sexo masculino ficará à vontade de, após urinar, dar aquela balançada demorada no 'bilau' ao lado de uma lésbica?

Pra não parecer que fiquei em cima do muro nessa questão, serei mais claro. Achei a ideia legal. Afinal de contas, o principal objetivo do banheiro é aliviar as necessidades fisiológicas. Para isso, devemos todos ficar à vontade. 

5 comentários:

  1. eu super aprovo a idéia ... tudo mais tranquilo e sereno né?

    bjão

    ;-)

    ResponderExcluir
  2. bem, neste caso, é necessário escolher: vc vai dividir o banheiro por gênero (masculino/feminino) ou por sexo (hétero/homo/bi/trans)

    ResponderExcluir
  3. Se as pessoas usassem o banheiro apenas para sua finalidade real, não haveria menor necessidade de banheiro gay. Lá na faculdade mesmo nós temos alunos (as) travestis e elas sempre usaram o banheiro feminino, sem maiores problemas. As baladas gays em geral têm banheiro unissex e também não tenho notícias de problemas pelo uso comum.

    O problema é a tal "pegação". É constrangedor para mim, que sou gay, entrar num banheiro e perceber que o cara do lado está lá pra isso, deixo perceber na hora que não gosto e pronto. Fico imaginando o cara que é hétero, e que se fizer qualquer coisa ainda vai ser acusado de homofóbico.

    ResponderExcluir
  4. ps. o cara da primeira foto (terno escuro) é a minha cara...kkk mas não sou eu.

    ResponderExcluir
  5. Concordo com o DPNN. Se banheiro fosse lugar só pra necessidades fisiológicas, por que separar? Será que nem num banheiro as pessoas são capazes de conviver civilizadamente?

    Em todo caso, democraticamente, se houver clientela e pessoas que sentem necessidade desse tipo de banheiro, melhor assim! O uso ou desuso pela comunidade dirá se são ou não necessários.

    Mas que ninguém me obrigue a usá-lo. Eu continuarei frequentando o masculino, deixando o terceiro banheiro para quem realmente se sinta mais à vontade ali.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.