Michael Glatze (à esquerda) na época de militância.
Ele contribuiu bastante para que mais portas se abrissem no universo LGBT. Em 2005, após 16 anos de vida declaradamente homossexual, inclusive a profissional, retrocedeu e desistiu de tudo. Revelou a todos que a homossexualidade foi um erro ou um desvio de 'normalidade'.
Em 2007, após um período de silêncio como resposta às críticas que sofreu, ele declarou estar mais forte e confiante do que nunca e escreveu uma carta na qual expôs os seus argumentos. Ela fala por si. Tire sua própria conclusão. 
Somente acrescentaria uma opinião breve a respeito das declarações do jornalista e ex-ativista dos direitos LGBT: a luxúria é um pecado capital que não depende da orientação sexual do pecador, mas de quem se deixa dominar pelas paixões. Percebe-se que ele considerou somente os gays. Um sinal de que o preconceito sempre lhe foi característico, mesmo quando lutava contra ele.

Michael Glatze, americano, 35 anos, ex-diretor de uma importante revista LGBT dos E.U.A. e ex-ativista gay, para a juventude:

O homossexualismo conquistou-me facilmente, porque eu já estava fraco.

Minha mãe morreu quando eu tinha 19 anos. Meu pai, quando eu tinha 13. Ainda jovem, já me encontrava confuso sobre quem eu era e como me sentia em relação aos outros.

Minha confusão sobre “desejo” e o fato de notar em mim uma “atração” por garotos, fez com que eu me colocasse na categoria “gay” com a idade de 14 anos. Aos 20, declarei-me gay para todos ao meu redor.

Aos 22, tornei-me editor da primeira revista direcionada ao público jovem gay masculino. No conteúdo fotográfico desta revista o que havia era pornografia, mas percebi que eu poderia utilizá-la como uma plataforma para coisas maiores e melhores.

Como esperado, a Young Gay America (revista) apareceu. Ela procurava preencher a lacuna criada pela outra revista para a qual eu havia trabalhado – isto é, algo não tão pornográfico, direcionado ao público jovem gay americano. A Young Gay America decolou.

O público gay respondeu entusiasticamente à revista. Ela recebeu prêmios, reconhecimento, respeito e muitas honras, incluindo o prêmio Modelo do Ano, da grande organização gay Fórum da Igualdade – que foi concedido ao primeiro ministro canadense Jean Chritien um ano mais tarde – além de um grande número de citações na mídia, desde a PBS até o Seattle Time, da MSNBC, à capa da Time magazine.

Produzi, com a ajuda das afiliadas à PBS e do Fórum da Igualdade, o primeiro grande documentário a abordar o suicídio de jovens gays, “Jim in Bold”, que rodou por todo o mundo e recebeu prêmios como melhor filme em diversos festivais.

A Young Gay America criou uma exibição fotográfica com diversas fotos e depoimentos de jovens gays de diversos locais do continente norte americano, que viajou pela Europa, Canadá e partes dos Estados Unidos.

A Young Gay America lançou a YGA Magazine em 2004, para fingir proporcionar uma “contrapartida virtuosa” às demais revistas direcionadas à juventude gay. Eu digo “fingir” porque a verdade é que a YGA era tão prejudicial quanto qualquer outra, apenas não tão massivamente pornográfica, por isso mais “respeitável”.

Eu levei quase 16 anos para descobrir que o homossexualismo por si mesmo não é exatamente “virtuoso”. Foi difícil clarear meus sentimentos sobre este assunto, dado que a minha vida estava tão atrelada a ele.

O homossexualismo, dirigido às mentes jovens, é por sua própria natureza pornográfico. Ele destrói as mentes impressionáveis e confunde o desenvolvimento de sua sexualidade. Eu não havia percebido isso até meus 30 anos de idade

A YGA Magazine teve sua primeira edição esgotada em diversas cidades americanas. Houve um suporte extremo, de todos os lados, para a YGA: escolas, grupos de pais, livrarias, associações governamentais, todos pareciam querê-la. Ela acertou em cheio no espírito atual de “aceitação e promoção” do homossexualismo e eu fui considerado um líder. Fui convidado a palestrar no prestigioso Fórum JFK Jr. da Escola Kennedy de Governo, em Harvard, em 2005.

Foi então, depois de ver minhas palavras gravadas em um vídeo durante aquela “performance”, que eu comecei, seriamente, a questionar o que eu estava fazendo com minha vida e minha influência.

Como eu não conhecesse ninguém para quem pudesse apresentar meus questionamentos e dúvidas, voltei-me para Deus. Desenvolvi um crescente relacionamento com Ele, graças a uma crise debilitante de cólicas intestinais causada por comportamentos que acabaram prejudicando meu estômago

Logo eu comecei a entender coisas que jamais imaginaria que pudessem ser reais, tais como o fato de estar liderando um movimento de pecado e corrupção – que não deve soar como se minha descoberta tenha sido baseada em dogma, porque decididamente, não foi. Eu cheguei às conclusões sozinho.

Tornou-se claro para mim, conforme eu REALMENTE PENSAVA SOBRE ISSO – e realmente rezava – que o homossexualismo nos impede de encontrar nosso próprio eu interior. Não podemos enxergar a verdade quando estamos cegados pelo homossexualismo.

Nós acreditamos, sob a influência do homossexualismo, que a luxúria não é somente aceitável, mas uma virtude. Porém, não existe um “desejo” homossexual desvinculado da luxúria.

Em negação a este fato, eu havia lutado para apagar essa verdade a todo o custo e participado em diversos meios para tirar das mãos humanas a responsabilidade de lutar contra as tentações da luxúria e outros comportamentos desregrados. Eu estava certo – graças à cultura e aos líderes mundiais – de que estava fazendo a coisa certa.

Guiado pela busca da verdade, porque nada estava bem, olhei para o interior. Jesus Cristo repetidamente nos adverte para não confiarmos em ninguém a não ser nEle. Eu fiz o que Ele disse, sabendo que o Reino de Deus reside no coração e na mente de cada homem.

O que eu descobri – o que eu aprendi – sobre a homossexualidade foi surpreendente: o modo como eu “descobri” meus desejos homossexuais no tempo da escola, foi notando que eu olhava para outros rapazes. O modo como me curei - quando ficou claro que eu deveria fazê-lo ou me arriscaria a machucar mais pessoas – foi prestando atenção a mim mesmo.

Toda vez que eu era tentado à luxúria, eu percebia, reconhecia e lidava com isso. Chamava pelo nome certo e depois apenas deixava que desaparecesse sozinha. Uma diferença enorme e vital existe entre uma admiração superficial – de você mesmo e dos outros – e uma admiração integral. Quando amamos a nós mesmos integralmente, não necessitamos de mais nada que venha do mundo “exterior” do desejo lascivo, do reconhecimento dos outros ou da satisfação física.

O homossexualismo evita um maior aprofundamento por causa da superficialidade e das atrações inspiradas pela luxúria – pelo menos enquanto ele permanecer “aceito” pela lei. Como resultado, inúmeras pessoas perdem-se de seu eu mais verdadeiro, seu Cristo interior dado por Deus.

O homossexualismo, para mim, começou na idade dos 13 anos e terminou – uma vez que eu me fechei às influências exteriores e me foquei intensamente na verdade interior – aos 30 anos, quando descobri as profundezas do meu eu dado por Deus.

Deus é tido como um inimigo por muitos no movimento homossexual porque Ele os relembra daquilo que verdadeiramente deveriam ser. As pessoas nesta situação preferem permanecer “tranquilamente ignorantes”, silenciando a verdade àqueles que se atrevem a proclamá-la, através da oposição, condenação e nomeando-os como “racistas”, “insensíveis”, “maus” e preconceituosos”.

Curar-se das feridas causadas pelo homossexualismo não é fácil – obviamente há pouco suporte. O apoio que resta é ridicularizado, silenciado pela retórica ou tornado ilegal pela manipulação das leis. Eu tive que ir discernindo entre minha própria vergonha e as vozes de desaprovação de todos aqueles que eu conhecia, para conseguir curar-me. Parte da agenda homossexual é fazer com que as pessoas considerem que a conversão esteja totalmente fora de cogitação e muito menos se ela funciona ou não.

Na minha experiência, livrar-me da influência da mentalidade homossexual foi a coisa mais libertadora, bonita e maravilhosa que eu jamais havia experimentado em toda a minha vida.

A luxúria nos toma de nosso próprios corpos, fazendo com que nossa psique fique atrelada à forma física de outra pessoa. É por isso que o sexo homossexual – e todas as outras práticas sexuais baseadas na luxúria – nunca é satisfatório: é um processo neurótico ao invés de natural, normal. Normal é normal – e tem sido chamado desta forma por uma razão.

Anormal significa “aquilo que nos machuca, fere o normal”. O homossexualismo nos tira de nosso estado normal, de estarmos perfeitamente unidos em todas as coisas e nos divide, fazendo com que sempre desejemos um objeto físico externo o qual não podemos nunca possuir. As pessoas homossexuais – assim como todas as pessoas – anseiam pelo mítico amor verdadeiro, que realmente existe. O problema do homossexualismo é que o verdadeiro amor somente aparece quando não temos nada impedindo-o de brilhar a partir do nosso interior. Não podemos ser totalmente nós mesmos quando nossas mentes estão presas em um ciclo e mentalidade de grupo que sancionam, protegem e celebram a luxúria.

Deus veio até mim quando eu estava confuso e perdido, sozinho, com medo e chateado. Ele me disse – através da oração – que não havia nada que eu devesse temer e que eu estava em casa: o que eu precisava era apenas fazer uma faxina na minha mente.

Eu creio que todas as pessoas, intrinsecamente, conhecem a verdade. Eu acredito que seja por isso que o cristianismo assusta tanto as pessoas. Ele as lembra de suas próprias consciências, que todos nós possuímos.

A consciência nos diz o que é certo e errado e é um guia através do qual podemos crescer e nos tornarmos seres humanos mais fortes e mais livres. Libertar-se do pecado e da ignorância é sempre possível, mas a primeira coisa que deve ser feita é livrar-se das mentalidades que dividem e conquistam a humanidade.

A verdade sobre o sexo pode ser encontrada se todos aceitarmos que nossa cultura apoia comportamentos que ferem a vida. A culpa não pode ser uma razão para evitarem-se as questões difíceis.

O homossexualismo tirou quase 16 anos da minha vida e os comprometeu com uma mentira e outra, perpetuadas através da mídia nacional, tendo como alvo as crianças. Nos países europeus, o homossexualismo é considerado tão normal que livros infantis gays estão sendo distribuídos nas escolas e exigidos como leitura obrigatória.

A Polônia, um pais tão acostumado com a destruição de seu povo por influências externas, está tentando bravamente impedir a União Europeia de doutrinar suas crianças com propaganda homossexual. Em resposta, a UE tem chamado o primeiro ministro polonês de “repulsivo”.

Eu fui repulsivo por muito tempo; e ainda estou lidando com toda a minha culpa. Como um líder do movimento pelos “direitos homossexuais”, por diversas vezes eu me dirigi ao público. Se eu pudesse voltar atrás em muito do que disse, eu o faria. Agora eu sei que a homossexualidade é luxúria e pornografia unidas uma a outra. Jamais deixarei alguém tentar convencer-me do contrário, não importa quão habilidosas sejam suas palavras ou quão tristes suas histórias. Eu vi. Eu conheço a verdade.

Deus nos deu a verdade por uma razão. Ela existe para que possamos ser nós mesmos. Ela existe para que possamos compartilhar este perfeito eu com o mundo, para fazer o mundo perfeito. Não se tratam de esquemas sofisticados ou de ideais estranhos – trata-se da Verdade.

Curar-se dos pecados do mundo não acontecerá em um instante, mas acontecerá sim – se não impedirmos pelo orgulho. No final, Deus vence, caso você não saiba.

Fonte: "How a 'gay rights' leader became straight" - "WorldNetDaily". 

52 comentários:

  1. E incrivel ver que isso acontece, que um maricão safado tem a colocar mais pessoas contra algo que ele recohece ser a natureza, usando o sexo como desculpa, sendo que a promiscuidade e do ser humano seja ele homo ou hetero.
    Ex gay? isso pooooode? claro que não!Surtei!

    ResponderExcluir
  2. Desculpe-me, mas não confio em gente como esse rapaz!

    O que ele fala ou escreve não merece ser levado muito a sério. A própria história, contada por ele mesmo, mostra isso.

    Se ele encontrou a felicidade, ótimo. Um infeliz a menos no mundo é sempre muito bom para a felicidade geral.

    Mas, se isso fosse verdade, ele já teria aprendido que felicidade não tem receita universal, que cada um deve encontrar seu caminho. E a sexualidade é apenas um aspecto da vida. E, nesse sentido, olhar pra si é realmente um caminho.

    Mas olhar e não ver, não produz resultados...

    É incrível como ainda encontremos gente assim. E, pior, com outros que acreditem na sinceridade de suas palavras.

    Eu, infelizmente, não acredito em pessoas que vão de um extremo a outro em muito pouco tempo. A virtude humana, se existe, prescinde dos extremos. Podemos, e devemos, talvez, vivê-los, mas apenas como experiência.

    Radicalismo, pra mim, é sinônimo de infelicidade. Infelizmente.

    ResponderExcluir
  3. Se ele está tão convicto agora, é porque ele nunca se aceitou verdadeiramente. Ele deve ter sido, mesmo que aparentasse o contrário, vulnerável à coisas externas.

    Em todo o texto, ele confunde homossexualidade com pornografia. E, são coisas distintas. No mundo gay, existe realmente muita pornografia, luxúria, o que, no ponto de vista religioso, é pecado.

    Mas, os héteros, no meu ponto de vista, mesmo que alguns discordem, cometem mais luxúria do que os gays. Só por isso, a maioria dos argumentos dele caem por terra.

    Só que eu não tô querendo derrubar os argumentos dele. Cada um sabe de si, o que importa é ser feliz. Eu apostaria que ele não encontrou a seu ''eu interior''. Espero que ele continue em sua busca por si mesmo e que, aprenda separar as coisas.

    Homossexualidade não é apenas luxúria e pornografia. É apenas uma preferência sexual, assim como o é a heterossexualidade.

    ResponderExcluir
  4. Concordo em gênero, número e grau quando ele afirma que "o (sic) homossexualismo por si mesmo não é exatamente 'virtuoso'" e acho que esse é o ponto que mais me distancia de qualquer militância, mesmo da "positiva". Homossexualidade é tão virtuoso, para mim, quando cor do cabelo ou tamanho do pé.

    Ele se perde em alguns pontos, mas concordo também com uma coisa que eu sempre discuto com o maridão, e vejo que há muita restrição nos blogs gays em geral: a gente não aprende a ser gay, mas aprende "como" ser gay.

    Falsos moralismo à parte, realmente me incomoda a super-sexualização (digamos assim) do mundo gay. Não há explicação, pelo menos para mim, para a existência de um dark room numa balada.

    Se ele é mais feliz agora, bom pra ele. Eu sou bem mais feliz depois de começar a viver minha (homos)sexualidade, mas como diz o poeta, "cada um no seu quadrado".

    ResponderExcluir
  5. Tá bom! só devaneios de uma "BICHONA" q agora resolveu ficar enrustida e sair falando imbecilidades ...

    sem maiores comentários ... deixar no ostracismo é a melhor arma contra estes q só buscam a luz da mídia ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  6. pelos comentarios eu chego a conclusao quem sao os verdadeiros preconceituosos. não tenho nada contra os homossexuais, a não ser quando tentam tirar a minha liberdade de expressão e religiosa de dizer que isso é pecado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Problemas pessoais não devem ser considerados regra, quando uma pessoa se entrega a luxuria isso referese somente a esta pessoa, não as que estão a sua volta. Porque um religioso é tapado não quer dizer que todos sejam, e assim é sobre qualquer assunto.

      Excluir
  7. TL; DR

    Parei nas primeiras linhas de besteira que ele falou.

    ResponderExcluir
  8. Sinto pena desse cara. Ele acha que encontrou seu rumo na vida, mas só o está negando, depois de fazer tanto para defendê-lo. Triste, de verdade.

    ResponderExcluir
  9. @cehsarus
    Hipócrita, assim como você tem a liberdade de dizer que é pecado nós também temos a liberdade de nos defender.

    ResponderExcluir
  10. Realmente é incrível como algumas palavras humildes têm o poder de transformar a mente dos menos favorecidos, dos mais fracos! Não concordo com o que ele fala de modo geral, pois tem-se ignorado o fato que o ser humano deve viver/ser feliz. É justamente esse o propósito. A felicidade, para a maioria, pode não ser o caminho "correto" para a sociedade, para a raça humana, mas individualmente falando, sim. O que quero dizer é que o ser humano deve ser feliz, de qualquer modo. Se você se prender à opiniões alheias e a concepções místicas ou religiosas, podes não conseguir a chamada "felicidade". Estarás, apenas, preso nesse tipo de "esquizofrenia" e nunca conseguirás manifestar o seu "eu interior". Confundir a mente é normal, tudo isso vêm do conflito Sociedade (Deus) x Eu Mesmo. Há de se enfrentar a sociedade para conseguir o que a maioria não consegue; seja forte, seja feliz! Não julgo nada/ninguém, apenas digo o que me parece mais coerente, considerando o que todos pensam em relação à Sexualidade.

    ResponderExcluir
  11. ele disse que isso era um 'mal' dentro dele e ele lutou contra isso ué, e agora ele é hetero. simples assim, agora o que é homosexualismo )a definição que ele deu) eu não entendi muito bem. mas ele com certeza não tá escrevendo de forma literal. parece mais que ele escreveu uma coisa meio que pra ele mesmo... eu sinceramente acredito que no que ele falou (de ter virado hetero como uma 'cura'), porque eu venho há anos pensando nisso há anos, inclusive vendo a biblia e o ponto de vista dos gays... sem ofensas aos homosexuais, mas pra mim isso simplismente não é algo natural.

    ResponderExcluir
  12. Depois de ler isso, alguém tem alguma dúvida de que Deus existe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não confunda confusão mental com deus. o coitado esta mentalmente atormentado. Provavelmente por uma desilusão amorosa. Quem já sofreu de amor sabe do que eu estou falando, o como as pessoas fazem e falam besteira nesse momento.

      Excluir
  13. coitado vai passar o resto da vida
    indo contra uma situação que deus mesmo permitiu
    visto que a homoafetividade
    é genetica e faz parte do seu corpo e alma
    não se deve confundir homosexualidade com luxuria e lascivia
    pois isso é condição de muito seres humanos independente de sua
    atração sexual

    ResponderExcluir
  14. PORQUE????? Uma pessoa não pode deixar de ser gay???????
    Expliquem. Liberdade de opção?
    Se vc decide ser assim tem critica se decide assado tem critica. Cada um é cada um. LIBERDADE É SÓ PARA QUEM QUER.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pergunta: Em que momento você decidiu virar hetero?
      Do mesmo modo que não se vira hetero não se vira gay. Simplesmento somos o que somos.

      Excluir
  15. Viu? é o que eu sempre digo:

    Homossexualismo = pura perversão!

    E estes comentários estão repletos de pervertidos luxuriantes que preferem ignorar e atacar em favor do seu prazer efêmero e pedófilo!

    ONE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei o que você viu, eu vi uma pessoa pertubada com ela mesma, procurando onde é mais rentoso aplicar sua habilidade de comunicar. Tudo por dinheiro.

      Excluir
  16. eu acho que ex gay existe sim! existe de tudo no mundo, por que não existiria?

    ResponderExcluir
  17. Coitado, oremos por ele. Ele caiu no conto do anti-cristo que quer nos colocar todos uns contra os outros. Homossexualidade não é pecado. Quem acredita do fundo do coração que isto é pecado está perdido e merece nossas orações.

    ResponderExcluir
  18. bla bla bla bla bla bla...

    Todos os nossos argumentos são para JUSTIFICAR nosso ORGULHO e COVARDIA em não reconhecer nossas transgreções.

    Caso vocês não tenham percebido a mensagem que pode ser tirada desse testemunho, é de que NÃO IREMOS RECONHECER QUE A VERDADE DE DEUS É MAIOR, enquanto não ACABAREM nossos argumentos justificativos.

    NO FIM, DEUS VENCE! E DEUS NÃO É INIMIGO como essa lavagem cerebral feita pela mídia mundial quer impor nas nossas mentes.

    "Eu Sou a Luz do mundo. Quem crê em Mim NÃO ANDARÁ NAS TREVAS." Jo 8, 12.

    http://www.youtube.com/watch?v=Au2QgOyRYDk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que você não acredita no que fala. "Amai o próximo como ati mesmo."

      Excluir
  19. Deu o cu por 16 anos e agora q começou a arder resolveu falar merda...

    MARICONA SAFADA, DETESTO!

    ResponderExcluir
  20. Homossexualidade é pecado pra quem acredita que é. Et's existem pra quem acredita que existem. São questões muito individuais. Cada um vive de acordo com sua realidade e necessidades. Foda-se quem não concorda com minha orientação, isso não me torna menos ou mais lésbica. E se isso me condena ao inferno, a gente se encontra lá, meu povo!hehe

    ResponderExcluir
  21. Não serei hipócrita, gosto mesmo de luxúria, desde que não haja violência, não viole a liberdade e a integridade de ninguém e que não haja abuso de menor.
    Independente de texto ser ou não homofóbico, ele é hipócrita.
    Sou BICHA MESMO E GOSTO DE SACANAGEM, isso não faz de mim uma pessoa sem bom senso, porque respeito os valores das outras pessoas assim como desejo que respeitem os meus, e gostar de sexo sadio não é motivo pra qualquer pastorzinho reprimido vir dizer sou uma pessoa reprovável.

    ResponderExcluir
  22. tudo q ele diz só prova q ele nao foi amado e portanto associou o sexo descompromissado (luxuria) com o homossexualismo...
    tenho penaaa

    ResponderExcluir
  23. Em primeiro lugar, eu não tenho nem certeza que essa seja uma carta de verdade, escrita por quem se diz que escreveu e muito menos se essa pessoa existe de verdade, já que eu nunca ouvi falar dela na minha vida, e é fácil criar uma história verossímil na internet, onde não há necessidade de citar fontes ou confirmar nada...
    Mas enfim, considerando que isso seja verdadeiro, tudo o que eu tenho a dizer é que o jovem rapaz aí falou, falou e não disse nada. Ele apresenta um monte de fatos sobre homossexuais e homossexualismo e não se preocupa em demonstrar como chegou a suas conclusões, simplesmente espera que tomemos sua palavra como a verdade absoluta porque agora ele encontrou a luz. Colocando desse jeito, seu discurso mais parece abobrinhas ditas por alguém que sofreu lavagem cerebral de alguma igreja ou seita, resolveu abandonar seu estilo de vida e acha que todos deveriam seguir o mesmo caminho que ele.
    Um pequeno exemplo de que seu discurso é isento de lógica está no fato dele associar a luxúria ao homossexualismo, dizendo que este não existe sem aquele. Ora, o homossexualismo é uma opção sexual e como tal está intimamente ligado ao desejo sexual, ou seja a luxúria. O heterossexualismo também não existe sem a luxúria. E dizer isso não quer dizer que um ou outro seja ruim, nem que a luxúria seja ruim, aliás, dizer isso não significa absolutamente nada. Poderia dizer que o céu é azul e os pássaros voam que teria a mesma significância.
    Enfim, já escrevi demais, é que falsos moralismos me fazem querer discutir...

    ResponderExcluir
  24. religiao é uma bosta. lavagem cerebral total. o importante nao é seguir uma religiao besta em que se fazem pensar como marionetes presas a fios, e sim ter sua propria fé e seguir seus caminhos sem prejudicar ninguem.

    ResponderExcluir
  25. Não sou gay.

    Mas um religioso veio dizer aqui que não quer que os gays tirem seu direito de condenar e criticar o homossexualismo.

    E o que acontece se eu disser que Jesus era um baitolão?

    Acha ruim. Vai entender...

    ResponderExcluir
  26. como diz Silvety "meu cú",isso é coisa de pederasta que esta jogada as traças,ngm quer resolver se apedrejar e tentar apedrejar toda a uma historia,morre fio.

    ResponderExcluir
  27. Não existe essa coisa de "ex-gay" e "ex-hétero". No que se refere a sexualidade, somos o que somos.

    ResponderExcluir
  28. pode ate ser q ele foi pego pela homossexualidade em um momento de fraqueza, mas dai ele generalizar e querer mostrar a todos q os gays são um bando de sem o que fazer e q só pensam em sexo é uma injustiça.
    Sou Homem, tenho 20 anos e a 2 tenho um namorado, ja fiquei longe dele 1 ano. E nem por isso eu terminei ou procurei sexo por ai...

    ResponderExcluir
  29. Eu não concordo com nada do que ele fala. Pode ser a opinião dele. Porque na verdade ele nao era gay. Não existe"ex gay"..ou você é, ou não é. E Deus está presente em cada um de nós. Não é porque eu sou gay/lésbica, que eu não gosto de Deus, que eu não tenho Deus em meu coração! a Lúxuria está mais presente nos heterossexuais, do que em homossexuais. Independente da sexualidade da pessoa..Isso é do CARÁTER da pessoa!!!!

    ResponderExcluir
  30. Acredito nesse cara. Leiam o blog comodeixardeserhomossexual.blogspot.com

    ResponderExcluir
  31. e um viva pro orgulho gay.

    ResponderExcluir
  32. É o seguinte primeiro não é bixona é homossexual, segunda a crença é o poder de mudança, terceiro normal é normal e anormal é anormal.
    ( sou Heterossexual, ateu e normal )

    Não penso que a religião abriu a mente do individuo, mas sim ajudou. Acho erradas paradas gays esses negócios, pois causam uma confusão mental em indivíduos receptores, pois como seu pai é um homossexual escandaloso e muito afeminando seu filho terá grandes chances de querer ser igual, pois é seu pai, aposto no comentário sobre a superficialidade do amor homossexual tem grande sentindo, pois pesquisas comprovam 83% são traidores do seu relacionamento, não vou falar mais acredito então que o relacionamento heterossexual é melhor, pois não causa impacto social e fica tudo normal.
    E homossexuais, MST e Socialistas são problemas sociais !

    ResponderExcluir
  33. Parei de ler no 2º parágrafo.

    Se antes ele estava "perdido", agora então... PERTURBADAÇO!

    ResponderExcluir
  34. bom, vamos por parte... disseram que os heterossexuais são mais promiscuos que os homossexuais... eu pergunto quem nunca entrou em um banheiro publico que tinha algum ou varios gays fingindo usar o mictorio e "manjando" os outros? Disseram que Jesus era um boiolão... sem comentários... e a questão do pecado, não é porque não é crime que não é pecado... amar a Deus sobre todas as coisas não é um crime mas é pecado... Desonrar pai e mãe não é um crime mas é pecado... assim tambem o homossesualismo não é crime mas é pecado... e isso por mais apoio da mídia, que é comandada por homossexuais, pecado sempre vai ser pecado.

    ResponderExcluir
  35. Nossa.
    Esse cara precisa de um psiquiatra.
    falou um monte de asneiras.

    ResponderExcluir
  36. Se ele acha isso, parabéns. Se ele não quer mais pornografia na vida dele, isso é problema dele.

    Eu sou hetero, não estou nem ai para a bíblia, pois foi o homem que criou e o homem é mentiroso. Eu só acredito em deus e não na "Palavra do Homem". Ao menos que se prove alguma coisa, tudo é mentira.

    Tenho vontade de ver pornografia, eu vejo, é uma vontade que tenho. Tenho vontade de amar e ser amado por alguem, é uma vontade que tenho. Tenho conciencia do que é certo e errado em minha vida (Para mim e o que faço para os outros).

    Para mim, o importante é ser feliz consigo mesmo. Se alguma pessoa é feliz, mas não afetando minha felicidade, tambem tem o mesmo direito de ser feliz.

    Colocar uma religião acima de tudo, é coisa de Fanatico religioso, cheio de Dogmas, cheio de intolerância, etc.

    Foi a intolerância que fizeram os nazistas caçarem todo o mundo. Foi a intolerância que fez com que o Cristianismo cria-se guerras (Cruzadas, Matança aos Templários, Justificativa para matar alguem, Etc.). Religião ao invés de unir as pessoas à deus, só separa os humanos em si e traz o caos e a desordem.

    Todos amam a deus, mas odeiam um ao outro.

    Judeu x Protestante x Católico x Universal x Adventistá do 7º Dia x Congregação x Espírita x TodoResto~.

    Cada um fala que é o certo, e o resto é do "demônio", você acha que a religião realmente "Junta" as pessoas? Ou somente as separa e somente traz o odio e intolerância ao próximo?

    Você acha que o certo é "Pregar" deus na sua vida, em sentido de colocar e não precisar entender o que ele realmente que à sua vida. Ou entender, saber distinguir, trazer o amor e felicidade à terra?

    Eu prefiro o Amor e Felicidade na terra, para podermos realmente ter deus no coração e ter o poder de dizer "Eu tenho DEUS no Coração".

    ResponderExcluir
  37. NUNCA haverá EX-GAY, NUNCA haverá EX-HETERO, só existe opção sexual quando a pessoa é BISSEXUAL, realmente essa tem a opção de procurar homens ou mulheres

    ResponderExcluir
  38. Sou mãe de um jovem gay. Percebi quando ele tinha menos de três anos e o criei respeitando as suas características e plantando os valores que todos nós devemos ter.

    É claro que não é fácil. O mundo é constituído por todos nós, e vejam como ainda estamos em um estágio primitivo. Que texto triste!

    Esse conteúdo não tem valor porque contém argumentos falaciosos. A promiscuidade é tão presente entre héteros quanto em homossexuais. É humana. E ser homossexual quer dizer apenas que aquele ser se sente atraído emocional e sexualmente por pessoas do mesmo sexo. Só isso.

    E um ser humano é muito mais que isso. Se aceito, amado, educado e respeitado, aprende desde cêdo a corresponder,desenvolve a auto estima. E isso começa em casa, com o pai e a mãe.

    Tenho orgulho do meu filho. Tem postura, educação, respeito a sí mesmo e a todos. Gosta de estudar e tem planos bem concretos para a sua carreira e vida. É um rapaz normal e maravilhoso.

    E para os que me leem, eu digo: só tenha um filho se estiverem preparados para enfrentar o desconhecido e aceitar uma pessoa que não é você; que tem a sua própria identidade e, acreditem, é a melhor de todas as experiências que a existência pode nos dar.

    Curtam os seus filhos. Se vocês forem pais comprometidos com a felicidade dos seus, héteros ou gays, eles serão pessoas maravilhosas.

    Mas, o mais importante: cada pessoa tem todo o direito de ser quem é.

    Abraços a todos

    ResponderExcluir
  39. Olá Cassia. Não sei se você recebeu o e-mail que acabei de enviar? De qualquer maneira, agradeço demais a vc por ter se pronunciado no meu blog da forma como fez, por encarar a homossexualidade naturalmente e mais ainda pela sensibilidade de tê-la percebido no seu filho ainda tão pequeno. Sua experiência e, principalmente, a forma como lidou com tudo isso é comovente.
    Beijos.
    Junnior.
    Obs: não tenho com entrar em contato com você, mas gostaria muito. Caso tenha interesse, escreva para o meu e-mail, por favor: jrjrjunnior@gmail.com

    ResponderExcluir
  40. Junnior,

    Não recebi o seu e-mail, mas vou me comunicar com você pelo seu.

    Na verdade, sou eu quem tem a agradecer.

    Cheguei aqui pesquisando sobre literatura para jovens gays, pois meu filho ainda é um adolescente e eu procuro dar a ele uma orientação adequada às suas características, pois está se construindo como pessoa.

    Acima, DPNN disse "a gente não aprende a ser gay, mas aprende "como" ser gay." Verdade DPNN!

    Com a maternidade/paternidade não é diferente. Ninguém ensina uma pessoa a ser mãe/pai. E muito menos a ser pai/mãe de um gay. Pais aprendem exercendo a maternidade/paternidade. E erramos muito, mesmo quando tudo o que queremos é acertar.

    Então, estou em pleno processo de aprendizado, crescendo junto com o meu filho, e Blogs como o seu são pedagógicos para mim.

    Eu tive que aprender a conviver com o preconceito, ver meu filho aos 3, 4, 5, 6 anos ser perseguido, ser chamado de florzinha, entre outros adjetivos menos bonitos, porque ele brincava de boneca com as amiguinhas, e dar suporte a ele. Fazê-lo ter confiança para continuar vivenciando a sua infância do jeito que lhe dava prazer.

    Sempre enfrentei as críticas das outras mães e até de amigas. Fui e sou apontada na rua. Enfrento o olhar dos amigos, sei dos comentários que fazem.

    Já pararam para pensar que os seus pais passaram e passam por situações de intolerância também? Pais também precisam de ajuda e orientação.

    Aqui em casa, desde cêdo buscamos apoio psicológico e informação para saber como agir. Para o pai foi muito mais difícil. Muito ciumento e apaixonado, ele não queria reconhecer que o seu filho único era gay. Mas acabou enxergando e se tornando ainda mais superprotetor, ainda mais em tempos como esses, cheios de ataques homofóbicos. Mas a superproteção enfraquece a pessoa. Não é saudável, então, ainda temos mais esta questão para equilibrar.

    Nada é fácil meus amigos. Mas eu, particularmente, não tenho do que me queixar. É muito fácil ser mãe do meu filho. Somos parceiros e eu é que peço a ele que nos entenda e nos perdoe pelo excesso de amor, e nos sinalize quando o atrapalharmos.

    Eu continuo na minha trajetória de educar, estruturar, apoiar e ajudar na superação das dificuldades de um adolescente gay, a caminho da sua fase adulta. Por isso estou aqui: para aprender com todos vocês.

    Junnior, talvez você nem se dê conta do quanto é importante para os pais de homossexuais poderem ter acesso a esse material. Ler sobre os sentimentos, as dores, as dificuldades e também as delícias de ser um gay.

    Foi a primeira vez que me pronunciei sobre esse assunto na internet. Senti essa necessidade e te agradeço pela oportunidade e atenção.

    Um beijo meu querido.

    ResponderExcluir
  41. Voltei ao post, pra conferir uma vez mais, se eu tinha perdido algo [após ler aquela carta da mãe de um jovem gay, publicada besta semana aqui no site]. Se perdi, confesso que ainda não achei, até agora.

    O rapaz, o jornalista americano merece todo o meu respeito como ser humano, ainda mais por parecer confuso, em busca de um caminho que verdadeiramente ainda não encontrou.

    Diz que se "curou" quando se fechou às influências exteriores e focou intensamente sua verdade interior. Ele pode ter realmente se confundido.

    Mas se realmente ama o próximo como a si mesmo, um dia compreenderá que, ao contrário do que ele declara a respeito de si, há muitos que não são gays por engano e indução. Muitos -- pelo menos eu -- nasceram assim. Trouxeram em si uma inclinação, uma tendência, uma atração, que o mundo, a vida, apenas confirmou, depois de muito sofrimento para que pudesse admitir. Viver contra essa inclinação é que seria falso. E a falsidade, o negar-se a si mesmo, nos tornaria pessoas, aí sim, perigosas ao mundo.

    Eu confesso que ainda não entendi seu processo. Que ele, salvo melhor juízo, não explicita. Passa da autocondenação à condenação de todos, sem esclarecer sua própria "reconversão". Tudo muito vago.

    Cada um que viva com sua própria verdade! Um dia, todos nós conheceremos A Verdade. E, crendo em tudo o que já lemos a respeito do Cristo verdadeiro, veremos então que Ela está bem longe do que querem fazer crer os muitos radicais que não aceitam aqueles que, sendo diferentes, são iguais na essência: somos todos humanos, filhos do mesmo Deus. Ou não?

    ResponderExcluir
  42. Só uma coisa a dizer: ELE É UM DÉBIL MENTAL!

    ResponderExcluir
  43. otimo post, ele fala muitas verdades, simplismente esclarecedor, mas é logico que o post dele ira despertar revolta e consternação daqueles ainda poluídos pela doutrinação gay corrente no mundo atual...mas como ele mesmo disse no final, "No final, Deus vence, caso você não saiba"...todo apoio a Michael Glatze...

    ResponderExcluir
  44. Concordo quando se diz que a promiscuidade e a luxúria andam de mãos dadas com a homossexualidade. 95% dos gays são promíscuos sim. Só um hipócrita desmistifica isso. Apesar de eu não condenar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é porque você é promiscuo que tem o direito de dizer que eu sou. Você é que anda em ambientes de luxuria não eu.

      Excluir
  45. Primeiramente quero falar para CÁSSIA, que fez dois comentários aqui que me fizeram chorar muito, pois os gays, infelizmente, passam por tudo isso que o seu filho passou, passa e passará. Tenha certeza que o seu amor de mãe o ajudará a enfrentar as dores da vida. Conheço várias mães de gays que não têm essa postura sensata, mas a gente não pode querer que todo mudo seja sensato e inteligente tanto quanto você. Que Deus lhe abençõe e abençõe a toda sua família.
    Quanto a matéria em sim: Lamentável ver esse tipo de coisa, pois isso é um prato cheio para os religiosos insanos e fanáticos atacarem mais ainda os homossexuais. Tenho certeza que este artigo será usado por vários loucos, principalmente os PROTESTANTES, para espalhar todo o ódio contra essa parcela da população. O que mais me intriga com estes religiosos é que quando se trata de criminosos, eles não dizem nada, muito pelo contrário, vão aos presídios convertê-los ao Protestantismo (não ao Cristianismo, como deveria). Já com o pessoal LGBT, é só ataque, expressões de ódio e intolerância, que eles chamam de LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Claro que eles têm a liberdade de fazer tudo o que estão fazendo, o que não vale é dizer que isso é CRISTÃO (por isso faço a separação entre Protestantismo e Cristianismo). O amor ao próximo e o não julgar, que Jesus Cristo tanto falou, não são usados por essa gente quando esse próximo é um homossexual. Só sei de uma coisa: Todos nós iremos prestar contas a Deus pelo que fazemos aos outros. Aguardem!
    Beijos a todos.
    Fernando.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.