"Eu nunca havia passado por isso na minha vida. A gente não estava nem se tocando; eu sou muito discreta. Quando via notícias de gays agredidos, achava que era porque eles estavam se abraçando, mas não é assim não. Eu não fazia nenhuma demonstração de carinho. Só estava rindo e brincando." Patrícia Odinéia Garcia.
Perceba o significado subliminar das palavras de Patrícia, uma mulher homossexual de 32 anos e uma das quatro vítimas da agressão perpetrada por dois homens e uma mulher no início da madrugada de anteontem numa lanchonete de Taboão da Serra, município da região metropolitana de São Paulo. Ela teve um dedo fraturado e chegou a desmaiar durante as agressões. A sua namorada e o outro casal de lésbicas tiveram ferimentos mais leves e um rapaz que as acompanhava nada sofreu.

Seria mais ou menos como se ela dissesse: se eu estivesse ao menos beijando a minha namorada, vá lá...

A que ponto chegamos e aonde isso irá parar?

É claro que Patrícia, ao tentar explicar o inexplicável e o irracional, pretendeu demonstrar a sua indignação por ter sido agredida pelo simples fato de existir, de ser do jeito que é. Ou seja, a situação ainda é pior do que imaginávamos! Há vários graus de homofóbicos, começando pelos que suportam os gays, desde que estes não cometam atos que evidenciem a sua sexualidade, até os que matam logo. No meio destes dois extremos, os que se acometem de uma ira incontrolável, explosiva e violenta e partem pra porrada quando, simplesmente, percebem que há um gay ao seu redor respirando o mesmo ar que eles - é o caso destes três animais que atacaram o grupo de quatro lésbicas.

Ainda bem que, na confusão, uma pessoa de bom senso anotou a placa do carro dos bandidos quando covardemente fugiram do local e, graças a isso, eles estão na iminência de serem identificados [não deveria haver um carro-patrulha pelo menos em cada rua ou avenida movimentada, a qualquer hora do dia ou da noite? Por que nunca acontece de a polícia estar por perto durante estes crimes homofóbicos?]

E as punições dos criminosos dos últimos crimes divulgados na mídia?

As últimas notícias que consegui encontrar na internet sobre o que aconteceu com os quatro adolescentes de 16 a 17 anos, os quais, juntamente com um jovem maior de idade (19 anos), quase mataram outro rapaz na Av. Paulista no último mês de novembro, são de 2010. Informam que três dos menores foram soltos. Ficarão sob liberdade vigiada, tudo bem, mas foram liberados e deverão prestar serviços para uma comunidade (quais?).

O quarto menor, o que apareceu nas imagens divulgadas pela mídia segurando lâmpadas fluorescentes  e as arremessou contra o rosto da vítima - que o grupo julgou ser gay -, permaneceu na Fundação Casa (ex-Febem) porque foi "recomendado" pelo juiz que ficasse internado por três anos, com avaliações trimestrais. Isso quer dizer que ele poderá sair logo na primeira. O jovem de 19 anos, até dezembro/2010, estava foragido.

E o terceiro sargento carioca que atirou no rapaz homossexual de 19 anos, Douglas Igor Marques Luiz, no Parque Garota de Ipanema, no Arpoador, Rio de Janeiro? Este, de acordo com as notícias de dezembro de 2010, teria sido indiciado pelo crime de tentativa de homicídio duplamente qualificado - por motivo torpe e sem possibilidade de defesa da vítima - e, na ocasião, se falou em prisão militar.

Certo é que quem pagou uma pena de verdade foi o Parque Garota de Ipanema que passou a ser fechado após as 18 horas.
Fonte: G1

4 comentários:

  1. não é nada pior do q eu imaginava não.
    me xingam de viado na rua não é pq eu tow de mãos dadas com ninguém, é só pq eu existo e sou qm sou.

    me indigna mais é as palavras dela sim.
    no fundo ela quer dizer que bichinha que chama atenção merece apanhar.

    ResponderExcluir
  2. Ou é impressão minha, ou as coisas no Brasil estão piorando a cada dia. E não apenas para homossexuais. Para todos os que não são homens, brancos, católicos ou evangélicos, ricos ou classe média.

    Não sei como explicar tudo isso, essa onda que percebo. As pessoas andam muito mais agressivas. Onde vamos parar?

    Muito triste tudo isso...

    ResponderExcluir
  3. Ainda fico indignado com notícias como essa.Parece game,onde os orcs sobem a colina e vao pra luta.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Tem uma frase que eu li em algum lugar, que diz mais ou menos assim: ''não existe revolução, sem que a parte contrária se sinta ameaçada e revide''.

    Eu aplico essa frase a todos esses atos homofóbicos que tem aumentado nos últimos meses. Os gays estão, bem ou mal, conseguindo cada vez mais espaço; e, os homofóbicos revidam, impõe sua ''posição''.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.