Foto by Nancy Falconi
Xote do Edifício (Zeca Baleiro)
Se você quiser te dou meu coração 
Arranco ele do peito com canivete 
Dói um pouco mais depois passa 
Como tudo passa, o trilho, o trem
Se você quiser, só se você quiser 
Te dou minha mão, meu pé 
Uma perna, um braço 
Sem eles eu passo 
Sem eles eu passo muito bem
A dor que me dói, também conforta 
Dói e pouco me importa então 
Morrer de amor 
Morrer de amor, morrer de amor
Morrer de amor não é difícil, não 
Se atirar do edifício 
Viver de amor é que é difícil 
Se atirar
Morrer de amor não é difícil, não 
Se atirar do edifício 
Viver de amor é que é difícil 
Se atirar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.