Justin Alesna (foto), 23 anos, entrou numa loja de conveniência de um posto de gasolina em Detroit, EUA, para comprar um maço de cigarros e saiu de lá violentamente agredido e arrebatadoramente humilhado direto para o hospital de onde recebeu a informação de que será necessário se submeter a uma cirurgia reparadora.
Segundo ele, outro cliente que já estava na loja começou a insultá-lo com palavras homofóbicas e foi ficando cada vez mais agressivo até partir pra cima dele com muito ódio e violência. O primeiro soco foi direto no olho direito. Ele tentou se defender como pode entre as prateleiras da loja, mas acabou levando outro soco no mesmo local. Os demais clientes presentes apenas se retiraram sem sequer chamarem a polícia e pasme: o gerente do estabelecimento pediu para que Justin se retirasse de lá sem prestar qualquer auxílio ao rapaz.
Inconformado com tanta falta de solidariedade, Justin gravou um vídeo (em inglês - aqui) no qual relatou o ocorrido com detalhes. Ele quer que o mundo saiba que incidentes como este estão acontecendo (nós, brasileiros, sabemos tão bem) e pede às pessoas que não cultivem o ódio dentro delas. Não somos irracionais, alertou.
Muito boa a iniciativa. Humilhado, inconformado e com o olho arruinado Justin mostrou literalmente a cara para principalmente contribuir com o combate à violência e ao preconceito.
A notícia foi publicada no 'site' americano "myFOXdetroit.com" em 10/03/2011.

5 comentários:

  1. Tomara que ele tenha sucesso na causa. É o mínimo a esperar depois do ocorrido, que não volta.

    E pensar que esses animais, como esse agressor, não ficam em jaulas...

    ResponderExcluir
  2. Me chama atençao que nem em estabelecimentos temos mais segurança , como clientes.
    Esse texto vem justamente em momento que eu entrando em posto tb pra comprar cigarros, um grupo vendo a tv do posto, um deles quando me viu, deu um grito enquanto eu pagava no caixa, com intençao de me assustar. E claro , todos riram, porque notaram que me assustei, poderia ter sido agredido, ridiculos!

    ResponderExcluir
  3. Conheço essa sensação de aflitivo abandono ao ser espancado em público e todos se afastarem encenando indiferença, como se fugissem dum leproso.

    Beijos

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.