A gente tinha bebido e tava andando de carro e alguém (?) falou: vamos bater naquelas bichas?
- E por que razão?
- Porque eram bichas!
- E o que isso tem a ver?
- Eu não gosto de bichas.
- Quantos estavam no carro com você e quem saiu pra bater nas vítimas?
- Éramos quatro. Mas somente eu e mais dois saímos do carro e batemos na bicha. Um ficou dentro do carro.

Foi mais ou menos desse jeito, segundo informou ontem a adjunta da 1ª Delegacia de Polícia, Daniella Kades, que André Delgado Baird, 19 anos (foto), confessou ter espancado o estudante de artes visuais, L. de 21 anos, que aguardava um táxi sentado na calçada junto com um amigo após saírem de uma boate GLS de Campos Grande (MS), por volta das 4 da manhã da madrugada do último sábado.

[Sentiu o descaso do sujeito? Ele confessou o crime sem qualquer remorso. Pelo contrário. Parece orgulhoso. E deve estar mesmo.
Outro dia li, não lembro a fonte, que um sujeito menor de idade se juntou com dois amigos (sozinhos, nunca, né? São muitos covardes) para espancarem gays nas ruas até a polícia chegar. Ele confessou ao delegado depois que queria um boletim de ocorrência ("BO") de lesão corporal contra gays para por na parede do quarto ao lado do BO do irmão que já havia sido detido antes pelo mesmo motivo. Pasme!]  

Conforme publicado ontem, na página "NEWS" do Identidade G, os bandidos passaram pelas vítimas duas vezes. Na primeira, gritaram "veado" e, na segunda, pararam o veículo e saíram correndo em direção aos dois rapazes prontos para o abate. Um deles conseguiu fugir, mas L., tropeçou e caiu. A partir de então, sequências de chutes, socos e até de risadas fizeram com que L gritasse e pedisse para pararem alegando que não fizera nada que merecesse aquilo. Segundo L, isso serviu pra que eles rissem mais ainda: quem mandou ser veado?
A vítima disse ontem que não consegue dormir por conta da lembrança das cenas e do sofrimento que passou. O pior foram as risadas, admitiu L, que também ressaltou que o cangaceirocriminoso André mentiu em seu depoimento, pois foram quatro os indivíduos que o agrediram.
Detalhe: André é filho do prefeito de Costa Rica (MS),  Jesus Baird (PMDB).

Creio que o placar está de 10 X 1 para a homofobia! Se estiver errado, alguém corrija, por favor.

4 comentários:

  1. Nao sei onde chegaremos.
    Espero, que com a mídia,consigamos inverter a situaçao e por ordem e tolerancia.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Me desculpe pelo sumiço por aqui, mas os últimos dias foram de correria, mal pude atualizar blog - pra você ter uma ideia, emagreci 3 quilos em uma semana... e eu nem queria!

    Sobre a postagem: é sempre assim mesmo, o pessoal age em grupo, e sempre ataque quem eles consideram mais frágil. É por essas e outras que eu acho que o gay precisa aprender a reagir. No dia em que uma turma dessas levar uma surra de gays, no mínimo vão pensar duas vezes antes de agir...

    ResponderExcluir
  3. aí eu me lembro de um dia em q um grupo de travestis, acho q no Rio mesmo, resolveu ir à forra com um bando de playboys e eles se mijaram todos e saíram correndo ... onde estavam os machos! não estou aqui a fazer apologia da violência nem da teoria do olho por olho, mas q seria bom seria ...

    ResponderExcluir
  4. Vcs têm razão. Esses caras tão precisando de uma lição.
    Os gays precisam reagir, saírem em grupo também; preparados. Não estou fazendo apologia à violência, mas se as autoridades não dão conta do recado...
    DPNN, eu entendo. Fiz aquele desabafo no seu blog pq vc me acostumou mal com a sua presença (visrtual e querida) por aqui.
    Espero que agora esteja mais descansado e recupere os quilos perdidos no trabalho excessivo.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.