- Pai, o que é união estável?
- É quando duas pessoas se juntam pra viver como se fossem casados, meu filho.
- E por que elas não se casam?
- Tem gente que prefere simplificar as coisas, filho. Casamento dá trabalho e custa caro. Tem a cerimônia na igreja, convites, roupas, festa e tem muita burocracia também. Na união estável basta conviver como marido e mulher.
- Ou marido e marido e mulher e mulher, né pai?
- Onde você aprendeu isso?
- Na escola. Meu professor de cidadania explicou ontem que a união estável agora vale para os homossexuais também.
- Se você aprendeu na escola, por que então perguntou filhinho?
- Pra te ensinar, pai.

Se você chegou aqui pensando que o texto irá apresentar um rosário de leis, jurisprudências e/ou doutrinas jurídicas, se enganou, meu bem. 
Contudo, para que não fique frustrado, basta saber que tudo o que você conhece sobre união estável continua do mesmo jeito. A fundamental diferença é que ela, a partir de agora, acrescenta as uniões diferentes como entidades familiares: as havidas entre homem e homem e entre mulher e mulher (#chupamalafaia).
Ah, e qual a diferença pro casamento? Neste, basta exibir a certidão para comprovar os direitos dos cônjuges. Na união estável, via de regra e quando há a separação ou a morte de um dos unidos, há necessidade de se provar o início e até quando durou a relação para garantir os direitos. 
É automático? Agora é lei? Não, infelizmente não é assim. Para que fosse, o Congresso teria mesmo que aprovar uma. Entretanto, dos males o menor. Se não conseguir registrar o seu contrato de convivência com uma pessoa do mesmo sexo porque o cartório não aceitou, por exemplo (lembre-se: não é lei, então o cartório não está obrigado), você poderá recorrer à justiça sabendo que, agora, dificilmente um juiz decidirá de maneira diferente do que foi decidido pelo STF ontem. Embora esta decisão do STF não tenha o efeito vinculante - que obriga as instâncias inferiores a segui-la -, não teria sentido sentenciar contra ela, a não ser que o juiz seja homofóbico e birrento. #prontofalei.
Parece pouco? Pois lhe garanto que não é. Vem aí o casamento gay. Aguarde!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.