[para ler a postagem anterior, clique aqui]
Antes quero saber se estão todos bem? Estão? Ótimo! Titchya 'is doing fine, thanx'.
Vamos finalizar o nosso papo sobre a "Gay Helper", com uma pergunta: até que ponto a nossa própria felicidade é importante? 
Como disse anteriormente, deve existir um equilíbrio pra tudo. Atentem a esse fato: um grupo de amigos, que todo final de semana sai junto para as baladas e para as ferveções dignas. Dois deles trabalham, um não. Um desses dois ganha bem e derrete o pouco que tem durante a semana ficando sem um centavo nos finais de semana, porém, esse cara é uma excelente companhia: divertido, espontâneo e louco do edí em 220 volts.  
O outro, que ganha mal e economiza até o último centavo, gasta todas as suas economias para agradar o amigo e o amigo do amigo que, por sua vez, não trabalha. 
Resumindo: a coitada da 'helper' se estrepa o mês inteiro, ganha pouco e, no final das contas, banca todo mundo! Além do que vocês podem pensar: Ah, mas as outras chupins devem viver atrás dela pra saírem de casa. NEGATIVO!  É a 'helper' que procura essas duas “lazy bitches” toda vez que há uma ferveção!  Chega beirar o cúmulo, mas é a mais pura verdade, pessoas assim existem. Volto novamente naquela questão do equílibrio: ser bom é bom. Ser burro é mau, muito mau. E não preciso frisar que quando se trata de gay tudo é ao cubo, não é?
Não faz mal a ninguém cuidar um pouco de si próprio e respeitar as suas vontades e desejos. 
Por exemplo, no primeiro texto, falei da gay na balada que ajuda a BF pegar o bophinho que ela quiser, mesmo que seja o bophe dela (O_o). Lembram? 
Fiz, durante muitos anos, essa linha. O motivo: se ele não me quer, pelo menos com a minha melhor amiga, estarei próxima dele!
"Gays helpers", lindas da titchya, vamos falar seriamente agora: deixar a sua felicidade de lado ou viver em função dos outros é estupidez. Primeiro porque ninguém está colado ao cordão umbilical da senhora. Segundo porque, como indivíduos únicos, devemos ter, sim, um certo individualismo (não estamos falando de individualidade), sabem, do tipo: MINHA PERUCA, MEU BOPHE, MINHAS COISAS, MEU AQUÉ, MINHAS PREFERÊNCIAS, MEU VIBRADOR EGÍPCIO 440 VOLTS...

Repito: BONDADE NÃO DEVE SER CONFUNDIDA COM BURRICE!  E acrescento: UM POUCO DE APEGO, NÃO ATIRA NINGUÉM NAS GELEIRAS PROFUNDAS DO INFERNO! Afinal, acredito que ninguém deve ser feito ou se fazer de trouxa!
Sejam felizes sempre!
Semana que vem titchya volta.
Beijos
Alda.

3 comentários:

  1. alguém aí pode me ajudar? Preciso de 200 mil na minha conta até amanhã...kkk

    ResponderExcluir
  2. Respeitar o outro sem esquecer de amar a sí mesmo. Amor próprio mas sem egoísmo. Gostei! Sempre gosto.
    Beijos

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.