avatar 140x140avatar colorido (lilás)avatar colorido (verde)avatar colorido (verm)

[para ler a postagem anterior dessa coluna, clique aqui]
Simone era uma loira alta, quase do tamanho do Gaúcho, vinte e poucos anos, linda e muito mimada. Depois de alguns meses passeando pela Europa e visitando parentes, voltou e procurou por ele.
A relação estava desgastada devido aos ciúmes dela, mas ela gostava realmente dele. E, pelo que eu soube, ele também tinha gostado muito dela e manteve-se fiel até me conhecer. Pelo menos foi o que a minha sogra me contou.
Eu não me importei com a volta dela. Gaúcho e eu estávamos nos conhecendo há um mês e eu não tinha grandes expectativas, mas ambas, eu e ela, nos surpreendemos. Eu, porque nunca imaginei que ele fosse “fugir” da Simone como fez. Ela, porque, ao me conhecer, também levou um susto e não se conformou. Se sentiu trocada por uma mulher que ela considerava inferior: muito mais idade, muito menos beleza e sei lá mais o quê a atingiu.
Passou a nos seguir. Aparecia em todos os lugares, telefonava sistematicamente para a mãe do Gaúcho, deixando-a constrangida. Soube que, na última operação da minha sogra, a que retirou parte do fígado por causa da metástase, o pai e a mãe da Simone a levaram para a casa da família e cuidaram dela. Gente muito boa e acolhedora. Eu sempre entendi como a minha sogra se sentia e nunca criei caso pelo fato da moça ir visitá-la e viver ligando.
O tempo foi passando e a coisa ficou realmente séria. Ela passou a ligar para a minha casa durante a madrugada, passava de carro pela minha rua nos horários mais loucos. Descobriu o telefone da casa da minha mãe e começou a ligar e a falar montes de bobagens. Por sua causa, tive que trocar os números dos telefones, o meu e o da minha mãe.
Ela conseguiu infernizar a minha vida e passamos a viver assombrados. Se queríamos paz, curtir uns momentos à noite ou na madrugada, tínhamos que tirar o fone do gancho e desligar a campainha. A contrapartida é que o Gaúcho ficou com muita raiva. Se ela tinha alguma chance de reconquistá-lo, perdeu.
Alguns meses depois (é, levou meses), eu sugeri a ele falar com os pais da moça, explicar o que estava acontecendo e pedir que intercedessem.
Eu já estava meio velha para aturar “pitis” de moça imatura e querendo colocar um ponto final na história. E também era uma oportunidade para ele rever a situação e crescer com a experiência. Ele tinha que pensar, conversar consigo, chegar a uma conclusão e enfrentar os pais da moça. Ele foi.
Não adiantou muita coisa. Os pais não tinham a menor influência sobre ela e a situação a deixou ainda mais obcecada. Em relação ao Gaúcho, deu para perceber o quanto a convivência harmoniosa que tínhamos era importante para ele. Esse era o nosso ponto em comum: ambos queríamos "a sorte de um amor tranqüilo".
Como resolvemos isso?
Na quarta eu conto.
Beijos.
Cassia IG (papodemaeig@gmail.com)
[para ler a próxima, clique aqui]

7 comentários:

  1. Embora comum, essa situação é bastante complicada e constrangedora.
    Aguardo o próximo capítulo.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Sempre esqueço de perguntar: Cássia,sua família le sua coluna?

    Quando somos novos,aprontamos muito.Até entendo o lado da Simone.Nao aceitamos a perda.Ela foi tao mimada que os pais perderam o controle.
    Beijos,querida.

    ResponderExcluir
  3. gente, qro só ver como isso vai terminar...

    ResponderExcluir
  4. A rejeição as vezes cega as pessoas, pois elas acabam encarando a outra pessoa na vida de quem amamos como uma pivô da sua infelicidade ,quando na verdade, é apenas um detalhe dentro de um contexto anterior: se ele optou por você é porque no fundo ele não a amava. Mas imagina perder alguém como se fosse algo: cruel.

    ResponderExcluir
  5. Oi rapazes!

    Verdade Wanderley. Isso é complicadissimo.

    Lobinho, leem sim: Família e amigos.

    Foxx, na quarta a gente termina essa história.

    Senhor da Vida, o que você falou é uma grande verdade e causa grandes problemas. Precisamos ter muita sabedoria para passar por isso.

    Beijos a todos. Que o final de semana seja "delicioso". Até quarta.

    ResponderExcluir
  6. Olá amiga, adoro suas postagens e aguardo ansiosamente pela continuação desta...

    ResponderExcluir
  7. Angre,
    Prazer enorme saber que você esteve por aqui.Beijão.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.