Parece, não parece?
Mas não é. O bonitão com pinta de modelo aí da foto é um dos 1.443 presos que habitam a única cadeia brasileira reservada exclusivamente aos condenados estrangeiros. Por lá, há detentos de 89 nacionalidades.
Isso não é regalia. Foi uma estratégia da Secretaria da Administração Penitenciária que investigou as mortes de alguns detentos estrangeiros e descobriu uma organização criminosa - brasileira, claro - que tinha planos de assassinar os gringos que cumpriam penas nos diversos presídios brasileiros para ganhar repercussão na imprensa internacional. 
E, assim, em 2006, o presídio de Itaí (interior de São Paulo) se transformou na 'cadeia dos gringos'.
O bonitinho da foto é o polonês Slawomir Snopkiewics, de 23 anos, capa e um dos entrevistados da revista Veja São Paulo deste mês.
Ele, que foi preso há 8 meses por porte de cocaína em São Paulo (1,5 kg), conta que está triste porque se acha esquecido pelo consulado do seu páis. Segundo ele, até hoje, apesar de enviar frequentemente cartas ao consulado em São Paulo, recebeu apenas dois Sedex com mantas de dormir, duas camisas e alguns produtos de higiene. "Parece que fui esquecido", lamentou.
Tadinho.
Slawo, quer meu endereço pra escrever pra mim?


12 comentários:

  1. Nossa vamos abrir uma ong de ajuda a esse povo, jejeje , vai chover de bee querendo doar algo, kkkk! bjs!

    ResponderExcluir
  2. Ou , como se diz no nordest, posso te dar um cheiro?

    ResponderExcluir
  3. Li uma reportagem há pouco tempo que diz que a maioria dos detentos estrangeiros (tanto homem como mulher) está preso por tráfico de drogas.

    Lindo o cara,ne?

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Criminalidade é sempre escolha não tenho a menor pena de criminoso. Por mim, poderiam ser extraditados na mesma hora, meus impostos seriam usados em coisa melhor.

    ResponderExcluir
  5. Tô todo compadecido aqui, Quero fazer doações... hehehe

    ResponderExcluir
  6. kkkkkkkkkk...adoooorei os comentários! pena que eu não sou advogado!

    ResponderExcluir
  7. Não seria mais razoável, tanto sob o ponto de vista humanitário, quanto do contribuinte brasileiro, deportar o rapaz, pura e sumariamente?

    Ah, tá, só se for extradição, pedida pelo governo da Polônia, aprovado pelo STF... Então tá, né! Fica como está.

    Eu sempre tenho pena de criminoso, mesmo quando resulta de uma escolha (quase sempre, concordo).

    ResponderExcluir
  8. Eu tomo conta dele, e não cobro nada.
    Bjão

    ResponderExcluir
  9. Eu moro em itai se quizerem vir pra cá , mande respostas :)

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.