Tomou proporções ainda mais chocantes o caso do adolescente Jamey Rodemeyer, de 14 anos.

Jamey era de Buffalo, Estado de Nova York. Ele se suicidou no dia 18 de setembro, após gravar um vídeo dias antes por causa do bullying que vinha sofrendo na escola.

A irmã do adolescente, com o apoio dos pais, resolveu ir ao baile da escola onde também estudava Jamey - e seu malfeitores do assédio moral -, quando começou tocar uma música de Lady Gaga. Todos acompanharam e dedicaram a canção ao adolescente morto.

Os falsos valentões que lá estavam não gostaram e passaram a cantar em coro: Você é melhor morto. Estamos felizes por ter morrido.

A garota voltou pra casa arrasada. Mas seus pais não deixaram barato. Aproveitaram a grande repercussão do caso na mídia e compareceram ao programa Today Show para relatarem o ocorrido.


No último final de semana, Gaga fez um tributo a Jamey - com direito a imagens e mensagens no telão - dedicando a ele uma versão especial da canção "Hair". Ela estava extravagante como sempre, mas seu ato é muito comovente [assista ao show clicando na imagem acima].

No vídeo gravado antes de sua morte, Jamey relatou seu suplício, falou de morte, mas parecia otimista. Ele também ressaltou a admiração por Lady Gaga em razão de seu apoio à comunidade gay: Ela me faz muito feliz e me fez perceber que nasci desse jeito

Jamye Rodemeyer acreditava numa solução para todas as pessoas que passam pela mesma situação. Ele gravou o vídeo para aderir à campanha americana antibullying "It Gets Better".

6 comentários:

  1. Eu vi a reportagem feito pela CNN.
    Nessas horas,me sinto de maos atadas.
    Beijos,querido.

    ResponderExcluir
  2. pois é, qntos mais terão que passar por isso? e a escola? kd um posicionamento da escola sobre estes meninos que causaram a morte de Jamey?

    ResponderExcluir
  3. Não sei se os caras são culpados pela morte do garoto, hoje em dia há uma supervalorização desta questão do bullying. Que foram escrotos antes e depois, não resta dúvida, mas quem tirou a vida do garoto foi ele mesmo - e ele tinha 14 anos, nem era mais uma criança. Se fosse para culpar alguém, eu culparia seus pais, que não perceberam o que se passava com o filho e o ajudaram a superar a questão.

    ResponderExcluir
  4. Então quer dizer que nem mesmo a nossa morte é "reparadora" de tensões homofóbicas? Se mesmo a morte dele, provocada por esses mesmos "valentões" não chegou a pesar na consciência desles, O QUE NOS RESTARÁ ENTÃO? Vamos viver. Nossa arma é viver!

    A Lady Gaga trouxe um respeito e um espaço inéditos aos gays. Realmente é inegável que ela seja contemplada!

    ResponderExcluir
  5. Concordo com o Paulo, porque quem é ruim não adianta, eles só irão sentir quando algo muito dificil acontecer em suas vidas, e olhe lá.
    Mas que a cada ano menos gays percam essa luta pela vida!Beijos!

    ResponderExcluir
  6. eu nao acho certo se suicidar, mas também odeio estas histórias de bullying e os valentoes ainda falarem que estavam felizes por ele morrer?
    eu acho que se ele nasceu assim nao é problema de ninguem!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.