Que existe, existe -- assim como mulheres, homens e gays sujos e baratos.
Mas Aguinaldo Silva, novelista experiente e bem-sucedido, poderia ter passado essa. Sem falar que travestis gostam de ser tratadas no feminino. Aprenda, Aguinaldo. 

Numa cena da novela Fina Estampa, a personagem Marcela (Suzana Pires), a piriguete e pivô da separação do casal Paulo (Dan Stulbach) e Esther (Julia Lemertz), se irrita com a gravidez desta, vai tirar satisfação e tenta provocar um aborto. A fina Esther desce do salto e manda ver: 
Você gosta de quiabo? É que tem gente que gosta de quiabo e tem gente que gosta de dormir com travesti. Porque foi isso que o Paulo foi procurar na rua [oi?],  um travesti vagabundo e barato..
Assista:



A não ser que Paulo realmente curta travestis vagabundas e baratas, como disse Esther, não há sentido a provocação. Ou então é o próprio Aguinaldo quem odeia.

Por enquanto, nada foi dito se Marcela era travesti (ela morre hoje). Mesmo assim, sobrou para a classe já tão sofrida, né não? Apanha de todo lado.
Será que vai rolar processo? Pergunta a Carol Cuiabá. Lembra dela?


5 comentários:

  1. Não senti nada demais no texto. Não achei pesado, foi apenas um exemplo usado pelo autor e como você mesmo disse, que existe, existe. E se ele falasse "transar com uma prostituta suja de rua" - Teria menos impacto será?

    ResponderExcluir
  2. eu sou noveleiro, estava vendo a cena, é claro. Achei que a cena apenas quis mostrar um momento de explosão, e nessas horas, mesmo a pessoa mais chique é capaz de dizer o que vier à mente. Em se tratando de traição, mais ainda. Levar chifre e ser educado não dá...rs...Eu achei verossímil, pra falar a verdade. Não dá é pra, no momento do barraco, ser politicamente correto. Ela não generalizou dizendo que todos os travestis são sujos, ela apenas disse que o marido procurou "um" travesti sujo e barato. E, sejamos sinceros, eles (ou elas) existem, assim como os(as) travestis limpinhos e caros. Um abração!

    ResponderExcluir
  3. tb fiz a mesma leitura do DPNN ... acho q foi só uma reação natural de explosão de quem se viu traído ...

    bjão

    ResponderExcluir
  4. verdade, a maior crítica q deve ser feita ai é o Aguinaldo não saber q travesti é uma palavra no feminino.

    ResponderExcluir
  5. Eu penso que por mais que não tenha havido preconceito e que a mulher quisesse extravasar, de fato a travesti não combinou com a cena, porque ele a traiu com uma mulher e não um homem. Abraços!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.