João W. Nery como JoanaJoão W. Nery - após cirurgia.  
Acho que muitos assistiram à entrevista da transexual e topmodel Lea T no programa da Marília Gabriela.
A de João W. Nery é interessantíssima! Através dela, podemos contemplar profundamente o universo dos transhomens. João nasceu Joana e foi o primeiro transexual brasileiro a fazer cirurgia (1977). Outros e bem mais complicados tempos.
Nos faz pensar em várias situações pelas quais comumente os gays não vivem.
Os gays se sentem sexualmente atraídos um pelos outros, se apaixonam e se casam. Os transexuais, enquanto pré-operados, têm o exercício da sexualidade muito mais limitado.
Tansexuais de sexo biológico feminino (transhomens) têm mentes de homens héteros. Seria inaceitável para qualquer um submeter-se ao papel feminino para a satisfação do outro.
O mesmo ocorre com os do sexo biológico masculino (transmulheres). Elas pensam como mulheres heterossexuais. Dificilmente conseguiriam agir sexualmente como homens para satisfazerem alguém.
Se acontecer de se sentirem atraídos por homossexuais, seria por homens gays totalmente ativos e másculos, no caso das transmulheres, e pelas lésbicas passivas e femininas, no caso dos transhomens.
Os vídeos desta postagem são os blocos iniciais das entrevistas de cada entrevistado. Para assistir a sequência, clique aqui (canal Identidade G no YouTube - Reprodução: “Tansexualidade”).

9 comentários:

  1. pois é, em sua maioria, transexuais são heterossexuais.

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    A matéria ficou boa. Faltou mencionar meu livro "Viagem Solitária - Memórias de um transexual 30 anos depois".
    Gostaria de esclarecer que eu não sou propriamente um defensor do binarismo sexual homem x mulher. Pelo contrário, defendo a desconstrução dos gêneros e que não compartilho com a visão de sou um heterossexual.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado João. Prazer e alegria tê-lo aqui no blog e o seu comentário enriqueceu a postagem.
    Grande abraço. ;)

    ResponderExcluir
  4. É muito bom que se traga esse assunto pra conhecimento da sociedade, porque vejo que o preconceito contra o trans existe até mesmo no mundo gay. O que por si só já é um absurdo.

    ResponderExcluir
  5. Bom, o Foxx já comentou o que eu iria comentar: EM SUA MAIORIA, transexuais são heterossexuais.

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  6. http://soutranshomemedai.webnode.com/16 de novembro de 2011 03:57

    Gostaria de acrescentar algo neta matéria. Há uma mistura de conceitos entre "identidade" de gênero, e "orientação" sexual. Nem toda pessoa transexual é hetero sexual. Há transhomens que são gays, como é o caso, por exemplo, do Buck Angel, um conhecido ator de filme porno americano. Buck é transhomem e tem desejo por outros homem. Assim como há transmulheres que tem desejo por outras mulheres! Sei que o tema é complicado, mas é sempre importante escalrecer que identidade de genero e orientação sexual não saõ a mesma coisa.

    ResponderExcluir
  7. Gostei de ver que o que me incomodou na matéria, de cara, incomodou aos demais.

    Nem sempre os transexuais são heterossexuais.

    Acho que, quem se presta a escrever sobre algo, tem que entender minimamente sobre o que está escrevendo para não cometer erros.

    Ou então não escreva.


    Ademais, porque essa competição em dizer "quem sofre mais preconceito", quem se deprime mais, quem passa por mais dificuldades?

    Os LGBTs são um coletivo que passa por diversas violências e opressões.

    A tentativa de martirizar mais o L ou o G ou o T ou o B não presta um serviço, creio, apenas causa mais ruptura interna, que já existe bastante.

    ResponderExcluir
  8. Souminha:
    E eu acho que quem se submete a comentar um texto publicado num blog, tem que, no mínimo, ler o texto.
    Ou então não comente.
    De onde você retirou a frase que colocou entre aspas no seu comentário: "quem sofre mais preconceito"?
    Não há sequer a palavra preconceito no meu texto!
    Não há nem contextualização do significado de preconceito!
    Quanto aos comentários dos demais, pelo menos, eles demonstraram que leram a postagem.
    São até engraçadas algumas pessoas que chegam com opiniões formadas sobre algo e não conseguem dissociar o pensamento com o que acabaram de ler. Mesmo que, de outra forma, o texto esteja concordando com elas.
    De qualquer maneira, obrigado pelo seu comentário.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.