Os 'realities shows', as redes sociais e os blogs vêm formando uma categoria televisiva até então pouco explorada: as 'gaylebridades'. Ou seriam 'subgaylebridades'?
Eles são gays assumidos, mas só isso não basta: humor (ácido), sagacidade, sarcasmo, frescura, fofoca, disponibilidade, paciência, oportunismo, cara-de-pau e uma dose de bajulação - na hora e com as pessoas certas - são requisitos indispensáveis para o sucesso.
Muitos famosos, alguns estrelas pop de diferentes setores politico-culturais, encontraram no Twitter uma forma de interagirem com os fãs (ou com quem eles pensam serem seus fãs) ou anônimos, sem a necessidade de aturarem abraços, beijos, mau-hálitos, mãos no cabelo, fotos, etc e etc...
Imagine se isso seria possível antes do Twitter?
Antigamente, os famosos só encontravam os anônimos nas ruas enquanto transitavam de casa aos locais de seus compromissos e vice-versa. Para os fãs mais tímidos, esses momentos sempre parecem inadequados para uma conversa mais duradoura. E são. Pelo menos para a maioria dos artistas.
Com o Twitter, os famosos aproveitam os momentos de ócio com a vantagem de não utilizarem o carão ou de produzirem o visual como geralmente acontece no mundo real.
Enquanto você  interage ou acompanha a conversa de seus ídolos (ou não) nas redes sociais, já pensou que estão de pijama ou de camisola do outro lado? Se bobearem, estão assim desde que acordaram (há 5 horas), não escovaram os dentes e os desodorantes estão vencidos. Imagine a cabeleira desgrenhada!
Pois é, mas são nesses momentos, em que estão mais humanos - no sentido de conviverem com a própria natureza - que se permitem interagir com o Zé Roela e com a Maria Carrapeta.
E aí entram os 'gaynônimos'. Aqueles com to-das as características mais acima mencionadas.
Alguns se tornam tão conhecidos entre os usuários das redes sociais que a tevê está de olho neles. Ou seja, enquanto engordam com os salgadinhos e os 'refri' na frente de seus computadores, imaginando a melhor piada para bajularem as celebridades e/ou detonarem as subcelebridades, eles conseguem mais destaque  na mídia do que as coitadas das mulheres frutas que só comem frango com purê de batata (dieta dos bombados) e gastam horas do dia malhando os coxões e o bumbum na academia.
Quem é 'twiteiro' pelo menos já ouviu falar de Hugo Gloss (primeira foto).
Ele começou como 'cover' de Christian Pior (Pânico) no Twitter, se tornou o queridinho de várias celebridades e hoje é apontado como uma das pessoas mais influentes do microblog (nessa ordem), segundo o site EGO. Não sei se há fundamento, mas li há algum tempo que ele foi convidado pelo apresentador Luciano Huck para trabalhar na produção do "Caldeirão do Huck".
Antes de participar do BBB10, Serginho era o Sr. Orgastic, uma celebridade virtual que se tornou conhecida graças às imagens que publicava com aquelas roupas, caras e bocas que hoje conhecemos muito bem.
Adriane Galisteu, que estava quase congelada, está no comando do mais novo programa de fofoca vespertino da tevê brasileira: "Muito+", da Band.
Ela divide as câmeras com uma baiana retada e de voz potente, a publicitária e radialista Rita Batista, o jornalista e repórter, Lysandro Kapila  e, advinha, duas novíssimas 'gaylebridades'. Ambas estão ainda com caras e bocas exageradas e inversamente proporcionais às fofocas que divulgam, mas são engraçadas.
Uma delas é o DJ e empresário Daniel Carvalho (na primeira foto acima, é o que está atrás) que ganhou notoriedade no mundo virtual por meio de seu blog Katylene. A outra, Vinicius Gomez (o da frente), surgiu do Twitter e tem o histórico igual ao do Hugo Gloss (destaque para as batas, os cachos da cabeleira e o carisma, claro).
Assisti a duas apresentações do Muito+ essa semana e confesso: deu aflição.
O maior desafio da veterana (e ótima) Galisteu é dividir a atenção. Enquanto apresenta, seus olhos percorrem o estúdio em busca do mais ansioso dos colegas para passá-lo a bola antes de ser atropelada.

5 comentários:

  1. Boa tarde, meu lindo... já acordou?

    Olha, acho que todos os que passam por aqui não vão se enquadrar nessa categoria... alias, os que se enquadram, não vão passar por aqui... é muito pra cabeça deles!

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. É por essas e outras que adoro ser comum e não merecer destaques.. rs

    ResponderExcluir
  3. Andy Warhol já profetizava que todos teriam 15 minutos de fama... estava certo. Acho twitter uma ferramenta inútil, pouco me importa saber que a (pseudo)celebridade acabou de almoçar... conheço alguns destes citados valem pelo humor, mas a gente tem blogayros como o Fernando Munhoz que tem mil vezes mais talento do que todos eles juntos... só falta a fama eo $$.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.