Como vimos na postagem anterior (aqui), existe a Associação de ex-gays -  ABEX ou ABEXLGBTT. O que é ex-gay?

Autodidata, palestrante ou aspirante a personalidade da mídia? Um homofóbico internalizado, talvez? 

Quem é gay sabe que não é possível deixar de ser no sentido de sentir a coisa. O tesão. Menos ainda passa a ter uma vontade súbita e louca de transar com pessoas do sexo oposto.

Pense na Tammy Gretchen (foto). Ela tentou ser heterossexual. Passou anos fingindo ser uma 'gostosa', posou nua, rebolou muito na vida pra tentar ser o que não é.

Um belo dia, pensou: nunca gostei de homem, nunca transei com um e nunca vou transar. 

A pessoa consegue, no máximo, deixar de praticar a homossexualidade. Se quer deixar de ser, sem abdicar do sexo, se tornará heterossexual, certo? Errado. Se tornará um membro da ABEx.

9 comentários:

  1. ai migo nem me fale, como essas bibas se prestam a esse papel neh,fico pensando o quando nao ficam em casa sonhando com bofes e segurando a onda pra nao mostrar que ainda são as mesmas militantes pinks. Babado e forte! Bjs!

    ResponderExcluir
  2. apesar de eu considerar q isso é uma certa intolerância nossa, eu concordo plenamente com vc.

    ResponderExcluir
  3. Sou gay, fui gay, sempre serei gay. Porem (e falo apenas calcado em minhas experiências de vida, pois não sou estudioso do assunto) acredito que, na vida, tudo é questão de momento. Tentando ser mais claro: não acredito em categorias absolutas! Para mim isso é muito claro. Todas as classificações são “modelos” de explicação e, como tais, sempre aproximativos. Os cientistas estão aí pra nos mostrar isso.

    Você (julgo) sabe um pouco de mim, pelo meu blog. Eu tive uma experiência, muito boa, de muitos anos, com uma mulher. Sexo não se resume ao ato em si, você deve saber disso. Tem toda uma série de coisas, afinidades, gostos, compatibilidades, que permeiam uma boa relação. Eu transei com ela? Sim, muitas vezes. Foram todas boas? Não, com certeza. Assim como nem todas as minhas relações com homens foram boas. Entende?

    E se eu te contasse que tive, por exemplo, algumas boas relações com um homem, que pelos modelos classificatórios seria considerado um hetero (casado, com filhos, feliz no casamento, tenho certeza)! Acho, sinceramente, que tudo é questão de afinidades e momento certo. Ele continua sendo “hetero” e eu “homo” e continuamos a ser amigos e nunca mais transamos. Não aconteceram de novo as tais oportunidades.

    Abração, como sempre seu blog é 10!

    ResponderExcluir
  4. concordo plenamente com vc. cada um é algo ... ou se é hétero ou se é homo ... não existe outra possibilidade ... é e será assim ... agora, isto não inviabiliza em nada a possibilidade de termos experiências ou até mesmo relações legais e satisfatórias com o oposto ... homo com hétero e hétero com homo ... mas la dentro somos e continuaremos sendo aquilo ... o bissexual ... ele sempre terá um perfil dominante, não tem como ... ou ele é um bi gay ou ele é um bi homo, ele só exercita a possibilidade ...
    claro q tb existe a possibilidade da sublimação dos desejos ... mas isto não quer dizer q ele se tornou um ex ... deste eu tenho é pena ... deixam de viver a vida em plenitude por conta do peso de uma culpa infundada ... é por aí ...

    ResponderExcluir
  5. Bom dia, meu lindo!

    Acho que o Bratz já disse tudo. Cá pra nós, já tive experiências com mulheres. Mas a tal da "química" requer bem mais que isso, simples experiências. Se eu casar um dia, só consigo pensar nisso se for com outro homem.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o Bratz.No caso de Lucas acho que ele é um bi homo e se relacionou com um bi hétero.

    ResponderExcluir
  7. Eu nem vou comentar essa de ex-gay, senão só sai insulto e palavrão do mais grosseiro! E como te respeito muito, assim como este teu digníssimo espaço, remeter-me-ei ao silêncio e alheamento.

    Mas concordo em absoluto com tudo que dizes e afirmas no texto.

    Beijos, querido

    ResponderExcluir
  8. Eu só não entendi essa do Bratz: ou se é "um bi gay ou ele é um bi homo"... Hein??

    Não vou entrar no mérito da discussão sobre bissexualidade ou se é possível ou não ser um ex-gay.

    Só compartilho com vc da pergunta "porque existe uma associação de ex-gays?" para a qual não vejo outra resposta que não "existe para manter uma homofobia religiosa por culpa de uma pesadíssima influencia que desestrutura a personalidade da pessoa a ponto de faze-la ser contra o que ela é (ou era)"...

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  9. existem milhares de ex-gay a maioria deles não tem coragem de contar isso por ser uma pratica tão podre que afeta até sua nova decisão. aqui tem dois links de milhares que existe na internet. EX-GAY EXISATE SIM
    http://www.exodus.org.br/sobre-nos/
    http://www.ministeriojoidemiranda.com.br/site/

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.