Quando um homem heterossexual faz essa pergunta pra si ou pra alguém, quase de imediato ele pensa na imagem de outro homem praticando sexo anal. Diante disso, ele chega à conclusão que não é bom.
Ao longo da vida, ouvi em rodas na escola ou no trabalho alguns caras enfatizando essa negativa: Nooooossa, como é que o cara dá o rabo, velho? É foda!! Isso não é pra mim.
Com esse desfecho, o homem gay passa a ser apenas o cara que dá o rabo. Ele pode ser estudioso, trabalhador, discreto, religioso, enfim, um ser socialmente adaptado e bem-sucedido, porém, se assumido, a imagem estará atrelada ao sexo anal enquanto ele não conseguir se mostrar ao outro como um ser humano com qualidades. 
Outro dia, não faz duas semanas, estava passando pela praça General Osório (Ipanema). Um rapaz bonito, que aparentava 25 anos, estava de bermuda e sem camisa (muito calor) aguardando alguém. O seu suposto namorado chegou, também sem camisa, devia ter uns 30 anos. Os dois se cumprimentaram com um beijo na boca. Não foi um simples selinho. Mesmo rápido, o beijo foi de língua. Deram-se as mãos e seguiram seu destino.
Enquanto eu viajava na cena e pensava como aquilo está se tornando comum nas ruas do Rio - quase todos os dias testemunho cenas assim -, um sujeito de uns 40 anos passou por mim com cara debochada e comentou: agora vão procurar um lugar pra dar o cu.
Sinceramente? Naquela hora, não tive vontade de retrucar. Olhei pra ele e balancei a cabeça negativamente com raiva por ele ter interrompido os meus pensamentos que estavam num cenário bem mais romântico.
Nos últimos dias, tenho ficado tedioso com juízos de valor como o daquele homem.
A resposta à pergunta do título é óbvia, pelo menos pra mim. Ser gay não é bom nem ruim, não é melhor nem pior, é simplesmente ser. A prática do sexo anal é uma questão de foro íntimo, assim como todas as demais decisões que qualquer pessoa tem direito, independentemente de orientação sexual.
Na contramão do que foi aqui exposto, a foto acima é o encontro do sargento Brandon Morgan e do seu parceiro Dalan Wells. O primeiro regressava de uma viagem ao Havaí. A imagem foi publicada na página gay do Facebook Marines no último sábado e está percorrendo o mundo (Daily News).
Por outro lado, Alexander Lukashenko (foto à direita), presidente e ditador da Bielorrúsia, numa crítica às sanções impostas pela União Europeia relativamente aos direitos humanos, declarou que prefere ser conhecido como ditador do que gay (Portugal Gay). Pergunto: por que mesmo ele pensou logo nos gays? Será que duvidam da heterossexualidade dele?
Lukashenko, que se apresenta com um bigodinho ao estilo Adolf Hitller, tem uma forma parecida com a do maior ditador de todos os tempos para administrar seu estado. A Bielorrúsia tem sido apontada como um estado cuja conduta está fora de sintonia com o direito internacional e cujo regime é considerado uma violação grosseira dos direitos humanos (Wikipedia).
Lembra que o Silvio Berlusconi, presidente atual do Milan, disse algo parecido quando ainda era primeiro ministro da Itália?
Responsável por uma das eras mais escandalosas da história italiana desde a segunda guerra, em 2010, após ser sido flagrado em várias orgias sexuais que envolviam garotas menores de idade, ele disse: é melhor ser [um velho] tarado do que gay. Leia aqui

7 comentários:

  1. Ótimo texto, parabéns! Eu já desisti de compreender porque os homens, heteros em particular (pois também já conheci homos com muito preconceito) insistem em relativizar nosso modo de viver a sexualidade.

    Chego até a duvidar que o ter preconceito esteja ligado à falta de cultura ou educação. Existem tantos exemplos de pessoas cultas (não sei até que ponto) tão carregadas desse ranço! Talvez seja essa a "doença real", uma forma de neurose, sei lá.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Infelizment é um ranço mesmo esse preconceito, porque a nivel sexual,a homossexualidade está presente até mesmo no reino animal. Mas os humanos tão inteligentes sempre olhando o material pelo imaterial.Uma pena!

    ResponderExcluir
  3. Qual é a única diferença de fato entre um adulto homossexual e um heterossexual? Acho que a resposta acaba sendo apenas a questão sexual, por isso há esta ideia fixa na cabeça do hétero. O restante é apenas cultural. Eu não comento da minha vida sexual com ninguém, mas é claro que ao me afirmar gay fica implícito o que faço na cama...

    ResponderExcluir
  4. Sim, ser gay não é bom nem ruim ... é simplesmente ser assim como o hétero ... o resto querido é mandar pra PQP! Mais do q nunca, Bratz atingiu o seu terceiro estágio ... e com ele veio esta certeza e esta convicção ... vivo a minha vida e pronto ... cada um q viva a sua ... só tem uma coisinha básica q não abro mão mais, para ninguém ... quer respeito? me respeite ...

    ResponderExcluir
  5. excelente análise, parabéns.
    só me faz notar como o preconceito é capaz de reduzir um grupo social a pior coisa do mundo.

    ResponderExcluir
  6. Eu fico me perguntando se essas pessoas ficam imaginando os heterossexuais transando quando estes anunciam um namoro... como se tudo fosse só sexo! ser gay não é só fazer sexo com outro cara. Tem todo um lance afetivo que não é evocado numa primeira referência... Ótimo texto, Junnior!

    ResponderExcluir
  7. Tudo isso é sintoma de medo da diferença. E este é fruto duma incomensurável ignorância.

    Eu, tal como o nosso querido e jurássico como eu, amigo Bratz, já estou naquele de "quer ser respeitado, então me respeite", senão vão bardamerda!

    Beijos. querido

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.