Aquele perfil descrito na postagem anterior (aqui), o do gay enrustido ou no armário, poderá ser explorado pela novela das nove da Globo, "Avenida Brasil", de João Emanuel Carneiro.
O personagem Roniquito ou Roni, interpretado pelo iniciante Daniel Rocha (o da direita na foto maior), poderá se apaixonar pelo amigo Leandro (Thiago Martins). Os dois já moram juntos. Diógenes (Otávio Augusto), pai de Roni, alugou um quarto para Leandro. Isso deve facilitar e reforçar a paixão talvez não correspondida.
O autor já se pronunciou dizendo que não se sente obrigado a incluir personagem gay na sua trama. Segundo ainda disse, o rapaz poderá permanecer no armário 'sine die'. Seria como se nem mesmo ele soubesse que é gay, apesar da atração pelo amigo.
Bom, se ele ainda não sabe, Suelen (Iris Valverde), a vendedora 'porralouca' que trabalha na loja de Diógenes, tem certeza.
Ela soltou duas diretas pro garotão que não deixam dúvidas para o bom entendedor.
Na primeira, após repreendida por Roniquito, por causa da forma, digamos, negligente de trabalhar, a 'piriguete' espertamente mudou o assunto para intimidar o garotão:
E aí, Roni, veio fazer companhia pro amiguinho novo, foi? Tão inocente ele, né? Tão desprotegido... Uma gracinha mesmo (sorriso irônico). Mas, fica tranquilo. Ele não faz o  meu tipo, não. Tá?
Acredito que João Emanuel poderá ajudar algumas famílias brasileiras que vivem ou passarão por conflitos relacionados à aceitação de filhos gays ainda no armário. 
A situação agora é bem diferente daquela ocorrida na penúltima novela das nove da mesma emissora, Insensato Coração. Enquanto ali tudo se passava na zona sul carioca e o personagem Eduardo (Rodrigo Andrade) acreditava que Sueli (Louise Cardoso), sua mãe, aceitaria na boa  a sua homossexualidade após se descobrir gay e apaixonado por Hugo (Marcos Damigo) - de certa forma aceitou mesmo - agora, o cenário é bem mais rústico. Diógenes, o pai, é suburbano e membro do clube de futebol do bairro no qual Roni e Leandro inclusive jogam.
Eu diria que o autor poderia deixar aquela polêmica sobre beijo gay (que já se tornou baboseira) de lado. A peleja agora é delicada, ou melhor, o buraco é mais embaixo.

12 comentários:

  1. também acho, seria bem mais interessante só no final da novela ele conseguir admitir que é gay... não é?

    ResponderExcluir
  2. Vixi, eu sempre por fora de novelas, ainda mais agora! Das coisas que eu vi na TV até hoje me parece que os autores/emissoras têm um medo enorme de se aprofundar no assunto, um pouco que seja. Sempre ficam na superficialidade. Um dia quem sabe...

    Beijos, meu lindo.

    ResponderExcluir
  3. que assim seja, mas q seja uma coisa real e menos estereotipada né?

    ResponderExcluir
  4. vamos ver como a Globo vai deixar o autor lidar com este tema.

    beijos queridão
    suas postagens são sempre o máximo

    ResponderExcluir
  5. Fox, admitir que é gay desde logo, eu diria, é fundamental para o processo de aceitação.
    Quando me referi à delicadeza desse tipo de conflito, me referi às várias fases sofridas desse processo.
    A coragem de assumir pra si é complicada. Depois virá o pai, depois o resto da família, os amigos, vizinhos, etc. Cada reação dessas é um drama e uma situação nova.

    Serginho, obrigado querido.

    ResponderExcluir
  6. Eu como gay tô cansado desse conflito sobre auto-aceitação. Já foi tratado demais, tá na hora de evoluir. Na minha opinião seria melhor se ele já soubesse que é gay e só tivesse receio de se assumir, mas já se aceitasse. Nem todo mundo tem conflito consigo mesmo ao se descobrir gay. Eu sei por que eu não tive. Agora quanto ao JEC, duvido que ele vá colocar esse personagem gay e não fazer nada com ele, já que isso seria colocar um personagem atoa e o JEC não é autor de fazer isso.

    ResponderExcluir
  7. Hum..ainda vão colocar o personagem pagando paixão para um hétero o que é, na minha opinião, humilhante...

    ResponderExcluir
  8. Também acho que esse personagem poderia ensinar sobre auto aceitação e uma tolerância do meio, meio que tivemos o caso com jogador de volei que poderia de certo modo ser reproduzido, embora la nosso amigo ja e assumido, bjs!

    ResponderExcluir
  9. Bom, vamos ver o que vai dar isso aí...

    ResponderExcluir
  10. Fui buscar fotos dos citados pra lembrar de Insensato. Thiago Martins não fez o papel de assassino homofóbico? Agora será de jogador idem?

    Como vc disse, o buraco é mais embaixo, e a bola bem maior.
    Já deixei de esperar alguma coisa de novelas. Como disse Aguinaldo Silva naquela entrevista no Roda Viva, é puro entretenimento para quarenta milhões de pessoas. Não dá pra esperar muita coisa nessa área ainda tão cheia de controvérsias, medos, preconceitos.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Alex.
    É a vida do ator (rs)...
    Dessa vez, me parece, o fato de o ator interpretar outro personagem heterossexual não o fará, necessariamente, homofóbico.
    É bom esclarecer isso.
    O heterossexual pode lidar muito bem com a cantada ou com a aproximação do homossexual, se recusando ou demonstrando desinteresse sexual, sem ser preconceituoso ou sem humilhação.

    ResponderExcluir
  12. É evidente que o contexto do espetáculo é o futebol, no conflito de um drama homo afetivo o futebol passa a ser um personagem ativo, mesmo que sem falas assumi vital importância dramática. falei.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.