Conforme publicado no Identidade G (aqui), o Estado norte-americano da Carolina do Norte realizaria nesta última terça-feira, dia 08 de maio, o referendo para o povo decidir a favor ou contra da Amendment One (Emenda Um) que define o casamento como a união entre um homem e uma mulher.
Houve o referendo, o povo votou e as urnas mostraram que 58% daquela população não querem abrir o direito aos gays. O Estado se tornou o 31º dos EUA a não permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo ou sequer a união civil.
É bom lembrar que o teor da Emenda Um será inserido na Constituição estadual, a maior lei dos federados.
Um dia após o resultado do referendo, o presidente dos EUA, Barack Obama, declarou à TV ABC que pessoalmente é a favor dos gays nessa questão. Os noticiários de todo o mundo divulgaram a entrevista alegando que o presidente, até aquele momento, ficava em cima do muro.
As falas do presidente:
  • Eu penso que os casais de pessoas do mesmo sexo deveriam se casar.
  • Sempre defendi a ideia de que as lésbicas e os gays americanos fossem tratados com justiça.
  • Tenho conversado com amigos e  familiares sobre o tema, sobretudo ao observar membros de minha equipe incrivelmente comprometidos em relações monogâmicas com pessoas de mesmo sexo.
Cogitou-se que o presidente pode ter sido pressionado pelos eleitores gays a se declarar publicamente a este respeito. E com razão. Eles representam, pelo menos, 15% do financiamento total de sua campanha eleitoral.
A declaração poderá fortalecer as campanhas eleitorais dos demais Estados da federação que ainda não votaram em medidas análogas à Emenda Um.
Após o ocorrido, a comissária europeia de Assuntos Internos, Cecilia Malmstrom, saudou o pronunciamento nesta quarta-feira com um Yes, we can (sim, nós podemos) em sua conta na rede social Twitter. 
O sim de Barack Obama ao casamento entre pessoas do mesmo sexo é uma tomada de posição importante, conclluiu Cecilia.
Outras figuras de peso se declaram favoráveis ao casamento gay em aopio às campanhas contra a Emenda Um da Carolina do Norte, como o ex-presidente americano Bill Clinton.
Com todo esse conservadorismo americano será que Obama se reelegerá?
Rick Santorum, o mais votado representante do partido republicano pra concorrer com Obama nas eleições daqui a seis meses, não perdeu tempo. Correu à imprensa pra reiterar que é contra o casamento gay.

3 comentários:

  1. Acho que não se reelege.Não por isso, mas devido ao fato de que ele herdou cofres arruinados pelo governo Bush e logo teve que enfrentar uma crise que será sempre associada a ele.

    ResponderExcluir
  2. eu acompanhei a votação e foi triste ve-los perder...

    ResponderExcluir
  3. Bem! tb acho q esta declaração tem mais cunho de interesse econômico q qualquer outra coisa mas, de qualquer forma, não deixa de ter o seu peso a favor da luta ...

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.