Com 20 centros médicos espalhados pelos Estados Unidos e mais de 20 mil pacientes, a Cenegenics usa como garoto-propaganda o médico Jeffry Life que atua na empresa e é paciente do programa de combate aos efeitos do envelhecimento. Para mostrar os resultados do tratamento de reposição hormonal, a empresa usa fotos e vídeos ao estilo "antes e depois". Acima, o médico aparece numa imagem com o corpo normal para um homem de 57 anos. Na outra, aos 64, surpreende. Lembra aquelas imagens que parecem montagem (a empresa garante que não é).
Atualmente, com 73 anos de idade, ele se especializou no tratamento para homens de sua idade dispostos a adotar o mesmo estilo de vida: alimentação controlada, exercícios e reposição hormonal, se necessário. E ainda dá palestras pelo mundo, inclusive já esteve no Brasil. [Veja abaixo mais fotos de Dr. Life].
As maiores queixas dos homens antes de se submeterem ao tratamento de reposição hormonal: depressão e ansiedade, fadiga, dificuldade para dormir e para concentrar, e até falta de libido.
Com pouco mais de 30 anos de idade e após tentar tratamentos com antidepressivos e ansiolíticos, o americano JG aceitou o conselho de um colega da academia e começou a fazer reposição hormonal: "Tomei minha primeira dose e, uau, pareceu que tudo deu uma volta de 180 graus".
Atualmente com 40, JG segue com o tratamento. Duas vezes por semana, injeta em si mesmo pequenas doses de testosterona e garante que sua vida melhorou em vários aspectos: "Pergunte à minha namorada, uma modelo de 27 anos", brinca o executivo, que dirige uma consultoria de administração de capital de risco em Nova York.
Apesar dos elogios de JG ao tratamento, alguns médicos têm dúvidas quanto à eficácia e eventuais danos colaterais do uso de hormônios, que poderiam incluir câncer e problemas no coração.
Terapia Hormonal

A deficiência de testosterona entre homens pode estar ligada a problemas congênitos, doenças, estresse e efeitos colaterais de certos medicamentos. Além disso, a partir dos 30 anos de idade, inicia-se um declínio gradual da produção do hormônio no organismo.
A maior parte da testosterona utilizada em terapias de reposição hormonal é produzida em laboratório a partir de vegetais como soja e inhame.
Um grande número de médicos defende os benefícios do tratamento no combate ao envelhecimento. Eles vêm oferecendo terapias de reposição hormonal a pacientes que se queixam dos sintomas acima citados.
Entre eles está Lionel Bissoon, de Nova York. Segundo ele, até meados da década passada, a maior parte de seus pacientes era formada por mulheres entre 45 e 69 anos. Mas a situação se inverteu. Atualmente, cerca de 85% é de homens entre 30 e 69 anos, muitos deles executivos de Wall Street.
O médico conta que, após uma bateria de exames, o paciente pode iniciar o tratamento. A reposição hormonal pode ser feita por meio de injeções, adesivos ou via oral. O próprio paciente aplica suas doses de testosterona: "Eu ensino meus pacientes a se aplicarem, é bem fácil. Não é possível para um executivo ocupado ter que ir a um consultório para tomar uma injeção duas ou três vezes ao mês, não é prático", diz.

Custos
Está se tornando mais comum homens mais jovens, com pouco mais de 30 anos (procurarem o tratamento). Michale Barber, médica e diretora-executiva da Cenegenics Carolinas.
Embora a aplicação dos hormônios possa ser feita pelo próprio paciente, é necessário que ele passe por um acompanhamento periódico por médicos e seja submetido a exames regularmente, o que pode aumentar os custos do tratamento.
Para realizar um tratamento hormonal de combate aos efeitos do envelhecimento na Cenegenics, é preciso desembolsar em média US$ 1 mil por mês: "Os nossos pacientes estão pagando pelo acesso a médicos, fisiologistas, nutricionistas e acompanhamento de laboratório", diz Barber.

Câncer

Apesar dos efeitos aparentemente milagrosos, ainda restam dúvidas sobre a segurança dos tratamentos de reposição hormonal para combater os efeitos do envelhecimento em homens saudáveis.
Embora os médicos adeptos da terapia garantam que ela é segura e pode prevenir doenças, outros apontam que ela pode estimular o desenvolvimento de câncer de próstata e causar problemas cardíacos.
Além disso, pesquisas apontam entre os possíveis efeitos colaterais do tratamento atrofia dos testículos e infertilidade, problemas hepáticos, retenção de líquidos, acne e reações de pele, ginecomastia (crescimento anormal das mamas em homens) e apneia do sono.
Embora tratamentos do tipo estejam sendo utilizados nos EUA desde a década de 1990, há poucos estudos amplos sobre seus efeitos e riscos.
Em 2009, o National Institute of Health dos Estados Unidos deu início a um amplo estudo sobre os efeitos do tratamento de reposição de testosterona em homens acima de 65 anos. Os primeiros resultados, no entanto, devem ser divulgados só em junho de 2015.
_______________________
Fonte: essa postagem é uma resenha da matéria publicada pela BBC Brasil em 18.05.2012.
Mais sobre reposição hormonal ou sobre o Dr. Life:
Revista ALFA.
Opinião do Dr. Drauzio Varella, aqui.


7 comentários:

  1. não vejo nada de tão surpreendente assim, qualquer homem que adote o mesmo estilo de vida teria o mesmo corpo, a alimentação dele deve ser regradíssima, e o treino intenso, eu queria saber é se ele consegue os mesmos resultados com a mesma velocidade que ele conseguia aos 20 e poucos anos... que isso sim seria realmente surpreendente, não acha?

    ResponderExcluir
  2. Bem, meu lindo, acredito que você já saiba da minha opinião. É dificílimo que saibamos, a priori, da extensão de possíveis efeitos colaterais adversos decorrentes de terapias como essa, pelo simples fato que eles se confundem com as instabilidades inerentes aos processos vitais “normais”, fisiológicos. Eu jamais recomendaria, especialmente para esse tipo de finalidade descrito na matéria. Novamente, isso se fundamenta numa visão linear da medicina hegemônica, que atuando sobre uma causa apenas (a produção decrescente de hormônios, natural no ciclo vital) acredita poder obter um efeito. Sem se dar conta de toda a complexidade que envolve esses mesmos processos. Embora saibam dessa complexidade.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Depois de ter penado tanto para alcançar os meus gloriosos 55 é que eu iria querer parecer um adolescente envelhecido?! Nem pensar! JAMAIS!!!

    Quem me quiser amar tem de ser como eu estiver naturalmente. Aí a verdadeira glória do amor!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Concordo com o ManDrag... o amor em seu estado natural é a gloria. se disfarçar de adolescente...pra que?
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Cada um na sua, mas acho que tudo tem seu tempo. Inclusive envelhecer.
    Ficar com corpo de boneco Falcon e cara de maracujá-de-gaveta, realmente...
    Não adianta querer parar o tempo. Melhor aproveitar o tempo que não para.
    Cedo ou tarde, tudo vai cair mesmo. Inevitável.
    Se conseguirmos manter elevado pelo menos o espírito... já tá bom demais.

    ResponderExcluir
  6. Olha, eu não sou das pessoas que tem medo de envelhecer. Então, acredito que a coisa naturalmente vai caminhar e eu nem vou me incomodar com isso...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. eu adoro os meus 61 ... mudar o q? Man Drag está corretíssimo ...

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.