Estava escrito.
Mesmo depois de morto, ele se transformou em referência aos rappers e aos novos admiradores que surgem ao longo do tempo. Há até lendas em torno de sua morte. Alguns fãs alegam que, como Elvis Preley, o rapper norte-americano Tupac Shakur teria simulado a própria morte e está curtindo a vida longe dos holofotes.
Se no plano material há provas de seu falecimento - houve autopsia, enterro e etc -, na esfera sobrenatural o cara continua estrela da música. Nada menos do que uma dezena de discos póstumos foram lançados desde a sua morte (mais de 30  milhões vendidos e cerca de 75 milhões antes) e, no dia 15 de maio, ele apareceu ao vivo no palco do Festival Coachella, na Califórnia, diante de um público estimado em 100 mil pessoas.
Shakur fez um solo e um dueto com Snoop Dog (ao lado, com Tupac ainda em vida). Ele surgiu em névoas de iluminação com a cabeça baixa. A seguir, abre os braços e faz uma expressão no rosto de quem parece confirmar o possível espanto dos espectadores. Ao final, de novo com os olhos voltados para o chão, ele simplesmente se desintegra.
Tudo, porém, não passa de tecnologia digital que incrementou, e muito, um truque de ilusionismo conhecido desde o século XIX.
Mais incrível ainda é que os movimentos do cantor não foram copiados das imagens de arquivos. A coreografia mostrada nessa apresentação é original, baseada nos movimentos que o rapper costumava fazer em seus shows. Tudo criação da empresa Digital Domain, especializada em efeitos especiais.
É ver para crer.
Tupac Shakur morreu assassinado a tiros em 1996 e o processo de investigação perdura até hoje por falta de provas. Seu trabalho era defender a igualdade política, econômica, racial e social. Quase todas as suas músicas combatem a violência e orientam como crescer no meio dela.   

2 comentários:

  1. é, essas tecnologias sempre nos surpreendendo...

    ResponderExcluir
  2. O holograma ficou excelente, e vários sites já explicaram como tudo foi feito. É realmente de cair o queixo!

    Li em algum lugar que farão o truque de novo, porém com o eterno rei do pop, Michael Jackson. Espero que seja verdade...

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.