Every1Against1 ('Todos contra 1') é o nome da campanha lançada no Estado da Carolina do Norte ("CN"), EUA, contra a Amendment One ('Emenda Um'). Foram utilizadas imagens impactantes que comparam a emenda à segregação racial e evocam a luta dos afro-americanos pelos direitos civis.
O objetivo é "acordar" os cidadãos gays ou não, contrários à discriminação, sobre o referendo que ocorrerá no próximo dia 8 de maio.
A emenda já havia sido debatida na Assembleia Legislativa da CN no início do segundo semestre de 2011 e não obtivera número suficiente de votos para se qualificar. Um grupo parlamentar, numa manobra política, conseguiu convencer outros parlamentares a apoiá-lo na segunda votação. Assim, em setembro de 2011, nasceu a Amendment One. Aprovada por maioria.
Na cédula constará o seguinte:
Emenda constitucional para estabelecer que o casamento entre um homem e uma mulher é a única união jurídica interna que deve ser válida e reconhecida neste Estado.
"Concordo" ou "Discordo".
Se aprovada, será acrescida nova seção ao título constitucional para constar do artigo correlato o seguinte:
O casamento entre um homem e uma mulher é a única união jurídica interna que deve ser válida e reconhecida neste Estado. Esta seção não proíbe festas particulares para celebrar contratos com uma outra parte privada; nem proíbe tribunais de julgar os direitos de particulares em conformidade com tais contratos.
Emendas à constituição são propostas pelo poder legislativo da CN. Para serem aprovadas, precisam de ao menos 60% do votos do Senado e da Câmara dos Representantes do Estado, em duas votações sucessivas. O Terceiro passo é o referendo. Para tanto, são necessárias aprovações de 51% ou mais da população eleitoral.
"Não permitido a cães, lésbicas, gays, bissexuais, pais solteiros, bastardos, mulheres abusadas, viúvas e viúvos"
Hipoteticamente, se fosse realizado no Brasil, em âmbito federal, um plebiscito (voto popular antes da criação da norma) ou referendo (voto popular após a edição da norma, devendo o povo ratificá-la ou não) com o mesmo propósito, você acha que a maioria do povo votaria a favor (da ratificação do texto constitucional que define casamento como o vínculo jurídico apenas entre homem e mulher) ou contra?
E o que achou das fotos da campanha norte-americana?
Confira mais fotos.
"Servimos apenas aos casais casados"
"Mães solteiras devem sentar-se aqui"


4 comentários:

  1. a campanha é legal, e se no Brasil se fizesse um plebiscito ou referendo o casamento entre pessoas do mesmo sexo não seria aprovado, somos um país homofóbico. isto é um fato.

    ResponderExcluir
  2. Acho que você pode me esclarecer: essa emenda está sendo votada em cada estado, né? Porque aqui também anda rolando muita conversa sobre isso.

    Beijos, meu lindo.

    ResponderExcluir
  3. Eu realmente não sei como seria um plebiscito ou referendo aqui no Brasil... Sei que isso vai soar como um preconceito da minha parte, mas se fosse quebrado em estados, ou regiões, teríamos uma oposição entre a opinião do sul/sudeste e do norte/nordeste...

    Nada sei ao certo...

    ResponderExcluir
  4. O Cesinha. A 'Amendment One' pode até servir de modelo para outros estados dos EUA, mas cada estado-membro da federação norte-americana tem sua própria Constituição, e em cada uma delas existe um tratamento peculiar para o Poder Legislativo.
    Para a criação das leis estaduais, os estados obedecem aos trâmites da sua Constituição. E não necessariamente eles são iguais.
    Uma lei aprovada em um não prevalecerá aos outros e vice-versa.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.