- Como uma pessoa que nem a nossa presidente, que passou o que ela passou nos tempos da ditadura, pode ser insensível à causa dos gays? A classe LGBT está decepcionada com tamanha indiferença e é muito importante a presidente se manifestar sobre o tema.

- Ela tem medo de se posicionar. O presidente dos EUA, Barack Obama, recentemente deu uma declaração favorável à causa dos gays. A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, também. Mas aqui não se tem discutido porque o silêncio do governo é grande, ao contrário do que acontece no mundo inteiro.

- É inaceitável que hoje, 24 anos após a Constituição de 1988, e mais de um ano após a decisão do Supremo (STF), considerada por muitos uma vitória, alguns juízes ainda teimem em impedir que casais homossexuais legalizem sua situação.

- Os homossexuais não têm que se contentar com a decisão do STF. É fundamental que a campanha do Casamento Igualitário se estenda por toda a mídia. Nas redes sociais o movimento é forte, mas estamos negociando com a Rede Globo para que tenhamos mais visibilidade.

Deputado Jean Wyllys, a presidente Dilma é insensível a qualquer causa que não envolva o PT e seus principais correligionários. E nem seria sensibilidade a palavra que define o elo entre eles. Dilma é insensível e ponto. E os insensíveis não têm medo.
_______________________ 
Campanha nas redes sociais, liderada pelo parlamentar após a apresentação de sua Proposta de Emenda Constitucional (PEC), de 2011, que visa alterar o art 226 da CR/1988. A campanha tem parceria de setores independentes do movimento LGBT e de artistas como Arlete Salles, Serjão Loroza Ney Matogrosso e Ivan Lins. O objetivo é pressionar o Congresso Nacional. Veja o vídeo ao lado.
Fonte: O Globo.

8 comentários:

  1. Taí! não votei nela e nem em ninguém, mas qdo ela foi eleita e empossada depositei a maior confiança nela ... bem ... a decepção mais uma vez foi grande ... #fato

    ResponderExcluir
  2. Todo político quer o poder e se manter nele. Como nossa sociedade possui muitos grupos e classes distintas, cada uma se articula para ter seus interesses atendidos pelo governante da situação. Penso que os gays deveriam se articular melhor e "adotar" UM representante de seus interesses e com isso dar a ele todo apoio para que esse consiga chegar ao poder. Assim não precisaríamos ficar na dependência dessa velha oligarquia que sempre esteve no poder e NUNCA fez nada por nós, a não ser dar algumas migalhas em momentos de decisão eleitoral. Prática totalmente clientelista e medíocre. No momento atual não vejo em nenhuma das alternativas que temos alguém REALMENTE preocupado com a nossa cidadania. Falta aparecer uma liderança gay genuína para fazer frente a isso e os gays, na sua maioria, dar esse apoio.

    ResponderExcluir
  3. Eu também me decepcionei muito com ela. Ainda mais pelo passado de perseguição que ela sofreu. Deve ser a tal "corrupção do poder das alianças" e o PT, que tanto combateu isso, faz a lição de forma insuperável. Bacana o vídeo também!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. ê, eu me decepcionei muito mesmo. as alianças que ela construiu são o pior de tudo, se aliou ao lado negro da força mesmo!

    ResponderExcluir
  5. não me decepcionei porque nada do pt me decepciona

    ResponderExcluir
  6. Não posso dizer que tenha me decepcionado, porque já via que, pra chegar lá, ela teve que abrir mão de muita coisa que (eu imaginava) ela pensa. Ou pensava, se é que pensou algum dia a respeito do sofrimento alheio.
    O avanço dos direitos civis não se dará, lamentavelmente, com o apoio do Executivo.

    ResponderExcluir
  7. Dia do folclore.

    É verdade que alguém ainda acredita que uma (una, one... em qualquer língua!) pessoa possa fazer e desfazer coisas? Que é que é? Muita novela, chopp, LSD, pouca educação, baixa capacidade cognitiva? Talvez um mix disso?

    Agora à postagem: Como é que alguém escreve "que nem"?! Faça um favor, por gentileza: corrija! Substitua por "da estirpe", por "como"(mesmo que figure repetido, na frase), etc, Ou mude para "Como a nossa presidente, que passou..."

    Quanto a Wyllys, considero-o inócuo. O que ele quis ao ingressar na política? Por acaso é só agora que ele percebeu que para as coisas acontecerem, as "canetadas" têm de ter outra envergadura que não a sua? Torço muito o nariz, sim, e se alguém quiser ter uma longa discussão para entender os motivos - que não são pessoais de forma alguma - me contate.

    Bom, Dilma ter vivido o "peso" da ditadura faz a gente inferir o quê? Que ela deveria se posicionar com relação aos gays favoravelmente?

    Alguém votou nela por essa associação descabível? Eu ficaria perplexo em saber.

    Veja que o argumento não tem sentido algum: Por acaso os mesmos Barack Obama e Cristina Kirchner por acaso viveram a ditadura brasileira? E não se posicionam? então, pronto: Não tem relação alguma - usando DO PRÓPRIO argumento da postagem - uma coisa com outra.

    Outra coisa: Presidente é cargo do EXECUTIVO; Legislação (Citou-se a Constituição) é arte do LEGISLATIVO (presidente não a elabora!).

    Mesmo se fosse possível admitir esse ERRO CRASSO (de confundir as atribuições), ainda assim, Dilma é presente AGORA e a CARTA MAGNA é de 1988. Então esse papo de "é inaceitável que hoje, 24 anos após..." não faz sentido.

    Não votei na Dilma (em ninguém, na verdade, pois meu voto é CONSCIENTE... MESMO!) e não sou partidário de Fulano nem Beltrano. Assim, me eximo de ser considerado defensor da Dilma.

    A gente tem uma sociedade ignorante e isso se reflete nas Leis (e não leis) que temos. É muita fantasia crer que isso mudará com assinatura. E é justamente o caminho contrário que precisa ser feito, ou melhor, é preciso que as ações aconteçam em paralelo: Que as várias formas de educação trabalhem a questão da sexualidade em concomitância com ações no Legislativo e Executivo.

    Numa rápida analogia: Parem com essa visão atrofiada de achar que botar camiseta branca e cruzar as mãos, andando por aí, vai trazer paz ("Sou da paz, sou da paz...blablabla). Ridículo!

    ResponderExcluir
  8. Luck, sabemos que, gramaticalmente, ao transcrever a fala ou a escrita de terceiros, devemos usar as aspas (ou o itálico). Por outro lado, há outra maneira: através do sinal traço. Esse aqui: '-'. Neste caso, fugimos das regras gramaticais e intercalamos o texto à linguagem hodierna dos blogs, a qual julgo importante considerar nas postagens do IdG - desde que não deturpe o entendimento do conteúdo, claro (parece que não funciona com vocêm né?).
    Então, os parágrafos seguidos pelo sinal '-' foram falas do próprio deputado Jean Wyllys, publicadas no jornal "O Globo" e copiadas pelo Identidade G. Eu acabei de por o 'link' no final da postagem, após ler o seu comentário. Eu havia esquecido de linkar como costumeiramente faço.
    Por essa razão, creio, grande parte de sua crítica deveria ser encaminhada diretamente ao deputado, o autor das falas. Se preferir deixar que a internet se incumba desse objetivo e Jean Wyllys casualmente leia, tudo bem. Está devidamente consignada.
    Para não melindrar mais a sua leitura ortodoxa, esclareço que somente o último parágrafo (as três últimas linhas do texto acima), é de minha autoria.
    Ok, neimm?

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.