“Seja destemido. Seja honesto. Seja generoso. Seja corajoso. Seja poético. Seja aberto. Seja livre. Esteja apaixonado. Seja feliz. Seja inspiração.”  Escreveu Beyonce, de punho, na foto de Frank Ocean com quem trabalhou no disco 4, de 2011.
Só pode ser efeito Obama. Após o presidente norte-americano declarar ser favorável aos direitos dos gays, as 'celebrities' de peso daquele País estão se assumindo. Não é a toa que o deputado e ativista das causas gays,  Jean Wyllys, insiste nessa empreitada com a nossa indiferente presidente Dilma Roussef (aqui).
Vimos aqui a confissão do apresentador da CNN, Anderson Cooper. Agora, no mundo da música, o rapper Frank Ocean, 24 anos, vocalista do grupo de rap Odd Future, confessou na internet que o seu primeiro amor foi um homem, embora tivesse se envolvido com mulheres: 
Eu tinha 19 anos. Ele também. Passamos aquele verão, e o verão seguinte, juntos. Quase todos os dias. Nos dias em que estávamos juntos, o tempo voava. Até a hora de dormir, muitas vezes, compartilhava com ele.
Ocean, que já compôs músicas para Justin Bieber, Beyonce e John Legend, é o cantor de maior notoriedade dentre os que assumiram a homossexualidade no universo rap, reputado o mais preconceituoso.
Apesar de considerada arriscada por alguns, a atitude de Frank tem sido apoiada por outros grandes nomes do hip-hop, segundo informou o jornal The New York Times:  meu grande irmão finalmente falou sobre isso. Estou orgulhoso, teria declarado Jay-ZEle quebrou um muro que nunca deveria ter sido construído, teria se manifestado também Joie Manda, presidente da gravadora Island Def, se referindo ao preconceito contra gays na comunidade.

5 comentários:

  1. isto é um sinal de que assumir com postura não é sinônimo de ostracismo, discriminação, repúdio e outras coisitas mais ...

    ResponderExcluir
  2. Mais ou menos o que acabei de escrever no blog do Foxx: se assumir em sociedades preconceituosas é pra se aplaudir! E ainda temos que considerar que, para pessoas bem sucedidas em suas carreiras e financeiramente falando ainda isso é mais fácil. Para as pessoas comuns os aplausos tem que ser muito mais intensos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. é, vamos aplaudir mesmo! aplaudir muito!

    ResponderExcluir
  4. Arriscado seria ele se negar, se negar a ser verdadeiro, a ser feliz, a ser livre, a se amar e a ser amado... isso é arriscado. Arrisca-se a morrer de tristeza.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Eu concordo com uma coisa que o Lucas disse: para pessoas comuns é infinitamente mais complicado essa coisa de se assumir. Os fatores família e trabalho tem um peso muito forte. Nunca é fácil.

    Beijos, meu lindo.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.