Olá! Me chamo Flávio Augusto e virtualmente me denomino Augusto Crowley. o nomeCrowley, vem do criador do 'Taro de Thot', baralho que adoro e uso para os meus atendimentos.
O taro surgiu na minha vida no período da adolescência após o meu contato com o 'Baralho Cigano'. Tem sido pra mim um excelente instrumento de autoconhecimento, de ajuda nas tomadas de decisões e, claro, um instrumento de ofício.
Com relação ao trabalho, o taro me proporciona atender as pessoas que buscam noções claras dos problemas pessoais ou profissionais: amor, família, carreira, saúde, etc. Além disso, as cartas propiciam a análise dos prós e contras relacionados aos projetos de vida que cada pessoa pretende materializar.
Comecei  a usar o taro de forma profissional a partir dos 17 anos de idade. Até então, servia aos membros de minha família, aos amigos mais íntimos e aos vizinhos.
Hoje, aos 33 anos de idade, tenho o taro presente diariamente na minha vida, seja de forma virtual, pessoal ou profissional. Ele está no meu blog Senhor da Vida Tarot, o qual utilizo na divulgação de trabalhos, e no meu cotidiano. Além do uso pessoal das cartas, crio oportunidades de estabelecer contatos com pessoas das mais diversas áreas, inclusive blogueiros.
Além de blogueiro, administro uma comunidade no Orkut chamada 'Taro'. Nela, troco conhecimentos sobre este universo com outros profissionais e estudantes por meio de jogos, textos sobre os arcanos, arte e etc.
Meus atendimentos ocorrem tanto via online quanto presencial.
Com relação à coluna do Identidade G, procurarei mostrar a relação do taro com o universo gay, seja trazendo cartas que abordem a temática LGBT, na sua estrutura, como descrevendo situações, embora, nunca é demais ressaltar, somos iguais independentemente da orientação sexual.
Por ora, vamos adentrar só um pouco no universo do taro para vocês entenderem melhor. Uma pessoa com personalidade regida pelo mago, por exemplo, poderá ser imediatamente caracterizada como comunicativa além dos outros atributos que dependerão de uma análise mais apurada.
Então, a minha abordagem aqui será mais artística e mostrará decks nos quais o cenário gay estará em evidência. Espero que gostem.
A próxima postagem trará o arcano 'O louco', do 'Taro Gay'. Até lá! 
Flavio Augusto
Sobre o autor:
Também conhecido como Augusto Crowley, tem 34 anos, é tarólogo e blogueiro (senhordavidatarot.blogspot.com.br). Mora em Florianópolis (fun page: facebook.com/flavio.cardoso).

7 comentários:

  1. interessante ... aguardando ansioso ... tenho uma enorme curiosidade mística por estes temas ...

    ResponderExcluir
  2. é, qro ler tb que me interessei.

    ResponderExcluir
  3. Bacana, gostei. Só fiquei esperando quando vc disse que “Por ora, vamos adentrar...”... e não adentrou! (kkkkkk). Vou ficar esperando então.

    ResponderExcluir
  4. Deixa eu ver se entendi... aí as cartas dizem: "você pelo resto da sua vida jamais será feliz no amor!"... e?!

    ResponderExcluir
  5. Amigos, desculpem pelo falha, mas de fato eu havia enviado o primeiro post sobre o Arcano O louco, juntamente com a minha apresentação, mas o arquivo não deu para abrir.
    Como estive ausente por ter começado a trabalhar em um novo emprego, acabou que não vi o email sobre o fato. Mas podem deixar que entrarei no tema em breve.
    Respondendo ao Lucas: pro resto da vida é muita coisa, geralmente eu analiso a vida de um consulente num determinado prazo, porque minha intenção é fazer com que ela perceba os pontos onde deve trabalhar para que sua vida possa melhorar á partir da consulta. Abs a todos!

    ResponderExcluir
  6. Também estou ansioso pelos novos posts. Como uma ferramenta para o autoconhecimento , o tarô é uma das que mais aprecio, ainda mais, um Tarô Gay!!!

    ResponderExcluir
  7. Vou ficar aguardando... quem sabe me identifico com uma das cartas....
    Abraços

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.