Seguindo a saga dos arcanos maiores chegamos ao de número 2. Quando criado, falou-se muito de uma papisa que engravidou e acabou descoberta em plena procissão.
Diferentemente de  "O Mago" (Arcano de número 1), "A Sacerdotisa" representa as pessoas que gostam de observar mais e falar menos, ou seja, este arcano fala do silêncio que muitas vezes nos livra de situações desagradáveis.
O silêncio da "Sacerdotisa" pode também representar um segredo que o consulente guarda a sete chaves para se defender de algo, ou de um segredo que virá à tona e poderá  mudar a sua vida.
Todos temos um segredinho, não é? Às vezes, agimos assim por pura precaução; para nos defender de pessoas mal intencionadas que podem fazer mau uso daquelas informações com o intuito de nos prejudicar.
Se relacionarmos o Arcano ao universo LGBT, pode significar aquele momento em que estamos no armário, ou seja, a fase em que estamos descobrindo a nossa orientação sexual - se já a conhecemos, não nos sentimos ainda prontos para revelar aos outros. Para algumas pessoas, esse período da vida é muito difícil e exige uma dose maior de segurança e ousadia. Neste caso, o silencio se torna um companheiro.
Este Arcano sempre traz uma atmosfera de mistério no ar, a qual pode estar relacionada tanto à identidade quanto à forma pela qual lidamos com o outro, inclusive no amor. No final das contas, é mesmo um indicio de que a pessoa esconde algo ou alguém.
Este Arcano também fala do sagrado; do secreto no plano espiritual; daquela sabedoria transmitida sob sigilo. Inclusive fala de alguém possuidor de grande sabedoria com muito a ensinar, a transmitir, porém, para isso acontecer, cabe a nós buscá-la. Lembre-se, falamos de pessoas discretas que preferem se manter reclusas.
Entre quatro paredes, o indivíduo regido por este Arcano pode ter fantasias que as pessoas de seu convívio social não seriam capazes de imaginar devido a sua atitude recatada. De novo, relacionando aos gays, tem mais a ver com a pessoa que, no âmbito sexual, se realiza mais na posição vulgarmente conhecida como "passiva". Mas se enganam os que interpretarem a palavra no sentido literal, pois ela nada tem de inerte e muito tem de fogosa.

Um ensinamento que tem a ver com esta carta é: "A palavra é de prata e o silencio é de ouro".

Beijos a todos! Até a próxima.

Imagens: (1) Le Gay Tarot; e (2) criação de um tarólogo gay que chama este Arcano de "O Intuitivo" - muito a ver porque é no silencio que aprendemos a nos sintonizar com o mundo em nossa volta.
___________________________________________________
Leia mais postagens de Augusto Crowley em sua coluna "Tarot no Universo LGBT".
Flavio Augusto
Sobre o autor:
Também conhecido como Augusto Crowley, tem 34 anos, é tarólogo e blogueiro (senhordavidatarot.blogspot.com.br). Mora em Florianópolis (fun page: facebook.com/flavio.cardoso).

2 comentários:

  1. Por incrível que pareça, essa carta fala muito de mim. Posso até parecer "faladeira", mas, quem vê cara... não vê coração. A sacerdotisa evoca sabedoria, a sabedoria sagrada passada de geração a geração.
    Segredos?... quem não tem?
    Abraços "Augustus"...

    ResponderExcluir
  2. É muito bom ter amigos regidos por esta carta: pessoas que sabem ouvir e que sempre tem uma palavra amiga para dizer aos demais, de forma carinhosa,pausada.Beijos!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.