Peter Kearney, diretor da 'Scotish Catholic Media Office',  afirma que uma pesquisa médica mostra ligação entre homossexualidade e morte prematura em até 20 anos e argumenta que isso é "tão perigoso quanto prejudicial". [The Telegraph]

Em setembro de 2011, o governo escocês abriu consulta pública em que perguntava à população se deveria permitir que gays se casassem. Até dezembro daquele ano foram 76,8 mil respostas, muitas de associações religiosas ou ONGs. Dessas, 67% foram contra o casamento de pessoas do mesmo sexo. Apenas 32% se declararam a favor.

A população disse não, mas o governo da Escócia acreditava que liberar o casamento homoafetivo é a melhor forma de garantir um país justo e igualitário. Em julho de 2012, a vice-primeira ministra Nicola Sturgeon anunciou que o governo divulgaria até final do ano um anteprojeto de lei para autorizar o casamento homossexual no país. 

A Igreja Católica, por meio do porta-voz Peter Kearney, voltou a reivindicar à sociedade que não aceitasse a decisão do governo: a homossexualidade é prejudicial e perigosa. Nenhuma sociedade deveria facilitar ou encorajar as relações homossexuais. Há uma ligação entre a prática sexual entre pessoas do mesmo sexo e a morte prematura, declarou o porta-voz ao programa da Rádio BBC 5. Kearney disse ainda que os casais homossexuais não deviam ter sequer o direito a parcerias civis.
__________________________________________________________
Acompanhe abaixo parte da conversa havida entre Kearney e o anfitrião do programa, Dominic Laurie ("Laurie").

Laurie: Casais do mesmo sexo não são capazes de manter relacionamentos solenes ou reconhecidos pelo Estado?
Kearney Bem, não...Acreditamos que relações homossexuais são profundamente prejudiciais tanto física, biológica, mental quanto emocionalmente. E eu acrescentaria aos envolvidos que espiritualmente também. Nenhuma sociedade deve facilitar ou encorajar ninguém a entrar em um relacionamento do mesmo sexo. As evidências falam por si. As taxas de suicídio entre os homossexuais, a redução no tempo de vida entre os envolvidos na prática ...

Laurie [interrompendo]: ...Me desculpe, mas eu acho que os casais gays que nos escutam agora podem considerar isso questionável; isso que você disse sobre eles estarem prejudicando a si mesmos.
Kearney: Eu espero que eles não achem isso mais questionável do que alguém que tenha problemas com álcool escutar: "você está suscetível a reduzir sua expectativa de vida". Bem, talvez eles não achem, não sei. Mas a realidade é que não estou inventando nada. É um fato. O comportamento que envolve a prática da homossexualidade é profundamente perigoso e prejudicial ao bem-estar das pessoas envolvidas. Agora, a sociedade pode fechar os olhos para isso e dizer: "quem se importa?". Façamos como laissez-faire e os deixemos seguir em frente. De modo geral, é o que fazemos sempre nessa auto-obsessão social de que tudo é permitido. Por outro lado, a Igreja não pode agir assim. Temos que procurar o que é melhor para cada indivíduo, quer se trate de um viciado em drogas, tranquilizantes, álcool ou de alguém com conduta homossexual, e dizê-lo: 'Esse não é o melhor caminho".

Laurie: Creio que alguns casais gays refutarão a alegação de que o seu amor é um vício, mas acho que devemos passar para a próxima pergunta....
_____________________________________________________
Sr. Kearney concluiu que igualdade no casamento é "imoral e ilógico" e defendeu um "regramento para o comportamento dos gays". Ele também afirmou que a grande maioria dos escoceses se opõe aos direitos conjugais dos gays e que isso também não fora refletido nas pesquisas de opinião. 
______________________________________________________
No tocante aos estudos mencionados pelo diretor acima, foi citada a pesquisa realizada pelo "Family Research Institute" dos EUA, grupo considerado homofóbico pelo "Southern Poverty Law Center",  e um estudo de saúde dos gays elaborado no auge da AIDS, ​​cujos autores alertaram, já em 2001, que não poderia ser usado para conclusões desse tipo.

Sobre isso, os autores declararam: 
Parece que a nossa pesquisa está sendo usada por grupos seletos dos EUA e da Finlândia os quais sugerem que os homens gays e bissexuais vivem um estilo de vida não saudável que seria mais destrutivo tanto para eles próprios quanto para as outras pessoas. Esses grupos homofóbicos parecem mais interessados em restringir os direitos humanos dos homossexuais e bissexuais do que promover a saúde e bem-estar geral.
[Pink News]

6 comentários:

  1. eu já li também pesquisas que dizem q homossexuais morrem antes mesmo, pq se suicidam e pq estão expostos a crime, mas o problema é que eles morrem antes exatamente pq estão expostos a homofobia e isso, a homofobia, não o fato deles serem gays, é prejudicial, nas palavras do padre, tanto física, biológica, mental quanto emocionalmente, não é?

    ResponderExcluir
  2. Dizem que a taxa de suicídio entre os canhotos também é maior(não sei se é verdade), mas a igreja faz campanha para que eles se tornem destros?
    Ahhh tô de saco cheio (ops) com instituição religiosa... seja qual for. Ela é humana... esse é o problema.
    beijos Junior

    ResponderExcluir
  3. Fox: Pois é, eu também acho. Mas acredito que a intenção do diretor foi de acrescentar mais um item na 'lista da morte' dos gays. É pra fomentar mesmo a homofobia.

    Margot: adorei a analogia (rs). Pra você ver como a igreja católica é nonsense.

    Bjauns.

    ResponderExcluir
  4. Pra esse tipo de gente, parece que a inquisição ainda não terminou. Sinto uma mistura de nojo e tristeza quando leio algo desse tipo... e pena também...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Definitivamente não tenho mais saco para tanta imbecilidade ... NOJO de religião ... TODAS!

    ResponderExcluir
  6. Nojo de religião eu não tenho, que me enoja são esses falsos religiosos que se esquecem de um dos mais antigos ensinamentos, morremos por que somos mortos, apanhamos pois essas pessoas sem fé distorcem as palavras, e nos atacam.

    Eu tenho fé em Deus, e como tenho fé, não tenho religião alguma, por enquanto! Mas sei que sou amado, eu me amo, podem quebrar meu corpo, mais meu espirito jamais deixarei quebrarem. Não sei de onde vem esse odio ou medo, não tenho certeza de qual sentimento os impulsiona, só sei que carregamos essa cruz, todos nos essa cruz da descriminação, porem para não sermos quebrados por essas pessoas infames, temos que ter "FÉ" em quem somos.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.