O cristão fundamentalista, reverendo Grant Storms, conhecido protestante antigay do "Southern Decadence" - festival anual gay que acontece próximo do Dia do Trabalho e dura três dias num bairro francês de Nova Orleans (Luisiana - EUA) - foi condenado por cometer obscenidades num parque público infantil no ano passado.
O juiz Ross LaDart, do 24ª Tribunal Judicial do Distrito, condenou Storms a três anos de liberdade condicional e a uma avaliação por problemas psicológicos. Na confissão, o pastor admitiu que, em três oportunidades, se masturbou no 'Lafreniere Park'.
Durante o julgamento, Storms disse que, no dia em que foi flagrado, resolvera sair um tempo do local do seu trabalho para saborear uma cerveja no parque e teve uma ereção, mas afirmou que, embora se masturbasse, não expôs o pênis. Entretanto, nos autos do processo constava o seu depoimento obtido logo após a prisão em flagrante, bem como os das testemunhas que viram o homem se masturbando dentro de seu carro.

Uma das testemunhas, uma mulher que havia acabado de estacionar seu veículo ao lado da van de Storms e tirava os seus filhos do carro, alegou que viu famoso 'patriota dos cristãos' sentado ao volante com o zíper aberto fazendo o ato sexual. Logo depois, contou à segunda testemunha, outra mulher que então se aproximou da van para confirmar. 

- Mas por que você foi ao parque fazer isso? Perguntou o xerife local após sua prisão.
- Eu não sei. Acho que fiquei com muito tesão, respondeu Storms.
- Um tesão proporcionado por uma fantasia sexual?
- Sim.
Embora os incidentes aconteceram num parque infantil, os policiais não encontraram evidências que associam Storms a um pedófilo.
Storms promovendo a 'limpeza' no bairro francês
 de Nova Orleans, em 2003.
Na época da prisão do cristão, Chuck Robinson, o organizador do "Southern Decadence", fez questão de ir ao parque e disse ao "Times-Picayune": Ao longo dos anos, ele tem feito de tudo para perturbar o festival e tentar torná-lo algo desagradável aos olhos da população. Se o rev. Storms foi pego fazendo isso em nossa cidade, é ridículo e hediondo que ele tenha a coragem de reclamar sobre qualquer tipo de sexualidade.
Segundo o advogado, Storms orquestrou vários eventos contra o "Decadence" no passado e, em 2004, moveu um processo de difamação contra o grupo de direitos dos homossexuais "Action Wisconsin"', mas o caso foi arquivado pelo tribunal.
Ele também se dizia defensor da moral - declarando, inclusive, que masturbação é imoral - e promovia uma 'limpeza' no "French Quarter". Ele rondava as ruas do bairro para filmar eventuais atos sexuais que pudessem ocorrer durante os três dias do festival gay. Alguns vídeos de conteúdo desconhecido foram encaminhados aos legisladores do Estado de Luisiana como forma de coagi-los a proibir a continuidade do festival.
O reverendo, do lado de fora do motel onde se hospedou após liberado
 da prisão em flagrante em 2011, pede desculpas à família
 e à comunidade gay de Nova Orleans.
______________________________________________
Fala sério! Como pode tanta hipocrisia?
Cá entre nós, as ações desse Storms, descritas logo acima, no último parágrafo, não lembram as de dois famosos e declarados homofóbicos brasileiros, um deputado e um pastor? 
Onde há fumaça, há fogo.

4 comentários:

  1. e assim caminha a humanidade com toda a sua hipocrisia ... hummmmm!!!

    bjão

    ResponderExcluir
  2. Mas é sempre assim mesmo... quanto mais algo nos irrita, mais nos toca. É bem simples isso!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Tem fumaça... tem fogo. Cabra safado... afffee!
    bjs junior

    ResponderExcluir
  4. Isso que dá pessoas jogarem pedra no outro..imagina se ele não fosse religioso.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.