Via Folha de São Paulo
Depois de tanto furor nas redes sociais por causa da foto em que André Almada, um dos empresários mais poderosos da noite gay de São Paulo e do Rio, aparece abraçado com o candidato do PRB à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, a assessoria do dono da "The Week" e do "The Society", publicou a seguinte nota de esclarecimento:
Sobre a foto que tem circulado pela internet, na qual o empresário André Almada aparece ao lado do candidato a prefeito de São Paulo, Celso Russomanno, explicamos que se trata de um evento realizado na semana passada no clube ‘The Society’. Russomanno, apontado por muitos como opositor da comunidade e dos direitos LGBT, foi justamente esclarecer essa questão e apresentar seus planos e projetos pertinentes a esse público. O que fizemos foi dar direito de resposta e promover um debate saudável. O Grupo The Week, além de promover entretenimento, exerce sua responsabilidade social. Nossas portas estão abertas a todos os demais candidatos.
Imagem veiculada no Facebook (reprodução)
André Almada, dono da 'The Week', mostra sua casa.

A revolta gay é por causa da forte suspeita de ligação entre Russomanno e os líderes da igreja Universal do Reino de Deus (IURD), uma das maiores oposicionistas dos direitos dos gays. O que se sabe é que, em troca de espaço para comandar um programa de tevê na Rede Record (do Bispo Macedo), o então deputado federal e apresentador passou supostamente a concordar com as ideias e interesses daquele que é o maior grupo neopentecostal do Brasil.

Certo é que o programa amealhou ao candidato um número significativo de eleitores potencialmente 'votáveis' - nele, claro. Entretanto, indagado pelo jornalista Heródoto Barbeiro se era de fato candidato da igreja  e da Rede Record, o político respondeu: "Sou candidato de todas as igrejas". Sobre a Record, afirmou: "não existe isso. Se sou, não estou sabendo". Na prática, porém, o que pode ser percebido são laços estreitos que unem a emissora, a igreja e o partido. Um número significativo de lideranças do PRB, que participam do núcleo que determina os caminhos da legenda, são ou foram pastores, bispos e dono de afiliada da Record. (Site Terra).

Mas, enfim, por que André Almada decidiu 'abraçar' Celso Russomanno? É o próprio quem responde nessa entrevista concedida ao jornalista Vitor Angelo, do Blogay (Folha de São Paulo).

Blogay ("BG")Como aconteceu este encontro entre você e Russomanno?
André Almada ("AA")  - O partido do deputado Campos Machado (o PTB) solicitou um encontro com o candidato. Então convidei algumas pessoas do meio LGBT para um bate-papo no clube “The Society”. A iniciativa não foi nossa. Foi solicitação do partido. Nós aceitamos, pois achamos que esse debate seria uma forma de exercermos de fato a democracia, e também uma oportunidade de ouvir do próprio candidato a posição dele quanto às propostas direcionadas aos homossexuais. Qualquer outro candidato que nos procurar, faremos o mesmo.

BG - Como surgiu a foto, por que decidiu tirar uma foto ao lado dele?
AA - Como anfitrião da noite, uma foto com o candidato é de praxe. Afinal, constituímos a mesa de debate.

BG - Como você está reagindo aos comentários e atos contrários a esta foto?
AA - Me surpreendi e ao mesmo tempo fiquei feliz, pois não imaginava que promovendo este encontro eu fosse descobrir que tantas pessoas estão politicamente engajadas e preparadas para cobrar do(a) nosso(a) futuro(a) prefeito(a), independentemente de quem seja eleito,  ações que envolvam a classe LGBT.  As pessoas estão preocupadas com as propostas dos candidatos, e isso é muito bom. Embora estejamos sofrendo críticas, o nosso objetivo de promover a reflexão está sendo cumprido.

BG - Você sabia das ligações de Russomano com as lideranças da Universal, inimiga histórica dos LGBTs no país? Isto não te deixou ressabiado de realizar este encontro?
AA - Sim, tenho conhecimento pelo que se tem divulgado na mídia e redes sociais. Justamente por isso achei oportuno esclarecer essa e outras questões na presença dele. Afinal, ele foi a um clube gay conversar com gays sobre os direitos dos gays.

BG - Afinal, você apoia ou não Celso Russomano? A suas boates “The Week” e “The Society” tem alguma agenda política?
AA - Até o momento não apoio nenhum dos candidatos à Prefeitura de São Paulo. Não temos agenda política, mas reforço que estamos abertos a todos os candidatos.

O jornalista, que mora em São Paulo e deve acompanhar melhor a campanha eleitoral do candidato, terminou a sua matéria com a seguinte análise:
(...) é inevitável perceber uma certa incoerência (e também inocência?) neste abraço. Celso Russomanno é o candidato que parece esconder o que pensa, porque reitera a todo tempo que só quer discutir a cidade – como se o fato do que ele acredita não tivesse menor valor. Ele é o que se diz católico e que seu partido é de base da mesma religião, quando reportagem da Folha mostra sua profunda relação com a Igreja Universal e seus líderes, muitos deles políticos que lutam intensamente contra leis de direitos aos homossexuais. Isto é, existe algo de dissimulado entre o que ele diz e o que realmente é.
Parece louvável que ele vá ao encontro dos homossexuais, mas dentro desta perspectiva de dissimulação parece ser mais um jogo dele. Sim, como Almada disse, ele foi fazer suas propostas sobre a cena gay – algo que parece estar longe de sua agenda verdadeira . Em troca, um abraço. E a imagem do homem que declarou ser contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo transforma-se com esta foto (que diz mais que mil palavras) em uma prova contrária da homofobia que realmente sustenta sua campanha.
Quem o acusará de homofóbico agora? Ele foi aos gays, abraçou um deles. Ele tem agora mais um álibi em seu arsenal de dissimulações, e a  gente, nem um abraço de verdade.
Ainda segundo a matéria, uma manifestação de repúdio está sendo marcada para hoje, dia 22 de setembro, em frente a um dos clubes de Almada. “Gritemos, demonstremos nossa indignação e repulsa a este ato e inspirados em Harvey Milk vamos à frente da boate ‘The Society’ de André Almada demonstrar nossa ojeriza em relação ao seu apoio ao candidato não desejado pela comunidade LGBT”, diz o manifesto no Facebook.
_____________________________________________
Leia também: André Almada, dono da 'The Week', mostra sua casa.

2 comentários:

  1. Realmente foi uma atitude arriscada, mas concordo que serviu para reflexão.
    Doido pra saber como foi o protesto, beijos!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.