No século passado, 800 gays resolvem passar o final de semana em Nova York, no voo 747, quando, no meio do Atlântico, os dois motores do avião param e Alice Kate, uma biba linda, devota ferrenha de São Sebastião, não pensa duas vezes e promete ao santo, que se ela for salva, jamais iria querer um homem em sua vida.
Durante sua queda, Alice é salva por um bando de cegonhas marroquinas, que a deixa em frente a uma sauna gay na Paulista. Ela resolve cumprir a sua promessa e resiste a tentação.
Casa-se com uma mulher, tem filho e passa no concurso da Petrobras, voltando definitivamente para o armário durante longos anos.
Até que o santo São Sebastião do alto, observando toda trajetória da bela, resolve descer para se juntar a outros amigos de Kate para tira-la do seu armário.
Esse é o enredo de 'Éramos Gays', espetáculo com estreia prevista para o mês de novembro em grande estilo. Na programação está incluída a grande festa, em negociação com o Clube San Sebastian, com a presença de todo elenco do espetáculo. Tudo isso rola ainda em clima de muita expectativa e novidades. Os americanos Adrian Steinway, diretor, Jim Cooney, coreógrafo e seu assistente, Jason Sparks e o preparador vocal, Marcus Carvalho, têm preparado os rapazes que darão vida aos personagens da trama, escrita pela dramaturga baiana Aninha Franco, que abre definitivamente a estreia dos grandes musicais em Salvador.



Um comentário:

  1. Interessantíssimo isto ... os musicais estão em alta por aqui no Brasil e isto é bom ... eu gosto ...

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.