Alain de Botton é considerado um dos filósofos mais pop da atualidade. Ele ficou famoso por popularizar a filosofia e divulgar seu uso na vida cotidiana. Aos 44 anos, este descendente de judeus sefarditas reside hoje em Londres, mas nasceu na Suiça. Seu primeiro reconhecimento público veio com o livro de não-ficção "Como Proust pode mudar sua vida", de 1997.
No mês passado, a revista Marie Claire trouxe uma entrevista com Botton sobre alguns de seus lançamentos recentes, inclusive o livro intitulado:"Como pensar mais em Sexo".
No livro acima citado, Alain de Botton afirma que homens e mulheres pensam no assunto de forma inadequada e explica o porquê:
"É bastante raro passar pela vida sem se sentir frustrado em relação ao sexo, pelo menos em algum momento. Apesar de ser uma das atividades mais íntimas do ser humano, as relações sexuais  são cercadas de preconceitos  sobre como devemos lidar ou nos sentir em relação a ela. A verdade é que poucos de nós somos "normais" sexualmente. Estamos quase sempre cercados de culpa, neuroses, fobias e desejos "estranhos". Não lidamos com o sexo como deveríamos - com alegria e de forma não obsessiva. Nos torturamos acreditando que outras pessoas lidam melhor com o tema do que nós. É hora de aceitar nossas esquisitices com bom-humor e coragem."
Afirmou ainda que:
"Falar sobre sexo nunca é fácil - pelo menos, não quanto gostaríamos. Apesar de tentarmos domá-lo constantemente, ele continua um lugar obscuro dentro de nós. O desejo, por exemplo, pode simplesmente desaparecer. Ou vir separado do amor, diferente de como muitos ainda acreditam que deva ser. Para começar a discutir sobre sexo, temos de aceitar que desejo e atração são sentimentos confusos."
Alain comanda desde 2008, em Londres,  a 'School of Life' (Escola da Vida), onde são ministradas aulas de como lidar com temas do cotidiano, como amor, sexo, religião, trabalho e família.
Segundo Botton existem planos para abrir ainda esse ano a primeira filial na América Latina - mais precisamente em São Paulo.
______________________________
Achei interessante essa entrevista. A visão de Alain de Botton sobre sexo é por demais verdadeira para que possamos contestar. Não é regra claro, mas também não é exceção.
Vocês concordam... discordam... ???



Margot


__________________________________________
Leia mais textos da Margot em sua coluna "Ponta de Punhal".

3 comentários:

  1. concordo , falar sobre sexo não é fácil, e muitas vezes nem com o parceiro abordamos nossos medos, nossas fantasias,o que poderia melhorar muito a relação.

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha lido a entrevista dele e concordo com ele ... a dificuldade q o SER humano tem para lidar com uma coisa tão natural, tudo por conta de aspectos culturais e, principalmente, por conta das famigeradas religiões [todas opressoras e anti-naturais]. Felizmente, desde os meus 30 e poucos anos conquistei a minha liberdade plena de expressão sexual ... seja qto à sexualidade seja qto ao sexo em si ... liberdade plena ... sem neuras, me permitindo o exercício de todo tipo de experiência sexual à qual eu estivesse a fim e com o consentimento do parceiro ...

    Parabéns pela brilhante postagem Menina Margot ...

    bjão e obrigado pelo carinho por lá ...

    ResponderExcluir
  3. Sexo é tão natural. Interessante como algo tão simples pode, ao longo dos séculos, ter sido tão carregado de tensões, preconceitos, barreiras... enfim, o aspecto cultural se sobrepondo ao natural. Coisa mais estranha!

    Beijos.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.