Dos três jogadores acima, um se tornou ativista da causa gay e outro o apoiou e participou de campanhas a favor da homossexualidade. O terceiro [não necessariamente na ordem das fotos] interferiu na parceria para se manifestar contrariamente ao casamento gay. Você saberia apontar quem é quem apenas pela análise rápida das fotos?

O resumo da polêmica teve início em 2009 durante a campanha presidencial de Barack Obama. O jogador Brendon Ayanbadejo, 36 anos, do time de futebol americano 'Baltimore Ravens', publicou um artigo no jornal “Huffington Post” se posicionando a favor da união gay após o partido republicano se manifestar contra o casamento entre pessoas do mesmo gênero. A partir de então e até hoje, se dedica à causa e pode-se dizer que é ativista.

Além de participar de campanhas,  Ayanbadejo arrecada fundos destinados a uma ONG que atua na defesa dos direitos dos homossexuais. Em agosto último, chegou a vender dois ingressos para o jogo de abertura da temporada da NFL para este fim.

Uma quarta pessoa, um deputado estadual de de Maryland [típico], se incomodou com a atitude do jogador, saiu do seu provável ostracismo e se jogou em campo, bem sobre os holofotes, claro. Seu nome é Emmett C. Burns Jr.

O deputado escreveu uma carta ao dono do 'Baltimore Ravens' pedindo para este vigiar o seu empregado: "Não sei de nenhum outro jogador da NFL que fez o que o Sr. Ayanbadejo está fazendo." A carta foi amplamente criticada, não somente pelo óbvio desrespeito ao direito de Ayanbadejo defender o que ele bem quiser, mas também pelo estúpido desacato à liberdade de expressão. Não satisfeito, ele mandou um recado para Ayanbadejo:  “se concentre em jogar futebol americano”. 

Chris Kluwe, 30, colega de Ayanbadejo, mas de outro time (punter do Minnesota Viking), rapidamente defendeu o parceiro. Apenas uma semana após o tal deputado se meter onde não foi chamado, Kluve lhe mandou uma carta na qual repudiou a intolerância do político: “Acho inconcebível o senhor representar o estado de Maryland. Fico envergonhado e enojado ao pensar que seu discurso de intolerância seja responsável por moldar a política em qualquer nível”. 

Em 1º de outubro foi a vez de Matt Birk, 36 anos, o primeiro da foto acima e colega de time de Ayanbadejo, acender ainda mais o holofote. É provável que seu incômodo era coisa antiga. O posicionamento de Ayanbadejo a favor dos gays gerou notoriedade - para ele e e para a causa. Uma brecha se abriu ao deputado para publicar o  quarto (terceiro? Me perdi) artigo no jornal para declarar que é totalmente contra o casamento gay. A manifestação, segundo ele, foi direcionada a Kluwe.

Ayanbadejo afirmou ao site TMZ que nunca conversou com Birk sobre o assunto e garantiu que a discussão não interfere no entrosamento do time. “Em campo, estamos todos alinhados. Temos um só objetivo: vencer o campeonato. Claro que discordo da posição dele, mas não vou ensinar ninguém a criar os próprios filhos. Eu só acho que do jeito que as coisas caminham, os filhos dele crescerão com uma opinião diferente.”

Por que só agora o terceiro jogador resolveu se manifestar contra a união gay? Por que não o fez em 2009 após o partido republicano ter declarado oposição ao casamento gay - como fez Brendon ao escrever o seu repúdio à posição do mesmo partido?


Brendon Ayanbadejo em campanha à causa LGBT. Logo acima, com a esposa. Na primeira foto, com a filha.

Chris Kluwe, em apoio também à campanha NOH8.


2 comentários:

  1. pois é, pelo menos eles se manifestam, e o debate é rico, sempre é, aqui ninguém nem tem coragem de se manifestar a favor ou contra.

    ResponderExcluir
  2. É...aqui pouco se fala sobre gays no futebol, de vez em quando surge uma polêmica aqui e outra ali, mas nunca se aprofundam no assunto.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.