A psicóloga Marisa Lobo é uma das convidadas para a segunda audiência pública que que acontecerá às 14:30 h do dia 27/11 para discutir o Projeto de Decreto Legislativo 234/2011 ("projeto") proposto pelo deputado João Campos (PSDB-GO) .

O projeto foi apelidado de “projeto da cura gay” e visa sustar a parte da Resolução do Conselho Federal de Psicologia que impede profissionais de 'tratar' pacientes homossexuais que desejam mudar de orientação sexual. Isso porque é uma ação considerada discriminatória e atentatória à dignidade da pessoa humana pelos principais órgãos do mundo que lidam com direitos humanos e por ferir a igualdade e a liberdade, princípios consagrados pela nossa Constituição.  

Mas é só de homo para heterossexualidade. Para os jurássicos que defendem a ideia, homossexualidade é sim doença, apesar de todo o mundo saber - inclusive as pedras - que a OMS excluiu a homossexualidade do rol de patologias desde 1990.

Para Marisa, no entanto, a OMS está errada: “A ciência ainda não tem entendimento do que é a homossexualidade. Não tem pesquisa que se comprove que a homossexualidade é genética”. A psicóloga frisa também que a retirada da homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças (CID) em 1990 se deu por votação, o que indica um caráter não científico à medida. “É muito fácil jogar a responsabilidade na religião, na sociedade e na família. Deixa a pessoa ter o direito de ser tratada”, conclui. 

Será que não passa pela cabeça obtusa dessa psicóloga que a votação a que se refere levou em conta não somente o fato de "a ciência não ter entendimento do que é a homossexualidade", mas também o de nunca ter existido pesquisa devidamente embasada que comprovasse ser a homossexualidade uma doença? Um belo dia, há mais ou menos dois séculos, sem base científica, um médico relacionou homossexualidade e doença e todo mundo acreditou - pior é ter gente que ainda acredita. 

Vamos torcer para que Humberto Cota Verona, presidente do Conselho Federal de Psicologia, e Toni Reis, presidente da ABGLT, outros dois convidados, consigam instruir esse povo. E para que o pastor Silas Malafaia, outro participante, esteja com dor de dente no dia 27/11. Caso contrário, ninguém conseguirá falar além dele. 

3 comentários:

  1. Depois de anos a mesma polêmica, olha .....realmente tinha que ser no Congresso Brasileiro!Aff!Bjks!

    ResponderExcluir
  2. O triste é saber que é para esse tipo de discussão inútil...que os pagamos...
    Beijos Junior

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.