Homens participam de concurso para eleger o abdômen mais tanquinho. Eles preferiram não serem identificados. (Foto: Tássia Thum/G1)

A concentração da 17ª  Parada do Orgulho LGBT de Copacabana começa às 13 h de hoje, domingo, 18 de novembro, no Posto 6. Às 15 h ela segue rumo até o Leme onde tem previsão para terminar às 21 h.
Desde  às 9h, no entanto, os serviços de cidadania e saúde estão abertos ao público no posto 5. São 13 trios elétricos no total  e o evento tem parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos. A frota de ônibus e metrô foi aumentada para atender o fluxo de participantes.

Alterações no trânsito

O trânsito em Copacabana sofreu alterações desde às 6h de sábado (17). Veículos estão proibidos de estacionar na Avenida Nossa Senhora de Copacabana deste horário até 21h de segunda-feira (19).
A Avenida Atlântica está interditada no trecho entre as ruas Francisco Otaviano e Francisco Sá desde 0h de domingo. A Área de Lazer do bairro e a pista reversível terão horários estendidos até o término do evento.

Feira Gay

Corpos musculosos balançando ao som do hit sul-coreano "Gangnam Style" e uma drag queen sob patins são os anfitriões da Feira Expo Rainbow, popularmente chamada de Feira Gay, que funciona há uma semana e vai até amanhã, dia 19. O evento transformou um galpão na Zona Portuária em um grande parque de diversões para gays, lésbicas e simpatizantes. Por lá você encontra desde o concurso do abdômen mais sarado até o beijo mais sexy, com direito a shows de striptease e tequileiros gogo boys.

Sair do Armário

Cláudio Pepper, organizador da feira, explica que, além do lazer, a feira oferece atendimento psicológico para quem precisa de ajuda para assumir a sexualidade:“Geralmente é um drama comunicar à família que você é gay, então em muitas das vezes é preciso a orientação de um psicólogo. Esse é um evento que, apesar de privilegiar a diversão, não esquece da cidadania e dos direitos humanos”, conta Cláudio.

Preconceito

Embora o Rio ostente o título de melhor destino gay do mundo, Pepper constatou que 44 hotéis e centros de convenção se recusaram a sediar a feira LGBT: “Eles alegaram que não tinham interesse em sediar uma feira gay e que tinham receio de associar a marca ao público gay. Isso para mim é preconceito. O mundo dos negócios precisa se ligar que cerca de 15% da população mundial é gay, e que esse é um público consumista, atento, e que cresce em grande número”.

Fonte: Globo.com

4 comentários:

  1. que seja mais um grande evento e q tudo corra bem ... gostaria de poder estar aí ...

    bjão

    ResponderExcluir
  2. infelizmente as pessoas ainda tem muito preconceito... muito... e o pior é que gente burra só perde dinheiro com isso né?

    ResponderExcluir
  3. Ai que inveja!!! Anyway, eu acredito que a comunidade LGBT carioca deveria saber quais os hoteis que "nao querem ser associados" a comunidade gay. Isso deveria ser veiculado internacionalmente especialmente durante o verao porque as bibas estao prontas para ir para o Rio gastar dinheiro. Se vc nao quer ser associado a comunidade gay entao voce nao dever receber dinheiro "gay". Isso que eu admiro nas comunidades gays internacionais porque eles atingem o centro nervoso de qualquer estabelecimento: economia. Sem dinheiro vc nao se mantem no mercado. Quer ser preconceituoso tudo bem, sem dinheiro... I don;t think so...

    ResponderExcluir
  4. Concordo, tem que divulgar essas empresas homofóbicas para que não sobrevivam as custas do pink money.Boa semana a todos!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.