Rafael Bolacha (foto) atendeu ao telefone. Me apresentei. Em pouco tempo, já percebi aquele tom vibrante e enérgico dos jovens otimistas e sonhadores. Ele, que já aguardava a ligação, se colocou à disposição para a entrevista que logo teve início.

Nossa conversa não demorou. Foi tranquila. Tentei deixá-lo à vontade para falar mais que eu, evidentemente. O motivo principal foi o fato de eu não ter preparado as perguntas. Como elaborar uma entrevista sem perguntas? Você entenderá a seguir.

Tudo começou há três dias. Renata, assessora de imprensa da Cidade Viva, a editora responsável pela publicação de "Uma Vida Positiva", me procurou para falar de seu interesse em divulgar o livro no Identidade G. Recebi por e-mail as informações necessárias, dentre as quais o link do blog homônimo que deu origem ao livro. Agora, através desta postagem, espero fazer jus ao projeto que se concretizará no próximo dia 30 de novembro, quando acontecerá o lançamento - na véspera do Dia Mundial de Combate à AIDS.

Após conferir quase todo o conteúdo do blog de Rafael, tive noção da árdua missão que me aguardava. Dificilmente alguém, além do próprio, conseguirá expor de maneira mais iluminada - ao mesmo tempo leve e incrivelmente sintetizada - a sua trajetória depois que, em 2010, aos 25 anos, se deparou com o resultado positivo do seu exame para HIV: "Me lembro de ler em uma placa no laboratório: 'Se positivo, você deve repetir o teste para confirmá-lo'. Guardei aquela informação e fui embora. Dias depois volto lá e descubro que tenho que repetir um dos exames, justamente ele", recordou Luan F (pseudônimo usado por Rafael) em 07 de janeiro de 2010, data da primeira postagem.

Sentado de frente ao computador, munido de caneta e bloco de anotações, comecei a ler as postagens subsequentes. Menos de uma hora após havia lido muitas, inúmeras. Só então me dei conta de que a leitura me absorveu mais do que deveria, pois esqueci de fazer as anotações, de elaborar as perguntas e de pontuar algumas passagens. Enfim, nenhum risco no bloco. 

Rafael aguardava a ligação. A nossa entrevista rolou como um bate-papo. Expus pontos de vista de um leitor, quase fá. Sim, quase. Afinal, tinha que me portar como entrevistador.

Pude humanizar um pouco o que havia sido até então virtual. Como dito na abertura da postagem, aquela voz e palavras ecoavam com o mesmo movimento otimista do Rafael, o bom filho, amigo fiel e artista apaixonado pelo seriado "Grey's Anatomy", que eu acabara de conhecer virtualmente. O jovem falou da frustração pelos sonhos profissionais adiados por causa do HIV - como a dança e o teatro -, mas também da reconquista da paixão pela vida aos 28 anos. Mas ele quer mais. Seu desejo agora é recuperar o mesmo brilho no olhar, uma das marcas registradas do Rafael de outrora, ofuscado pelo HIV e sucedido pelo de Luan F.

O blog foi, digamos, o rascunho da nova vida que promete ser cheia de planos concretizados, a começar pelo livro que ainda não li, mas que não vejo a hora de tê-lo em minhas mãos. Rafael escreve muito bem, tem a manha. Segundo ele, os sentimentos expostos no blog serão mais desnudados no livro, apesar de o conteúdo permanecer tão estimulante quanto e com a mesma linguagem despojada. 

Para finalizar é legal destacar que além das características acima, o livro mostra também o lado doído do personagem. Como não podia ser diferente, os medos, as inseguranças, as angústias e os problemas gerados nos períodos pré e pós antirretrovirais, e até pessimismos, fazem parte. Mas Rafael deixa uma coisa logo clara: 'Tristeza sim, mas controlada'. 
Acompanhe a seguir mais alguns trechos extraídos do blog.

SONHOS
"...O meu sorriso sincero merece estar estampado no rosto. Devo isso a mim. Para tudo isso se concretizar basta uma única coisa: a minha vontade..."

PRECONCEITO
"...O problema é utilizar palavras como veado, bicha, gay, etc, para servir de pejorativo de qualquer coisa. Quando alguém faz uma barbeiragem  a primeira coisa que gritam é 'veado'. Quando um cara erra o chute no futebol, lá vem um 'bicha'..."

MEDOS
"Não tenho mais medo de morrer. Tenho medo de deixar de viver."
"Nós, soropositivos, trazemos um risco, mas pode ser bem pequeno se feito com segurança. A recompensa pode ser um sorriso sincero, um olhar cativante ou um sentimento profundo."

FUTURO
"Consigo sorrir de verdade. Olhar para o meu futuro..."

AMIZADES
"..Quando decidi compartilhar minha condição com as pessoas próximas, muita coisa boa nasceu disso [...] Vi amigos levarem essa mudança de olhar [com relação ao HIV] para suas vidas pessoais e profissionais. Um grande e querido amigo me disse mais ou menos isso há um tempo atrás: 'Depois de tudo isso não consigo ser mais o mesmo. Você me mudou. Questiono muito hoje sobre minha posição no mundo' ..."

O lançamento de "Uma Vida Positiva" ocorrerá no dia 30/11/2012, das 17 h às 19 h na Livraria da Travessa - Av. Rio Branco, 44, Centro, Rio de Janeiro.
Pré-vendaCidade Viva Editora
Mais informações, visite o "Espaço Cultural" deste blog.

5 comentários:

  1. Nossa, fiquei realmente sem ter o que dizer, estive a pouco tempo com duas suspeitas e uma delas era HIV acho que só assim conseguiria ver o mundo de uma forma diferenciada, mas hoje estou feliz por não ter nada, nem HIV que era uma das suspeitas, e nem leucemia que era a outra. Estou muito ansioso e curioso para ler esse livro que deve ser fantástico. Um homem de muita coragem, Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Parabens `a ele e para vc Jr. Otimo artigo. Bjks

    ResponderExcluir
  3. todos temos mesmo que divulgar.
    vou tentar comparecer.

    abraços!

    ResponderExcluir
  4. sim! todos deveríamos divulgar o trabalho dele!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.