Essa matéria está no site "R7". É a prova de que a homofobia precisa ser criminalizada urgentemente. 
Um jovem bancário e estudante do último ano de Direito foi agredido logo após sair de uma farmácia no bairro de Pinheiros, zona oeste de São Paulo, por dois homens que passavam de carro. 
O motivo aparente foi simplesmente o fato de os agressores terem se incomodado com o jeito de andar da vítima que sequer escutava os deboches vindo de dentro do automóvel, pois portava um fone de ouvido. Ao se dar conta que o foco era ele, o rapaz tirou o fone e tentou responder a altura, mas os bandidos se irritaram ainda mais, saíram do carro, bateram na vítima e a abandonaram  ferida e sangrando no chão.
Mais tarde, numa gravação, um dos bandidos se justificou: "Apanhou de besta. Se tivesse seguido o caminho dele não teria apanhado".
É o fim.
Os dois homens foram presos em flagrante e autuados por tentativa de homicídio.
Divulgue a matéria, assista ao vídeo no Portal R7.

5 comentários:

  1. Isso é homofobia.
    E é a barbárie da raça humana.
    Abraço Junior

    ResponderExcluir
  2. quando veremos isto acabar? quando todos os gays se mobilizarem, claro! mas a grande maioria ainda vive no armário...
    como disse bem a Margot é uma barbárie!

    ResponderExcluir
  3. E dizem, alguns, que o homem já saiu das cavernas. Alguns, pelo que se vê, ainda estão lá!
    P.S. Pensando melhor, estou sendo injusto com os homens das cavernas. Talvez nem eles fossem assim tão primitivos e violentos gratuitamente. Pois, lá. valia (imagino), a lei da sobrevivência. E, aqui, hoje, o que vemos é a violência gratuita!

    ResponderExcluir
  4. E ainda insistem em dizer que a homofobia é um mito ou "favoritismo" para os gays

    #lamentável!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.