O futebol tem dessas contradições. Vimos aqui no Identidade G, ao longo dos últimos dois anos, várias declarações de futebolistas heterossexuais, incluindo técnicos, sobre a existência de homossexuais no esporte. A maior parte é favorável e apoia os colegas gays. A que se manisfesta contra justifica que não é para a homossexualidade, mas à saída  do armário de jogadores gays por causa do machismo de grande parte dos torcedores. 

O goleiro do 'Manchester United', Anders Lindegaard, parece ter solução para o impasse. Ele acredita que o futebol precisa de um herói gay para mudar a atitude de alguns torcedores que estão "presos numa época de intolerância que é, inclusive, incompatível com o desenvolvimento da sociedade moderna".

Os depoimentos foram extraídos de uma postagem do blog pessoal de Anders que tem pinta de príncipe de conto de fadas: loiro, dinamarquês, 28 anos de idade, 193 cm e 87 kg. Ele diz que mais que o apoio dos companheiros de equipe é a recepção dos torcedores que provavelmente encorajará um jogador a sair do armário: "Como jogador, acho que o maior medo do colega homossexual é a recepção dos fãs. A minha impressão é que os jogadores não teriam problema para aceitá-lo".

Leia o resumo:
"A homossexualidade no futebol é tabu. A atmosfera em campo e nas arquibancadas é difícil. Os mecanismos são primitivos e muitas vezes se expressam através de um estereótipo clássico que homem de verdade deve ser corajoso, forte e agressivo. E essa não é a imagem que o fã associa ao gay no futebol. Enquanto o resto do mundo tem se mostrado mais liberal, civilizado e menos preconceituoso, o universo do futebol, quando se trata de tolerância, permanece preso ao passado. A luta contra a homofobia no esporte requer um nome de estrela corajoso o suficiente para fazê-lo. Os homossexuais precisam de um herói, de alguém atrevido que levante a sua sexualidade."


3 comentários:

  1. Bom... no rugby deu certo com o Gareth Thomas, mas o esporte não tem tanto impacto quanto futebol... Se o Neymar já é "criticado" pelos cortes exóticos de cabelo, um bom jogador gay - pelo menos no Brasil - ia sofrer bastante... Mas, vamos aguardar, né?

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. num país machista como o brasil-sil-sil acho complicado. vários jogadores famosos já disseram que existem vários gays no futebol, mas eles não se assumem porque suas carreiras acabariam. e ninguém quer passar fome, né?

    ResponderExcluir
  3. e como precisa mesmo! mas essa pessoa tinha que ser muito corajosa né? porque pensa no risco que ele ia ter, só se fosse alguém tipo o Ronaldo, que já juntou dinheiro pra caralho, q não precisaria nem mais trabalhar pra viver, ai sim falava, pq se desse merda ele não precisava...

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.